Colunistas

Mães com hepatite C não realizam rastreio no bebê pós-parto

Tempo de leitura: 2 min.

No final de 2020, A American Association for the study of Liver Desease (AASLD) divulgou um estudo que constatou que entre as mulheres grávidas com o vírus da hepatite C (HCV), menos de um terço dos bebês realizaram o teste de HCV apropriado.

O trabalho foi desenhado em forma de coorte retrospectiva de base populacional, e usou dados coletados de pré-natais de mães VHC-positivas, com teste de RNA do VHC antes ou durante a gravidez.

Perfil populacional:

De 1.393 gestações de mães VHC-positivas, os dados do estudo incluíram 194 nascimentos de 151 mulheres com cirrose de 2000-2014. A idade média das mães na época da gravidez era de 32 anos e 89% das mães viviam em áreas urbanas. 31% das mulheres no estudo tinham transtorno de uso de substâncias, incluindo uso de álcool e opioides.

De acordo com seus resultados, 51 de 151 mulheres grávidas foram inicialmente diagnosticadas com HCV, 106 foram diagnosticadas com cirrose antes da gravidez e 88 foram diagnosticadas com cirrose durante ou após a gravidez. Menos 3% por cento tiveram complicações hepáticas. Os resultados adversos da gravidez experimentados pelas mulheres no estudo incluíram colestase intra-hepática, complicações hipertensivas, diabetes gestacional e hemorragia pós-parto.

Números alarmantes: menos de um terço dos bebês foram rastreados corretamente para o vírus da Hepatite C

De 194 bebês de mães positivas, apenas 32% receberam o teste de HCV apropriado. A análise dos dados mostrou que o teste infantil apropriado, aquele que é realizado a partir dos 12 meses de idade, foi associado ao momento do diagnóstico de cirrose e à idade materna, enquanto as complicações hepáticas maternas e resultados adversos da gravidez não foram associados ao teste infantil apropriado.

No Brasil:

Os principais Colégios de Ginecologia e Obstetrícia no mundo recomendam o rastreio universal para Hepatite C na gestação. Porém, infelizmente, poucas são as instituições públicas que oferecem a triagem pré-natal para Hepatite C no Brasil. A grande maioria das mulheres em idade reprodutivas que recebem o diagnóstico da contaminação é diante das complicações da própria doença. 

Os dados acerca da real chance de transmissibilidade do vírus HCV da mãe para o bebê ainda são limitados.  

 

Referência bibliográfica:

  • MORE WOMEN DIAGNOSED WITH HCV DURING PREGNANCY, BUT MANY INFANTS STILL NOT TESTED DESPITE RECOMMENDATIONS FROM LEADING, American Association for the Study of Liver Diseases, November, 2020 https://www.aasld.org/more-women-diagnosed-hcv-during-pregnancy-many-infants-still-not-tested-despite-recommendations HEALTH ORGANIZATIONS
Compartilhar
Publicado por
Juliana Olivieri

Posts recentes

Quando pensar em traumatismo por abuso em crianças? (caso clínico)

Como reconhecer um caso de traumatismo por abuso em crianças? No clinical drops, você recebe…

13 horas atrás

WONCA 2022: Congresso abre discussões sobre importância da Medicina da Família em tempos atuais

Acompanhe a cobertura completa do congresso internacional de medicina de família (WONCA 2022) aqui no…

17 horas atrás

O impacto de dez comorbidades na mortalidade por SDRA

Estima-se que a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) representa 10,4% do total de internações…

17 horas atrás

CDC aprova o uso da vacina Moderna contra covid-19 para crianças de 6 a 17 anos

O CDC aprovou, por unanimidade, o uso da vacina contra covid-19 da Moderna para crianças…

18 horas atrás

Qual o melhor tratamento para a artrite reumatoide? Estudo de vida real compara DMARDs biológicos e sintéticos alvo específicos

Estudo que comparou a efetividade de quatro diferentes bDMARDs e tsDMARDs no tratamento da artrite…

21 horas atrás

Caso raro: em cirurgia inédita no Brasil, médica queima tumor de bebê dentro do útero materno

Em cirurgia inédita no Brasil, um bebê de 29 semanas de gestação passou por um…

22 horas atrás