Infectologia

Ministério da Saúde recomenda dose de reforço da vacina da Janssen

Tempo de leitura: 2 min.

O Ministério da Saúde emitiu uma nota técnica (nº61/2021) ontem, 25, recomendando uma dose de reforço para a vacina contra a Covid-19 da Janssen (Ad26.COV2.S). O diferencial do imunizante é o fato de conferir uma boa imunidade com apenas uma dose, mas diante de uma situação de pandemia onde diversos países enfrentam uma nova onda, a recomendação é que seja feita uma segunda aplicação de dois a seis meses após a primeira.

Segundo a nota, um estudo realizado nos Estados Unidos apontou que os níveis de anticorpos aumentaram de quatro a seis vezes mais, quando um reforço foi aplicado dois meses depois, do que o observado após a dose única.

Leia também: Vacinação contra Covid-19 e terceira dose: onde estamos?

Dose de reforço da Janssen

O estudo ENSEMBLE 2 de Fase 3 mostrou que o reforço homólogo do imunizante administrado 56 dias após a primeira forneceu: 100% proteção (CI, 33%-100%) contra covid-19 grave/crítico; 75% de proteção contra covid-19 sintomático (moderado a grave) globalmente (IC, 55% -87%) e 94% de proteção contra covid-19 sintomático (moderado a grave / crítico) nos EUA (CI, 58% -100%) após 14 dias.

Os dados apontados na nota ainda demonstraram que quando um reforço da vacina da Janssen foi dado seis meses após a injeção única, os níveis de anticorpos aumentaram nove vezes em uma semana e continuaram a subir para 12 vezes em quatro semanas após o reforço.

A nota também destaca que o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos já recomenda uma segunda dose para o imunizante, com pelo menos dois meses de distância da primeira.

Posicionamento da Anvisa

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou por unanimidade, no último dia 24, dose de reforço de todos os imunizantes para a população acima de 18 anos. A reunião aconteceu após o Ministério da Saúde expandir a terceira dose para todos os adultos.

Em suas recomendações, a agência considerou que o regime deve ser homólogo para as vacinas AstraZeneca, Pfizer e Janssen, ou seja, um reforço com o mesmo imunizante. O regime heterólogo deve ser priorizado para aqueles que foram imunizados com a Coronavac, sendo preferível uma dose de reforço com vacina de mRNA.

A Anvisa declarou que já recebeu o pedido da Janssen para inclusão da dose de reforço na bula, mas o mesmo ainda está sendo avaliado.

A vacina da Janssen

A Ad26.COV2.S é um uma vacina recombinante de vetor viral, utilizando adenovírus humano não replicante que expressa a proteína S do SARS-CoV2. Sua aprovação no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvia) se deu de forma emergencial, no dia 1º de abril, e a primeira dose foi aplicada em junho.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Clara Barreto

Posts recentes

APPRAISAL: como interpretar os resultados de um estudo clínico?

Nesse texto, trazemos um resumo dos aspectos fundamentais para a correta interpretação de um estudo/artigo…

19 horas atrás

Whitebook: como identificar a candidemia?

Esta semana, noticiamos mais um caso confirmado de Candida auris. Por isso, vamos abordar a…

23 horas atrás

Confira: Profilaxia de TVP atualizado

O Whitebook teve 97 conteúdos atualizados, entre eles Profilaxia de TVP. Saiba os detalhes da…

2 dias atrás

Interpretação da Troponina. Como avaliar o exame? [vídeo]

No episódio de hoje, confira o bate-papo entre especialistas sobre a indicação da troponina. Quando…

2 dias atrás

Medicina Baseada em Evidências: como avaliar um guideline?

Os guidelines são importantes instrumentos na prática médica e em outras profissões relacionadas aos cuidados…

2 dias atrás

Covid-19: OPAS/OMS alerta sobre o uso racional de testes de diagnóstico

A OPAS/OMS emitiu um alerta epidemiológico sobre o uso e priorização dos testes diagnósticos (antígeno…

2 dias atrás