Oftalmologia

Lentes de óculos MiYOSMART: Controle da miopia com lentes com tecnologia DIMS

Tempo de leitura: 4 min.

A prevalência de miopia tem um crescimento alarmante no mundo, especialmente nas populações asiáticas. A alta miopia está associada com um risco crescente de alterações que levam a deficiência visual, sendo impactante na economia e nos sistemas de saúde. Atualmente várias modalidades são utilizadas no controle de miopia em crianças. O colírio de atropina a 1% (dose alta) se mostrou efetivo porém com efeitos colaterais como a fotofobia e o borramento visual. Nos últimos anos vários estudos demonstraram que a baixa dose de atropina (0,01%) tem resultados positivos com efeitos colaterais mínimos e pouco efeito rebote. Os tratamentos ópticos como a ortoceratologia, óculos bifocais executivos e lentes de contato multifocais que incorporam o defocus miópico têm resultados promissores em diminuir a progressão miópica. Cada método tem suas limitações. As lentes oftálmicas com tecnologia patenteada DIMS (defocus incorporated multiple segments) foram desenhadas para controle de miopia em crianças, baseadas no princípio do defocus miópico e da visão simultânea. 

Leia também: Glaucoma agudo, miopia e o topiramato: o que todo oftalmologista deve saber?

Como funcionam essas lentes oftálmicas? 

É uma lente de óculos dualfocus que consiste numa zona óptica central para corrigir o erro refrativo a distância e segmentos circulares finos com um poder relativo positivo de +3.50 distribuídos na área da meia periferia em um padrão de favo de mel. As lentes DIMS geram um defocus miópico enquanto dão visão clara para o usuário em todas as distâncias. 

Como foi feito o estudo?

Um estudo clínico randomizado duplo cego de 2 anos de seguimento mostrou que as lentes com tecnologia DIMS diminuíram a progressão da miopia significativamente em 52% e reduziram o aumento do comprimento axial em 62% se comparado com um óculos de visão simples. Um novo estudo realizado em Hong Kong publicado em março de 2021 na British Journal of Ophthalmology com objetivo de determinar se a diminuição da progressão da miopia continuou ocorrendo no terceiro ano de uso das lentes e e se a diminuição da miopia é vista no primeiro ano de uso das lentes DIMS pelo grupo controle. Nesse estudo crianças que tinham usado as lentes DIMS nos dois primeiros anos continuaram no mesmo grupo de uso das lentes. Para as crianças originalmente do grupo controle foi oferecido passar a utilizar as lentes DIMS. O objetivo era avaliar se as lentes iam prover o mesmo controle da miopia no grupo que deixou de ser controle e passou a usar as lentes no primeiro ano do que o observado no grupo originalmente já com as lentes DIMS. Foram avaliadas as variações no equivalente esférico (EE) e no comprimento axial (CA). 

Quais são os resultados sobre o uso de lentes DIMS?

160 crianças completaram os 2 anos do estudo inicial e 128 dessas concordaram em participar do terceiro ano. No final dos 3 anos 120 crianças completaram toda a coleta de dados. A média de idade foi de 10,15 ± 1,52 anos no grupo DIMS e 10,24 ± 1,42 no grupo Controle-DIMS (que passou a tratar só no terceiro ano). O equivalente esférico baseline foi de −2,98 ± 0,96D e −2,73 ± 0,99D, respectivamente. O comprimento axial baseline foi de  24,68 ± 0,82 mm e 24,57 ± 0,88 mm. Não houve diferença estatística entre os grupos em nenhuma dessas avaliações. 

A média de alteração no EE e no CA no grupo DIMS foi de  −0,52 ± 0,69D e 0,31± 0,26 mm após 3 anos.  Não houve diferença entre os anos. No grupo controle-DIMS a progressão da miopia e aumento do crescimento axial foi significativamente diferente entre os 3 anos. A progressão no terceiro ano foi menor se comparada com o primeiro e segundo. 

Saiba mais: A miopia em crianças aumentou devido à pandemia?

Quando comparados os dois grupos não houve diferença entre a progressão e o aumento do comprimento axial no terceiro ano. A miopia em 80% dos sujeitos do grupo DIMS progrediu menos que 0,5D no terceiro ano comparado com 87% no grupo Controle-DIMS. Apenas 5% e 2% no grupo DIMS e Controle-DIMS tiveram progressão de miopia maior que 1D. 52% e 58% respectivamente tiveram aumento do CA menor que 0,1 mm. 

Se compararmos o grupo DIMS com o grupo controle original as alterações em 12 meses no EE e CA foram de −0,35 ± 0,40D e 0,18 ± 0,14 mm no controle e muito menores no grupo DIMS (−0,18± 0,25D e 0,10 ± 0,09 mm anualmente). 

Qual a conclusão do uso de lentes DIMS?

A progressão da miopia e aumento do comprimento axial foi menor em crianças usando lentes DIMS pelos 3 anos, primeiro comparando-se o grupo controle inicial (que depois se tornou o grupo Controle-DIMS) e depois nos últimos 12 meses comparando-se com o grupo controle histórico. No grupo DIMS a progressão de miopia e aumento do comprimento axial no terceiro ano foi similar ao primeiro e segundo ano. A alteração média no EE e CA no grupo DIMS em 3 anos foi de −0,52 ± 0,69D e 0,31 ± 0,26 mm. Esses achados são comparáveis aos estudos de Chamberlain e colaboradores que avaliaram lentes de contato dualfocus (-0,51 ± 0,64D e 0,30 ± 0,27 mm) e Walline e colaboradores na avaliação de lentes de contato gelatinosas multifocais por 3 anos (-0,60D, de −0,72 a −0,47D e 0,39 mm, 0,32–0,46 mm). Os achados são de aproximadamente 50% menor progressão do que foi reportado por Cheng e colaboradores no trial de 3 anos de lentes oftálmicas bifocais.  

Nos primeiros 2 anos a progressão da miopia e o aumento do CA no grupo DIMS foi retardado em 0,53D e 0,29mm se comparado ao grupo controle original. No terceiro ano houve retardo de 0,18D e 0,08mm respectivamente. O efeito de controle nos 3 anos foi de 0,71D e em relação ao CA de 0,37mm. O resultado é comparável aos estudos usando bifocais e lentes de contato multifocais/dualfocus. O grupo controle que passou a usar DIMS também mostrou resultado de controle da miopia interessante, com mais de 80% das crianças com menos de 0,5D de evolução e 70% com menos de 0,25D. Esses achados sugerem que o efeito do controle da miopia pode ser atingido mesmo iniciando as lentes DIMS em idades maiores. A idade ótima para iniciar o tratamento não foi determinada neste estudo e também não foram determinados os resultados após períodos mais longos que os 3 anos de uso. Além dessas limitações não foi determinado se a descontinuação do uso dessas lentes oftálmicas teria um efeito rebote esperado. 

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Lam CS, Tang WC, Lee PH, Zhang HY, Qi H, Hasegawa K, To CH. Myopia control effect of defocus incorporated multiple segments (DIMS) spectacle lens in Chinese children: results of a 3-year follow-up study. Br J Ophthalmol. 2021 Mar 17. doi: 10.1136/bjophthalmol-2020-317664.
Compartilhar
Publicado por
Juliana Rosa
Tags: DIMSmiopia

Posts recentes

Relembrando o que é o hipoparatireoidismo

O hipoparatireoidismo é uma condição relativamente rara, causada na maioria das vezes pelo dano cirúrgico…

2 horas atrás

Pandemia impactou no aumento de peso e controle da glicemia dos portadores de diabetes tipo 2

A pandemia de Covid-19 teve um impacto bastante negativo no aumento de peso e controle…

3 horas atrás

Anemia Falciforme: você pode ser um portador deste traço

A anemia falciforme atinge um grande número de brasileiros, dessa forma, os diretos do portador…

4 horas atrás

Escabiose: orientações para o sucesso do tratamento

É importante o paciente com escabiose seguir algumas orientações para tratar a dermatose. Saiba quais…

19 horas atrás

Outubro rosa: Câncer de vulva: update 2021

As neoplasias de vulva respondem apenas por 4% das neoplasias ginecológicas. Saiba mais.

19 horas atrás

Palpação convencional x ultrassom para procedimentos neuroaxiais

Procedimentos neuroaxiais, como punção lombar diagnóstica, são realizados através da palpação de pontos de referência…

20 horas atrás