Residência Médica

Ministério da Saúde anuncia aumento na oferta de vagas e valores de bolsas de residências

Tempo de leitura: 2 min.

Na última quinta-feira, 15, o Ministério da Saúde lançou o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde, que irá contar com o investimento de 258 milhões de reais. 

A meta do plano é aumentar toda a oferta de vagas e valores das bolsas pagas para as residências na área da saúde e também para os preceptores. Além disso, a verba será também será destinada para qualificação e valorização dos profissionais da saúde.

É previsto um aumento de 24% no valor das bolsas dos residentes.Os supervisores passarão a contar com uma bolsa no valor de 1.500 reais. 

Saiba mais: Ministério da Saúde confirma ineficácia do “kit covid” no tratamento contra Covid-19

O Plano Nacional de Fortalecimento das Residências

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, “não se pode ter um sistema de saúde que seja de qualidade se não tivermos profissionais de saúde capacitados.”. Ele ainda complementa: “todos os profissionais de saúde são muito importantes e o Ministério da Saúde remarca esse compromisso com a qualificação”. 

O plano irá tratar como prioridade os residentes médicos e residentes multiprofissionais na saúde. Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional, Saúde Coletiva e Física Médica estão entre as áreas atendidas pelo novo Plano Nacional de Fortalecimento das Residências. 

Como serão as medidas e ações

Segundo o Ministério da Saúde, as ações serão divididas em três eixos, sendo desenvolvidas em diferentes ciclos, de forma trienal.

O eixo 1 traz diversas ofertas para o desenvolvimento de habilidades específicas e irá contar com o investimento de 235 milhões de reais. Entre as iniciativas, estão cursos de gestão e pesquisa em saúde, doenças infecciosas e parasitárias, saúde mental e suporte básico de vida.

Já o eixo 2 irá cuidar da valorização do ensino assistencial, constituído por um corpo de ensino vinculado às instituições que formam os profissionais da saúde. A estratégia deste eixo é focada para o fortalecimento da competência técnica, produção científica e integração entre ensino e serviço, disponibilizando 2 mil vagas para preceptores. O investimento será de 18 milhões de reais.

Veja também: Começou a residência médica? Confira algumas dicas! [vídeo]

Por fim, o eixo 3 irá prover, através de apoio institucional por meio de suporte técnico-pedagógico, a criação, reativação e reestruturação de programas de residência. Cerca de 5 milhões de reais serão destinados a esse eixo, tendo como objetivo ampliar a oferta de novas especialidades nas regiões consideradas prioritárias.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências bibliográficas: 

 

Compartilhar
Publicado por
Luciano Lucas

Posts recentes

Hiperprolactinemia: pontos de atenção [podcast]

A hiperprolactinemia é um aumento de prolactina circulante. Ouça o episódio e saiba os pontos…

11 horas atrás

Aférese terapêutica no ambiente da terapia intensiva: uma revisão narrativa

Neste artigo, focamos na análise da plasmaférese terapêutica (TPE), que é a retirada de plasma…

12 horas atrás

A relação entre Covid-19 e amamentação

Estudos comprovam que mães que já tiveram Covid-19 protegem o lactente do vírus ao transmitir…

13 horas atrás

Os oito subtipos clínicos de pacientes pediátricos com obesidade

A obesidade é uma questão de abrangência mundial. Conheça estudo que classifica os subtipos de…

14 horas atrás

Fatores relacionados à função física um ano após artroplastia total de joelho

Um estudo analisa os fatores associados ao pós-operatório da artroplastia total de joelho em pacientes…

15 horas atrás

Midazolam ou dexmedetomidina intranasais na anestesia pediátrica: Qual apresenta menos eventos adversos?

Um estudo teve o objetivo de avaliar a eficácia do uso intranasal de midazolan e…

16 horas atrás