Covid-19

Nova combinação subcutânea de anticorpo REGEN-COV para a prevenção da Covid-19

Tempo de leitura: 4 min.

E continuam as diversas investigações e estudos do tipo ensaios clínicos ou observacionais sobre os possíveis novos medicamentos para a profilaxia ou tratamento da infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2, associado à pandêmica síndrome de Covid-19. Dentre os achados favoráveis até o momento, o uso de determinados anticorpos monoclonais têm sido sugerido como uma estratégia alternativa no combate a essa doença ou dos quadros graves.

Desde novembro de 2020, a U.S. Food and Drug Administration (FDA) já tinha autorizado, em caráter emergencial, a instituição do uso da terapia com anticorpos monoclonais na prevenção da prognósticos ruins da doença. O primeiro a ser aprovado foi o uso de Bamlanivimab-Etesevimab para o tratamento de pacientes com Covid-19 não hospitalizados, em até 10 dias desde o início dos sintomas e com quadro leve a moderado sem a necessidade de oxigenoterapia ou usuários crônicos de oxigenoterapia sem descompensação, de forma a prevenir a progressão para a piora clínica e consequente risco de hospitalização. 

A associação Casirivimab com Imdevimab, REGEN-COV (previamente denominado REGN-COV2) têm sido bastante estudada como proposta terapêutica para a prevenção às formas graves de Covid-19. Esses anticorpos monoclonais se ligam de forma não competitiva a epítopos dos domínios da espícula proteica de SARS-CoV-2 ligantes aos receptores da célula hospedeira. Essa combinação apresenta efeito neutralizador potencial contra as principais variantes circulantes, incluindo alfa (B.1.1.7), beta (B.1.351), delta (B.1.617.2), épsilon (B.1.429) ou gama (P.1). Alguns estudos iniciais sugeriram que o uso de REGEN-COV proporciona redução da incidência de hospitalizações por Covid-19. Porém, desconhece-se o potencial profilático quanto a prevenção da infecção por SARS-CoV-2 e o subsequente desenvolvimento da Covid-19 entre indivíduos com alto risco de infecção após exposição com contactantes.

Leia também: Anvisa autoriza uso emergencial do Sotrovimabe para tratamento da Covid-19

Novo estudo com REGEN-COV 

Em setembro desse ano, O´Brien e colaboradores (2021) publicaram um estudo na New England Journal of Medicine, com os detalhes de um ensaio clínico duplo-cego randomizado para a avaliação da utilização subcutânea de Casirivimab com Imdevimab na prevenção da infecção pelo SARS-CoV-2.

O estudo foi realizado com pacientes residente em 112 localidades dos Estados Unidos, Romênia e Moldávia. Para tais objetivos, foram incluídos indivíduos ≥ 12 anos de idade, com rastreio por avaliação de secreção de nasofaringe por RT-qPCR e resultado negativo para SARS-CoV-2 e soronegativos, que apresentavam histórico de contato domiciliar (coabitação por no mínimo os últimos 28 dias) com casos de Covid-19 positivos com diagnóstico recebido até 96 horas antes da inclusão no estudo.

O grupo intervenção recebeu uma dose subcutânea total de 1.200 mg de REGEN-COV e o grupo controle apenas placebo. Foi, então, avaliado o desenvolvimento de doença sintomática com resultado positivo para a detecção viral em até 28 dias de acompanhamento e um follow-up de 7 meses. Em caso de teste positivo, dados adicionais sobre sintomatologia e evolução dos casos foram coletados até a resolução clínica. O critério de cura utilizado foi obtido a partir de dois testes negativos para SARS-CoV-2. 

Saiba mais: Novas tecnologias auxiliam no tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19

Foram incluídos no estudo 1.505 participantes, a média de idade foi de 42,9 anos de idade, 45,9% eram do sexo masculino, o número mediano de residentes coabitantes foi de 3 pessoas. Desses, 1.137 participantes (75,5%) apresentavam critérios de alto risco para Covid-19 grave. Os resultados dessa coorte indicaram que 11 dos 753 (1,5%) participantes do grupo REGEN-COV desenvolveram a infecção pelo SARS-CoV-2 sintomática, enquanto 59 dos 752 (7,8%) indivíduos do grupo controle (placebo) evoluíram para a Covid-19 sintomática, indicando a redução do risco relativo em 81,4%. Tais valores protetores foram ainda mais elevados quando considerados nas semanas 2 a 4 após a administração do medicamento (2 dos 753 do grupo REGEN-COV e 27 dos 752 do grupo placebo, com redução do risco relativo em 92,6%).

Os resultados apontaram que os anticorpos da associação REGEN-COV apresentaram prevenção de infecções assintomáticas e sintomáticas com a redução do risco relativo em 66,4%. Entre os pacientes sintomáticos, a mediana de tempo para a resolução dos sintomas foi de 1,2 semanas para o grupo intervenção e 3,2 semanas para o grupo placebo, assim como houve encurtamento da duração da carga viral alta (> 104 cópias por mL) em 0,4 semanas para o REGEN-COV grupo e 1,3 semanas para o grupo controle. Entre os adolescentes de 12 a 17 anos de idade, a incidência de infecção sintomática por SARS-CoV-2 foi de 0% (0 de 34 participantes) quando comparado ao grupo placebo com taxa de 12% (4 de 34 participantes). Tais resultados favoráveis foram também observados em outras faixas etárias, incluindo > 50 anos com incidência de 2% (6 de 295 participantes) no grupo REGEN-COV e 9,3% (26 de 280 participantes) no grupo controle. Não foram observados efeitos tóxicos ou adversos após a administração da droga. 

Conclusões 

Os resultados desses estudos sustentam e fornecem evidências do potencial uso de REGEN-COV para a prevenção da infecção e da doença sintomática por SARS-CoV-2, com consequente favorecimento do controle da disseminação e transmissão viral. Maiores detalhes sobre esse estudo podem ser vistos na referência abaixo. 

Referências bibliográficas:

  • O’Brien MP, Forleo-Neto E, Musser BJ, Isa F, Chan KC, Sarkar N, Bar KJ, Barnabas RV, Barouch DH, Cohen MS, Hurt CB, Burwen DR, Marovich MA, Hou P, Heirman I, Davis JD, Turner KC, Ramesh D, Mahmood A, Hooper AT, Hamilton JD, Kim Y, Purcell LA, Baum A, Kyratsous CA, Krainson J, Perez-Perez R, Mohseni R, Kowal B, DiCioccio AT, Stahl N, Lipsich L, Braunstein N, Herman G, Yancopoulos GD, Weinreich DM. Covid-19 Phase 3 Prevention Trial Team. Subcutaneous REGEN-COV Antibody Combination to Prevent Covid-19. N Engl J Med. 2021 Sep 23;385(13):1184-1195. doi10.1056/NEJMoa2109682
Compartilhar
Publicado por
Rafael Duarte

Posts recentes

Whitebook – Doença da Arranhadura do Gato (DAG)

A DAG é desenvolvida pelo contato da pele humana com as unhas ou a língua…

2 dias atrás

Vaginose bacteriana: como identificar e abordar essa condição?

A vaginose bacteriana (VB) é a causa mais comum de corrimento vaginal em mulheres na…

2 dias atrás

Mais de 30 conteúdos novos no Whitebook; confira

Esta semana, o Whitebook ganhou 33 conteúdos novos. Além disso, 170 foram atualizados. Veja os…

2 dias atrás

Explorando emoções e percepções do paciente

Na terceira publicação da série Comunicação Médica, abordamos a importância da valorização das emoções na…

2 dias atrás

Informe-se sobre o piso salarial da enfermagem

A lei 14.434 institui o piso salarial de enfermagem, para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares…

2 dias atrás

Hemorragia pós-parto: Quais são os fatores de risco para falha do tamponamento intrauterino?

Um trabalho revisou quais fatores poderiam facilitar a falha do tamponamento por balão em pacientes…

2 dias atrás