Infectologia

Leronlimabe: Anvisa autoriza novo estudo com anticorpo monoclonal para Covid-19

Tempo de leitura: 2 min.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na última terça-feira, 3, o início de mais um ensaio clínico avaliando tratamento para pneumonia causada pela Covid-19. Desta vez, o medicamento avaliado será o anticorpo monoclonal leronlimabe para pacientes com doença moderada.

O estudo de fase 3, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo avaliará a eficácia e a segurança do fármaco em junto do tratamento padrão para pacientes hospitalizados, mas que não necessitam de ventilação mecânica ou oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO).

Um outro estudo com o anticorpo, desta vez para pacientes graves, ainda está em fase de autorização.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Leronlimabe

O leronlimabe é um anticorpo monoclonal, produzido pela CytoDyn Inc., sediada nos Estados Unidos, e representada pela Biomm S.A. no Brasil, que atua como um inibidor competitivo, bloqueando a infecção das células.

Dois estudos iniciais foram conduzidos nos Estados Unidos: um menor, com 86 pacientes, intitulado CD10, avaliando o efeito de leronlimabe na doença leve a moderada, e um maior, CD12, que incluiu 394 pacientes com sintomas graves de doenças respiratórias associadas à Covid-19.

Segundo os resultados apresentados pela empresa e divulgados pela Food and Drug Administration (FDA), nenhum dos dois ensaios apresentou relevância estatística na melhora de sintomas ou mortalidade entre o grupo intervenção e o placebo. No estudo CD12, a mortalidade foi de 20,5% no tratamento com leronlimabe e 21,6% no tratamento com placebo; o tempo médio de hospitalização foi igual em ambos (21,4 dias).

Leia também: Rituximabe e Covid-19: pacientes recebendo anticorpo monoclonal têm pior prognóstico?

Apesar disso, a empresa relatou benefícios do anticorpo em alguns subgrupos analisados e, mesmo não tendo chegado a ter significância, novos estudos serão realizados para uma análise com mais participantes.

Tratamentos para Covid-19

Apesar de a pandemia estar acontecendo há mais de um ano e meio, poucos medicamentos demonstraram benefícios no tratamento da Covid-19. Entre eles, os corticoides apresentam o maior consenso até o momento, mas apenas para pacientes que necessitam de oxigênio suplementar.

No Brasil, a Anvisa já aprovou três indicações para tratamento da infecção: o remdesivir, também aprovado pela FDA, mas não recomendado oficialmente pela Organização Mundial da Saúde; e as combinações dos anticorpos monoclonais casirivimabe + imdevimabe (REGN-COV2) e banlanivimabe + etesevimabe, de forma emergencial.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Clara Barreto

Posts recentes

Fatores de risco para câncer de mama avançado após 2 anos de mamografia negativa

A mamografia pode reduzir em 15% a 20% a mortalidade por câncer de mama, mas…

24 minutos atrás

Relação da disbiose e autismo [podcast]

Dolores Henriques e Paula Hartmann conversam sobre o que há na literatura sobre a relação da…

1 hora atrás

Pré-natal do parceiro: desafios e soluções

O pré-natal do parceiro é uma das formas de inclui-los na paternidade consciente e ativa,…

2 horas atrás

Anemia ferropriva: suplementação de ferro reduz transfusões e tempo de internação 

Estudos analisam a influência da suplementação pré-operatória de ferro sobre resultados cirúrgicos de pacientes com…

3 horas atrás

Avaliação da deficiência de ferro durante a gestação

A deficiência de ferro pode chegar a prevalência de 59% nas gestantes ao redor do…

21 horas atrás

Recomendações pré-concepcionais para paciente com diabetes (tipo 1 ou 2) da ADA

Além da atenção focada em alcançar metas glicêmicas e os cuidados pré-concepcionais de rotina devem…

1 dia atrás