Página Principal > Neurologia > Monoterapia com donepezila VS. combinação com memantina: qual é mais eficaz para Alzheimer?
cerebro sendo apagado com borracha

Monoterapia com donepezila VS. combinação com memantina: qual é mais eficaz para Alzheimer?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A doença de Alzheimer é o tipo de demência mais prevalente, representando mais de 80% dos casos em pacientes de idade média e idosos. Indivíduos com esta condição apresentam perda progressiva de funções intelectivas, com alterações na memória, na capacidade de leitura e execução de tarefas simples do cotidiano.

Cerca de 20% dos pacientes com Alzheimer desenvolvem demência grave e aproximadamente 80% apresentam sintomas neuropsiquiátricos durante o curso da doença, como alucinações, agitação, psicose e alterações do afeto, sendo causas frequentes de institucionalização.

As atuais estratégias de tratamento se concentram principalmente em medicamentos que visam aliviar os sintomas. Memantina e donepezila possuem diferentes mecanismos de ação para doença de Alzheimer. Dados na literatura indicam que, quando o curso da doença evolui para níveis moderados ou graves, os tratamentos combinados são mais eficazes do que um único tratamento para atrasar a degradação das funções cognitivas.

Veja mais: ‘Apresentação clínica do Alzheimer (Conduta médica em neurologia)’

Uma metanálise publicada recentemente no Plos One foi primeiro estudo que comparou os efeitos do tratamento e a segurança da administração de donepezila em monoterapia versus uma combinação de memantina e donepezila para o tratamento de pacientes com doença de Alzheimer moderada a grave, particularmente no que diz respeito às funções cognitivas, sintomas comportamentais e psicológicos da demência, e funções globais.

Para a busca bibliográfica, as seguintes bases de dados foram utilizadas: PubMed, Medline, Embase, PsycINFO. No total, 11 estudos foram incluídos nesta análise. A idade da população avaliada variou de 73,1 a 87,3 anos.

Em comparação com os pacientes que receberam donepezila em monoterapia, aqueles que receberam memantina + donepezila apresentaram melhora limitada nas funções (p<0,001), sintomas comportamentais e psicológicos da demência (p<0,001) e funções globais (p=0,004).

A titulação gradual da memantina mais uma dose fixa e titulação gradual do donepezila, bem como uma dose fixa e titulação gradual da memantina resultaram em melhora limitada nas funções cognitivas (p=0,005), sintomas comportamentais e psicológicos da demência (p=0,001) e funções globais (p=0,001).

Tanto na semana 24 como no momento da avaliação final, a combinação de donepezila e memantina levou a uma maior melhora nas funções cognitivas, sintomas comportamentais e psicológicos da demência e funções globais do que o donepezila em monoterapia em pacientes com doença de Alzheimer moderada a grave.

E mais: ‘Azul de metileno pode impulsionar a memória e a atenção’

Autora:

Revisado por:

 

Referências:

  • Chen R, Chan P-T, Chu H, Lin Y-C, Chang P-C, Chen C-Y, et al. (2017) Treatment effects between monotherapy of donepezil versus combination with memantine for Alzheimer disease: A meta-analysis. PLoS ONE 12(8): e0183586. https://doi.org/10.1371/journal. pone.0183586

2 Comentários

  1. Maelmo Ferreira

    Boa tarde, pode se tratar o TAG com Donepezila? Ou somente para o alzheimer? Grato

  2. Maelmo Ferreira

    bOA TARDE, PODE SE TRATAR O tag COM DONEPEZILA? OU SOMENTE PARA TRATAMENTO DO ALZHEIMER? GRATO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.