Home / Colunistas / Lúpus eritematoso sistêmico em pacientes com púrpura trombocitopênica idiopática?

Lúpus eritematoso sistêmico em pacientes com púrpura trombocitopênica idiopática?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma doença hematológica que cursa com redução nos níveis séricos de plaquetas com número normal ou aumentado de megacariócitos na medula óssea. A PTI pode ser secundária a diversas doenças, incluindo o lúpus eritematoso sistêmico (LES).

Leia também: ACR 2020: lúpus eritematoso sistêmico e síndrome antifosfolípide

Paciente com púrpura trombocitopênica idiopática sendo atendido

Estudo recente

Zhu et al desenvolveram um estudo de coorte retrospectiva para avaliar o risco de ocorrência LES incidente em pacientes com PTI recém-diagnosticada. Os dados desses pacientes foram obtidos do National Health Insurance Reserach Database (NHIRD), uma agência que coleta dados de saúde de mais de 99% da população de Taiwan.

Dos 993.161 pacientes avaliados, foram identificados e incluídos 723 pacientes com PTI. A partir daí, foram selecionados controles não PTI na proporção de 1:20 (14.460 pacientes). Desses 14.460 pacientes, 1.336 foram incluídos no pareamento de escore de propensão (pareados com 668 pacientes com PTI). A estimativa do risco foi feita através da comparação da taxa de desenvolvimento de LES incidente ao longo do acompanhamento, nos dois grupos obtidos.

Saiba mais: Anifrolumabe pode ser eficaz no lúpus eritematoso sistêmico?

O tempo médio de seguimento dos pacientes foi de 80 meses. A taxa de desenvolvimento de LES no grupo de PTI foi de 4,7% vs. 0,19% no grupo não PTI. Isso corresponde a um risco relativo de 25,1 (IC95% 13,7-46,0). Os principais fatores de risco identificados para o desenvolvimento de LES foram: sexo feminino e presença de síndrome de Sjögren. O resultado também se manteve após o pareamento por escore de propensão (RR 17,4, IC 95% 5,28-57,4).

Comentário

Apesar de já termos a ideia de que a púrpura trombocitopênica idiopática pode ser uma possível manifestação precoce do LES, esse estudo é importante, pois ele quantifica o risco de desenvolvimento de LES incidente em pacientes com PTI. Isso reforça a necessidade de acompanhamento desses pacientes com foco no desenvolvimento do LES, especialmente nas pacientes do sexo feminino e portadoras de síndrome de Sjögren.

As limitações desse estudo são intrínsecas ao seu desenho (coorte retrospectiva).

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Zhu F-X, Huang J-Y, Ye Z, et al. Risk of systemic lupus erythematosus in patients with idiopathic thrombocytopenic purpura: a population-based cohort study. Ann Rheum Dis. 2020;79:793-9. doi: 1136/annrheumdis-2020-218128

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.