Residência Médica

Ministério da Saúde anuncia aumento na oferta de vagas e valores de bolsas de residências

Tempo de leitura: 2 min.

Na última quinta-feira, 15, o Ministério da Saúde lançou o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde, que irá contar com o investimento de 258 milhões de reais. 

A meta do plano é aumentar toda a oferta de vagas e valores das bolsas pagas para as residências na área da saúde e também para os preceptores. Além disso, a verba será também será destinada para qualificação e valorização dos profissionais da saúde.

É previsto um aumento de 24% no valor das bolsas dos residentes.Os supervisores passarão a contar com uma bolsa no valor de 1.500 reais. 

Saiba mais: Ministério da Saúde confirma ineficácia do “kit covid” no tratamento contra Covid-19

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

O Plano Nacional de Fortalecimento das Residências

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, “não se pode ter um sistema de saúde que seja de qualidade se não tivermos profissionais de saúde capacitados.”. Ele ainda complementa: “todos os profissionais de saúde são muito importantes e o Ministério da Saúde remarca esse compromisso com a qualificação”. 

O plano irá tratar como prioridade os residentes médicos e residentes multiprofissionais na saúde. Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional, Saúde Coletiva e Física Médica estão entre as áreas atendidas pelo novo Plano Nacional de Fortalecimento das Residências. 

Como serão as medidas e ações

Segundo o Ministério da Saúde, as ações serão divididas em três eixos, sendo desenvolvidas em diferentes ciclos, de forma trienal.

O eixo 1 traz diversas ofertas para o desenvolvimento de habilidades específicas e irá contar com o investimento de 235 milhões de reais. Entre as iniciativas, estão cursos de gestão e pesquisa em saúde, doenças infecciosas e parasitárias, saúde mental e suporte básico de vida.

Já o eixo 2 irá cuidar da valorização do ensino assistencial, constituído por um corpo de ensino vinculado às instituições que formam os profissionais da saúde. A estratégia deste eixo é focada para o fortalecimento da competência técnica, produção científica e integração entre ensino e serviço, disponibilizando 2 mil vagas para preceptores. O investimento será de 18 milhões de reais.

Veja também: Começou a residência médica? Confira algumas dicas! [vídeo]

Por fim, o eixo 3 irá prover, através de apoio institucional por meio de suporte técnico-pedagógico, a criação, reativação e reestruturação de programas de residência. Cerca de 5 milhões de reais serão destinados a esse eixo, tendo como objetivo ampliar a oferta de novas especialidades nas regiões consideradas prioritárias.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências bibliográficas: 

 

Compartilhar
Publicado por
Luciano Lucas

Posts recentes

Dissecção espontânea de coronária: como diagnosticar?

Recentemente foi publicada uma revisão sobre o diagnóstico da dissecção espontânea de coronária. Confira, resumidos,…

4 minutos atrás

Fatores de risco para câncer de mama avançado após 2 anos de mamografia negativa

A mamografia pode reduzir em 15% a 20% a mortalidade por câncer de mama, mas…

1 hora atrás

Relação da disbiose e autismo [podcast]

Dolores Henriques e Paula Hartmann conversam sobre o que há na literatura sobre a relação da…

2 horas atrás

Pré-natal do parceiro: desafios e soluções

O pré-natal do parceiro é uma das formas de inclui-los na paternidade consciente e ativa,…

3 horas atrás

Anemia ferropriva: suplementação de ferro reduz transfusões e tempo de internação 

Estudos analisam a influência da suplementação pré-operatória de ferro sobre resultados cirúrgicos de pacientes com…

4 horas atrás

Avaliação da deficiência de ferro durante a gestação

A deficiência de ferro pode chegar a prevalência de 59% nas gestantes ao redor do…

22 horas atrás