Leia mais:
Leia mais:
Check-up Semanal: tuberculose pulmonar na Covid-19, constipação induzida por opioides e mais! [podcast]
Fluoroquinolonas x risco de aneurisma e dissecção de aorta
Aneurisma cerebral: novo tipo de stent alemão é testado no Brasil
Tratamento endovascular de aneurismas intracranianos com stent diversores de fluxo.
O que fazer com microaneurismas cerebrais que não romperam?

Novo modelo para ajudar na avaliação do risco de ruptura de um aneurisma intracraniano

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A maioria das hemorragias subaracnóideas (HSA) são causadas por aneurismas saculares intracranianos rompidos. A prevalência destes aneurismas por séries radiográficas e de autópsias é estimada em 3,2% em uma população sem comorbidade, idade média de 50 anos e razão de gênero de 1:1. Dos pacientes com aneurismas cerebrais, 20 a 30% têm múltiplos aneurismas.

A HSA aneurismática ocorre em uma taxa estimada de 6 a 16 por 100.000 habitantes. Acredita-se que a ruptura de um aneurisma intracraniano seja responsável por 0,4 a 0,6 % de todas as mortes. Aproximadamente 10% dos pacientes morrem antes de chegar ao hospital, e apenas um terço tem um “bom resultado” após o tratamento.

Leia também: Aneurisma cerebral: novo tipo de stent alemão é testado no Brasil

A maioria (aproximadamente 85%) localiza-se na circulação anterior, predominantemente no polígono de Willis. Os locais comuns incluem a junção da artéria comunicante anterior com a artéria cerebral anterior, a junção da artéria comunicante posterior com a artéria carótida interna e a bifurcação da artéria cerebral média. Os locais de circulação posterior geralmente incluem o topo da artéria basilar, a junção da artéria basilar e as artérias cerebelares superior ou anterior inferior e a junção da artéria vertebral e da artéria cerebelar posterior inferior.

Há uma preponderância feminina para aneurismas variando de 54 a 61%. Em populações com mais de 50 anos, o aumento da prevalência em mulheres pode se aproximar de uma proporção de 2:1 ou mais.

Novo modelo para ajudar na avaliação do risco de ruptura de um aneurisma intracraniano

Como estimar o risco de ruptura de um destes aneurismas ?

Segundo o estudo publicado on-line no JAMA Neurology, é importante considerar algumas características anatômicas do aneurisma, e esses dados podem ajudar os médicos a estimar o risco de ruptura, se o crescimento for detectado na imagem.

Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo, dados de pacientes individuais foram obtidos de 15 coortes no Canadá, China, Japão, Finlândia, Alemanha, Holanda e Reino Unido.

Os pesquisadores incluíram pacientes com 18 anos ou mais com pelo menos um aneurisma craniano não roto com crescimento detectado na imagem e com um dia ou mais de acompanhamento após este ser detectado. O crescimento foi definido como um aumento de 1 mm ou mais em uma direção na angioressonância, angiotomografia ou angiografia digital.

De um total inicial de 5.166 pacientes das coortes do estudo, 4.827 foram excluídos da nova análise porque nenhum crescimento foi detectado durante o acompanhamento e 27 foram excluídos porque tiveram menos de um dia de acompanhamento após o crescimento ser detectado. Isso deixou 312 pacientes com 329 aneurismas com crescimento detectado. Os pacientes tinham em média 61 anos, e 71% (233) eram mulheres.

O desfecho primário foi a ruptura do aneurisma. O risco absoluto de ruptura após o crescimento foi de 2,9% em seis meses, 4,3% em um ano e 6% em dois anos.

Os pesquisadores descobriram que os principais preditores de ruptura foram o tamanho do aneurisma em 7 mm ou mais, uma forma irregular e sua localização na artéria cerebral média. Quando eles conectaram esses fatores em seu “modelo de previsão”, a pontuação de risco de um ano, varia de 2,1 a 10,6%.

Quando comparado os resultados com o risco de ruptura de acordo com a pontuação PHASES* para aneurismas recém-detectados, o risco de ruptura de um ano após a detecção do crescimento é maior do que o risco de ruptura após cinco anos.

Conclusão

Apesar das inúmeras limitações de um estudo como este… ele fornece informações adicionais para consideramos ao orientar nossos pacientes sobre risco de ruptura versus risco de intervenção no cenário de um aneurisma não roto. O modelo de previsão apresentado no artigo é baseado em três principais preditores de ruptura — tamanho, forma e localização — porém outros fatores também devem ser considerados, como histórico médico do paciente, idade e histórico familiar.

Os riscos associados à intervenção muitas vezes podem ser menores do que o risco de ruptura após o crescimento do aneurisma ser detectado, particularmente à medida que as opções endovasculares para o tratamento dos aneurismas avançam.

Saiba mais: Tratamento endovascular de aneurismas intracranianos com stent diversores de fluxo.

Embora médicos e pacientes possam decidir acompanhar e monitorar periodicamente um aneurisma quando identificado pela primeira vez, o estudo ressalta a necessidade de “reconsiderar o tratamento após a detecção do crescimento do aneurisma”. A hemorragia subaracnóidea resultante de uma ruptura de aneurisma intracraniano pode ser fatal.

*A pontuação PHASES – que calcula o risco absoluto de ruptura de um aneurisma não roto em cinco anos – avalia seis fatores de risco estatisticamente significativos: população, hipertensão, idade, tamanho do aneurisma, hemorragia subaracnóidea anterior de outro aneurisma e o local do aneurisma.

Referências bibliográficas:

  • Van der Kamp LT, Rinkel GJE, Verbaan D, et al. Risk of rupture after intracranial aneurysm growth. JAMA Neurol. 2021;78(10):1228-1235. doi:10.1001/jamaneurol.2021.2915
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.