Neuromodulação não invasiva: uma nova ferramenta no tratamento da dor crônica - PEBMED

Neuromodulação não invasiva: uma nova ferramenta no tratamento da dor crônica

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Como o próprio nome diz, a neuromodulação é uma técnica empregada com o intuito reorganizar os caminhos (“modulação”) dos neurônios (“neuro”) e suas sinapses no sistema nervoso.

Dentre as técnicas de neuromodulação não invasiva, está a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT (em portugês) ou TMS – Transcranial Magnetic Stimulation). Ela utiliza um aparelho capaz de produzir um campo eletromagnético, o qual atravessa o crânio e estimula uma área cortical próxima. Esse campo eletromagnético gera uma estimulação elétrica (sem eletrodos!) nos neurônios, fazendo com que haja uma movimentação de cargas através da membrana neuronal (lei de Faraday). Esse processo é indolor ao indivíduo.

Neuromodulação não invasiva: uma nova ferramenta no tratamento da dor crônica

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Usos clínicos possíveis

  • Transtornos neuropsiquiátricos (como depressão, alucinações);
  • Doenças neurológicas (como doença de Parkinson, epilepsia)
  • Distúrbios do movimento (como distonias, tiques, gagueira, zumbido)
  • Reabilitação
    • – Dor crônica (como fibromialgia)
    • – Sequelas pós-AVC (como afasias, ataxias)
    • – Disfagia

Os protocolos ainda não foram totalmente consolidados, sendo assim, os níveis de recomendação estão em fase experimental, mas em crescente evidência. Na prática, já são vistos bons resultados da neuromodulação, quando aplicada em conjunto com outras técnicas de tratamento.

Bases fisiológicas

As bases fisiológicas desse efeito ainda não são totalmente esclarecidas, mas acredita-se que haja duas formas de atuação: a primeira é de estimular a atividade (as sinapses) do hemisfério cerebral com a área lesada ou mal funcionante, e a segunda é de inibir a atividade do hemisfério cerebral normal, através de estimulação de baixa ou alta frequência na região cortical alvo.

Leia também: Neuromodulação no tratamento da incontinência fecal

Neuromodulação na dor crônica

Na dor crônica geralmente ocorre uma disfunção das redes neurais do processamento da dor. As técnicas de neuromodulação não invasiva têm o objetivo de promover mudança no padrão cortical (“melhorar o caminho das sinapses neuronais”) e retorno da ativação normal desses centros da dor.

Estudos mostram eficácia nos tratamentos de fibromialgia. Nas dores neuropáticas e dores osteoarticulares crônicas (como cervicalgia ou lombalgia), os resultados ainda são variáveis.

O alívio prolongado da dor pode ser obtido por sessões repetidas ao longo de dias ou semanas.

Conclusão

A neuromodulação não invasiva parece ser uma boa ferramenta no arsenal de tratamento em reabilitação. O desenvolvimento das pesquisas e dos protocolos de tratamento específicos para cada patologia e respostas clínicas poderão dar maior respaldo à técnica.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • Müller VT et al. O que é estimulação magnética transcraniana? Revista Brasileira de Neurologia » Volume 49 » Nº 1 » jan – fev – mar, 2013. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0101-8469/2013/v49n1/a3589.pdf
  • J.P. Lefaucheur. The use of repetitive transcranial magnetic stimulation (rTMS) in chronic neuropathic pain. Neurophysiologie Clinique 36 (2006) 117–124. doi: 10.1016/j.neucli.2006.08.002.
  • O’Connell NE, Marston L, Spencer S, DeSouza LH, Wand BM. Non-invasive brain stimulation techniques for chronic pain. Cochrane Database of Systematic Reviews 2018, Issue 4. Art. No.: CD008208. DOI: 10.1002/14651858.CD008208.pub5.
  • Khedr, Kotb, Kamel, et al. Longlasting antalgic effects of daily sessions of repetitive transcranial magnetic stimulation in central and peripheral neuropathic pain. J Neurol Neurosurg Psychiatry 2005;76:833–838. doi: 10.1136/jnnp.2004.055806
  • J.-P. Lefaucheur et al. The use of repetitive transcranial magnetic stimulation (rTMS) and transcranial direct current stimulation (tDCS) to relieve pain. Brain Stimulation (2008) 1, 337–44. doi: 10.1016/j.brs.2008.07.003
  • J.-P. Lefaucheur et al. Evidence-based guidelines on the therapeutic use of repetitive transcranial magnetic stimulation (rTMS): An update (2014–2018) Clinical Neurophysiology 131 (2020) 474–528. doi: 10.1016/j.clinph.2019.11.002

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar