NEWS2: Nova atualização para avaliação do risco de deterioração em diferentes cenários médicos

Tempo de leitura: 4 minutos.

Na busca pela melhor qualidade e precisão nas decisões médicas no atendimento médico no contexto de urgência/emergência, alguns scores, algoritmos e/ou calculadoras tem sido propostos e utilizadas em diferentes instituições. Alguns dos scores aplicados à beira do leito mais conhecidos, até então, são SOFA e qSOFA (quickSOFA), atualizados pelos Surviving Sepsis guidelines (2017) que são utilizados para avaliar risco de morte (não para o diagnóstico de sepse), especialmente em pacientes com suspeita de infecção e internados em Unidades de Tratamento Intensivo.

Na última década, o Royal College of Physicians propôs o National Early Warning Score (NEWS) publicado inicialmente em 2012, com o intuito de melhor rastrear e categorizar pacientes com doença aguda, admitidos em variáveis tipos de serviços médicos. No decorrer dos anos seguintes, o NEWS foi sofrendo padronizações, atualizações e validações, com reformulação para a versão NEWS2 (2017), e pode ser considerado um dos melhores instrumentos para avaliação do risco fisiológico de deterioração, sendo amplamente empregado em 80% dos hospitais, instituições de saúde e transportes médicos a serviço da National Health Service (NHS) na Inglaterra, sendo sugerido para aplicação em qualquer cenário de cuidado à saúde. Atualmente, NEWS2 foi contextualizado para o manejo de deterioração em pacientes com Covid-19 e já validado em diferentes estudos publicados.

Leia também: Novo algoritmo para avaliar os abortos recorrentes de causas inexplicáveis

Como funciona?

NEWS2 consiste em um sistema de calculadora simples atualizado em que são atribuídos valores a medidas fisiológicas e estado mental já comumente utilizados na prática médica rotineira, quando o paciente é admitido ou segue em monitoramento no hospital. São 6 simples parâmetros fisiológicos que compõem a base do sistema de valores:

  1. Frequência respiratória;
  2. Saturação de oxigênio;
  3. Pressão arterial sistólica;
  4. Frequência cardíaca;
  5. Nível de consciência ou estado confusional novo (desorientação e/ou agitação).

Cada parâmetro acima recebe um valor de 0 a +2 ou +3 (Tabela 1), sendo os valores distribuídos conforme a variância possível das mensurações conforme os piores sinais clínicos. Os valores são então somados, e adicionados 2 pontos para indivíduos que necessitam de oxigênio suplementar para a manutenção da saturação de oxigênio recomendada.

Tabela 1: Escala de valores NEWS2 por parâmetro

Variável Medida Pontos
Frequência respiratória (irpm) ≤ 8 3
9-11 1
12-20 0
21-24 2
≥ 25 3
SpO2 (em ar ambiente ou com suplementação) ≤ 91% 3
92-93% 2
94-95% 1
≥ 96% 0
SpO2 (se o paciente apresenta falência respiratória hipercápnica) ≤ 83% 3
84-85% 2
86-87% 1
88-92%, ≥ 93% em ar ambiente 0
93-94% sob oxigênio suplementar 1
95-96% sob oxigênio suplementar 2
≥ 97% sob oxigênio suplementar 3
Ar ambiente ou oxigênio suplementar Oxigênio suplementar 2
Ar ambiente 0
Temperatura ≤ 35,0 °C 3
35,1-36,0 °C 1
36,1-38,0 °C 0
38,1-39,0 °C 1
≥ 39,1 °C 2
Pressão arterial sistólica (em mmHg) ≤ 90 3
91-100 2
101-110 1
111-219 0
≥ 220 3
Frequência cardíaca (bpm) ≤ 40 3
41-50 1
51-90 0
91-110 1
111-130 2
≥ 131 3
Estado de consciência Alerta 0
Estado confusional novo ou desorientação/agitação, responsivo aos chamados, responde a dor ou não responsivo. 3

A interpretação dos resultados se dá conforme a tabela abaixo (Tabela 2):

Score NEW Risco clínico Frequência de monitoramento Resposta
0 – 4 Baixo – Mínimo de 12/12 horas se o score for 0;

– Mínimo de 4/4 ou 6/6 horas se score entre 1 e 4.

Avaliação pelo profissional de enfermagem competente ou equivalente, para decidir mudança na frequência do monitoramento ou escala de cuidado.
Score de 3 em qualquer parâmetro individual Baixo-médio – Mínimo de 1/1 hora. Revisão urgente por médico para decidir mudança na frequência do monitoramento clínico ou escala de cuidado.
5 – 6 Médio – Mínimo de 1/1 hora. Revisão urgente por médico para decidir mudança na frequência do monitoramento clínico ou escala de cuidado.
≥ 7 Alto – Monitoramento contínuo dos sinais vitais. Avaliação emergencial pela equipe clínica ou time de resposta rápida e transferência para cuidados intensivos ou compatíveis / equivalentes.

Quando usar?

O Royal College of Physicians recomenda NEWS2 nos seguintes cenários:

  • Pré-hospitalar: Para a comunicação do risco de gravidade para os hospitais receptores;
  • Emergência: Triagem, atendimento inicial, e monitoramento seriado;
  • Enfermaria: Atendimento inicial em paciente internado e monitoramento seriado.

Saiba mais: ESC 2019: novo algoritmo para o diagnóstico de IC com fração de ejeção preservada

Recomenda-se o uso da ferramenta NEWS2 para todos os pacientes ≥ 16 anos e não gestantes, ou para os que não apresentem lesão de medula espinhal (especialmente tetraplegia ou paraplegia alta), devido aos distúrbios funcionais de respostas autonômicas. Essa calculadora não deve ser utilizada como um teste, e sim como adjuvante à assistência na decisão clínica, na interface dos cuidados, na comunicação multiprofissional, e no rastreamento/monitoramento dos riscos dos pacientes durante o tempo destinado aos cuidados do doente e direcionamentos. Os objetivos envolvem principalmente a redução da mortalidade especialmente em pacientes de recém-admitidos em cuidados da saúde através da avaliação da gravidade do quadro clínico agudo, detecção de deterioração clínica e início da resposta rápida pela equipe médica multidisciplinar quando necessária.

A versão em português pode ser acessada no Whitebook.

A versão em inglês se encontra no site MDcalc

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Gidari A, De Socio GV, Sabbatini S, Francisci D. Predictive value of National Early Warning Score 2 (NEWS2) for intensive care unit admission in patients with SARS-CoV-2 infection. Infect Dis (Lond). 2020 Oct;52(10):698-704.
  • Quinlan D. NEWS2: supporting and enhancing clinical judgement? Br J Gen Pract. 2020 May 28;70(695):280.
  • Martín-Rodríguez F, López-Izquierdo R, Del Pozo Vegas C, Sánchez-Soberón I, Delgado-Benito JF, Martín-Conty JL, Castro-Villamor MA. Can the prehospital National Early Warning Score 2 identify patients at risk of in-hospital early mortality? A prospective, multicenter cohort study. Heart Lung. 2020 Sep-Oct;49(5):585-591.
  • Royal College of Physicians. National Early Warning Score (NEWS): Standardising the assessment of acuteillness severity in the NHS. Report of a working party. London: RCP, 2012.
  • Royal College of Physicians. National Early Warning Score (NEWS) 2: Standardising the assessment of acute-illness severity in the NHS. Updated report of a working party. London: RCP, 2017. (Additional Guidance in March 2020).
  • Scott LJ, Redmond NM, Tavaré A, Little H, Srivastava S, Pullyblank A. Association between National Early Warning Scores in primary care and clinical outcomes: an observational study in UK primary and secondary care. Br J Gen Pract. 2020 May 28;70(695):e374-e380.
  • Sixt T, Moretto F, Devilliers H, Abdallahoui M, Eberl I, Rogier T, Duong M, Salmon-Rousseau A, Mahy S, Buisson M, Esteve C, Chavanet P, Catherine FX, Blot M, Piroth L. The usefulness of NEWS2 at day 7 of hospitalization in predicting COVID-19 evolution and as an early endpoint in therapeutic trials. J Infect. 2020 Sep 28:S0163-4453(20)30639-3.
Relacionados