Página Principal > Colunistas > Metformina x sulfonilureia na doença renal crônica
embalagem branca de medicamento

Metformina x sulfonilureia na doença renal crônica

Tempo de leitura: 2 minutos.

A metformina é medicação de primeira linha de tratamento para pacientes com diabetes tipo 2. No momento da sua aprovação, havia uma contraindicação formal ao uso do fármaco na insuficiência renal. Porém, em abril de 2016, a Food and Drug Administration concluiu que a metformina pode ser usada com segurança em pacientes com comprometimento leve na função renal e em alguns com prejuízo moderado. Neste novo contexto, surge um questionamento: a metformina seria mais segura que outros hipoglicemiantes orais na doença renal crônica (DRC)?

Journal of General Internal Medicine publicou um estudo de coorte observacional de pacientes com diabetes tipo 2 e DRC que receberam cuidados de saúde regulares dos Veteranos Administração em Saúde (VHA). Foi analisado se o risco de mortalidade diferiu após o início da monoterapia com metformina ou uma sulfonilureia, que é a segunda classe mais comum de drogas hipoglicemiantes prescrita.

Participaram do estudo veteranos que receberam cuidados do VHA por, pelo menos, um ano antes de iniciar tratamento em monoterapia para diabetes tipo 2 com metformina ou um sulfonilureia, entre 2004 e 2009. O uso de metformina e sulfonilureia foi avaliado a partir dos registros de farmácia eletrônica do VHA. A equação CKD-EPI foi utilizada para estimar a taxa de filtração glomerular (TFG). O resultado da morte entre 1 de janeiro 2004 até 31 de dezembro de 2009 foi avaliado nos arquivos do VHA.

Metformina é a droga para diabetes tipo 2 com pior adesão

QUAIS OS RESULTADOS?

Entre 175.296 novos usuários de monoterapia com metformina ou sulfonilureia, 5.121 mortes foram observadas.Em análises primárias ajustadas para todos os fatores potenciais de confusão, metformina em monoterapia foi associada a um menor risco de mortalidade (HR) em comparação com a sulfonilureia em monoterapia em todos intervalos de TFG avaliados (HR variando de 0,59 a 0,80).

Uma análise secundária das diferenças de risco de mortalidade favoreceu a metformina em todas as faixas de TFG; a melhor diferença de risco foi observada na categoria TFG 30–44 mL / min / 1,73m².

O QUE LEVAR PARA A PRÁTICA CLÍNICA?

O início da terapia  com metformina entre indivíduos com diabetes tipo 2 e DRC foi associado a uma redução substancial da mortalidade quando comparado às sulfonilureias. A maior redução do risco absoluto foi observada entre os indivíduos com TFG moderadamente severamente reduzida (30–44 mL / min / 1,73 m²), o que é um dado novo, pois em geral não se recomenda metformina para este grupo.

É importante ressaltar que no intervalo de tempo de realização deste estudo, novas drogas para redução de glicemia, que podem ser mais eficazes em populações de alto risco, foram introduzidas no mercado. Neste contexto, estudos complementares são necessários para avaliarmos qual tipo de terapia seria mais eficaz para o doente renal crônico.

Bateu uma dúvida? O Whitebook refresca sua memória com conteúdos atualizados. Baixe aqui o nosso app.

Autora:

Referências:

  • Marcum ZA et al. Mortality associated with metformin versus sulfonylurea initiation: A cohort study of veterans with diabetes and chronic kidney disease. J Gen Intern Med 2018 Feb; 33:155 || https://doi.org/10.1007/s11606-017-4219-3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.