Leia mais:
Leia mais:
Micobacterioses não tuberculosas: o que precisamos saber?

Micobacterioses não tuberculosas: o que precisamos saber?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

As micobacterioses não tuberculosas (MNTs) são microrganismos ubíquos que colonizam o solo e a água. Atualmente são conhecidas mais de 200 tipos diferentes, sendo apenas 40 consideradas realmente patogênicas. O principal acometimento é pulmonar, ocorrendo em 90% dos casos, e o número de casos de MNTs causando doença crônica é crescente tornando-as potenciais problemas de saúde pública. 

Nos últimos dez anos sua incidência quase dobrou nos EUA, porém essas estimativas permanecem subestimadas, inclusive no Brasil, devido ao fato de não ser uma doença de notificação compulsória. Não há transmissão interpessoal de MNTs como ocorre na tuberculose. Fatores de risco para infecção incluem a idade avançada, indivíduos imunocomprometidos e a presença de bronquiectasias, além de ser mais comum em homens que mulheres. Elas podem ser classificadas como micobacterioses de crescimento rápido, como o Mycobacterium abscessus, e de crescimento lento, como o complexo Mycobacterium avium (MAC) e o Mycobacterium kansasii, sendo estes os mais prevalentes na prática clínica. 

Micobacterioses não tuberculosas

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Micobacterioses não tuberculosas: diagnóstico e tratamento

As manifestações clínicas são inespecíficas, mas incluem principalmente dispneia, tosse secretiva, febre, astenia e hemoptise. A tomografia é essencial no diagnóstico e seguimento, apresentando múltiplas imagens em árvore em brotamento, nódulos (geralmente menores de 1 cm), consolidações, cavidades de paredes finas e uniformes e bronquiectasias sobretudo em lobo médio e língula, muitas vezes indistinguíveis da tuberculose. Pacientes imunocomprometidos tendem a ter uma apresentação exuberante com doença disseminada em alguns casos. A forma cavitária é mais prevalente em pacientes com MAC e geralmente é progressiva e mais grave, diferente das formas nodulares e bronquiectásicas que tendem a ser mais indolentes. Os critérios diagnósticos incluem a presença de sintomas respiratórios e sistêmicos (critério clínico), alterações radiológicas e a presença de duas culturas de escarro positivas ou uma cultura positiva do lavado broncoalveolar ou da biópsia.

Nem todos os pacientes diagnosticados serão tratados. A decisão de tratamento depende de uma série de variáveis, entre elas o paciente, o grau de sintomas, imunossupressão e o potencial de toxicidades. O tratamento geralmente envolve o uso de três drogas, não deve ser feito de forma empírica (é fundamental identificar a micobacteriose em cultura) e dura cerca de 18 a 24 meses, com no mínimo 12 meses de culturas negativas. As principais drogas utilizadas são macrolídeos, rifampicina, etambutol e isoniazida. A abordagem cirúrgica é eficaz em alguns casos, associada ao tratamento clínico, sobretudo nos indivíduos com doença localizada, com resistência às drogas utilizadas, a presença de hemoptise e boa performance clínica. Outras medidas importantes no seguimento desses pacientes é uma nutrição adequada, fisioterapia respiratória, medidas de higiene brônquica e tratamento da doença do refluxo gastroesofágico. Os critérios de resposta incluem melhora dos sintomas, redução das alterações tomográficas e negativação das culturas. 

Mensagens Práticas:

  • As MNTs apresentam quadro semelhante ao da tuberculose e estão se tornando cada vez mais comuns;
  • O tratamento é longo e complexo, sobretudo pela toxicidade das drogas envolvidas. 
  • A doença pode se manifestar em imunocompetentes e imunocomprometidos de formas diferentes, tendendo a ser mais grave nos últimos;
  • Os macrolídeos são fundamentais no tratamento e, sempre que possível, devem ter sua resistência testada.

 

Autor:

Referências bibliográficas:    

  • Daley CL, Iaccarino JM, Lange C, Cambau E, Wallace RJ Jr, Andrejak C, Böttger EC, Brozek J, Griffith DE, Guglielmetti L, Huitt GA, Knight SL, Leitman P, Marras TK, Olivier KN, Santin M, Stout JE, Tortoli E, van Ingen J, Wagner D, Winthrop KL. Treatment of nontuberculous mycobacterial pulmonary disease: an official ATS/ERS/ESCMID/IDSA clinical practice guideline. Eur Respir J. 2020 Jul 7;56(1):2000535. doi: 10.1183/13993003.00535-2020.
  • Hwang JA, Kim S, Jo KW, Shim TS. Natural history of Mycobacterium avium complex lung disease in untreated patients with stable course. Eur Respir J. 2017 Mar 8;49(3):1600537. doi: 10.1183/13993003.00537-2016.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar