Novo teste rápido de Covid-19 em saliva é lançado no Brasil

Tempo de leitura: 2 min.

Recentemente publicamos aqui no portal sobre o estudos que estavam sendo feitos para viabilizar o teste rápido de Covid-19 na saliva. Esta semana, a mídia divulgou que um dos testes de saliva chegou ao Brasil e está em vias de ser comercializado.

O teste meuDNA Covid, busca o vírus em sua fase ativa e tem como proposta o acompanhamento de pessoas que retornaram às atividades e necessitam de exames sequenciais.

O teste pode ser realizado pela própria pessoa em casa, com um kit que pode ser comprado na internet. A expectativa é que ele custe 169 reais e esteja disponível no estado de São Paulo. A empresa recolherá a amostra em casa e o resultado será acessado pela internet.

O novo teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara. Porém, o RT-PCR (swab nasal) continua sendo considerado padrão-ouro para detecção do vírus, apesar de ser mais caro (470 reais), invasivo e doloroso.

Testes de Covid-19 em saliva

Um destes testes da saliva (Saliva Director Covid-19) já recebeu autorização da americana Food and Drug Administration (FDA).

Também foi publicado um artigo a este respeito no New England Journal of Medicine. Neste estudo, entre um a cinco dias após o diagnóstico, 81% das amostras de saliva foram positivas, em comparação com 71% das amostras de esfregaço nasofaríngeo, o que sugeriu sensibilidade semelhante entre as amostras.

A coleta de amostras de saliva tem algumas vantagens, como eliminar a necessidade de interação direta entre profissionais de saúde e pacientes, além de aliviar a demanda por suprimentos de cotonetes e equipamentos de proteção individual. Outro ponto a ser considerado é que o procedimento da coleta é muito simples e nada doloroso.

Aguardamos novas informações sobre a sensibilidade e especificidade do teste de saliva comercializado no Brasil.

Mensagem prática

  1. Um novo teste para Covid-19, que pode ser feito com a saliva, está disponível para venda no Brasil.
  2. Apesar de ser mais prático e barato, ainda precisamos de mais informações sobre sensibilidade e especificidade.
  3. O teste padrão-ouro continua sendo o RT-PCR (swab nasal).

Referências bibliográficas:

Relacionados