Leia mais:
Leia mais:
Novo tratamento para mesotelioma é aprovado nos Estados unidos

Novo tratamento para mesotelioma é aprovado nos Estados unidos

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Foi aprovado pela Agência Federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos o uso comercial do primeiro tratamento de mesotelioma em 15 anos. Trata-se de um dispositivo que trata de tumores (TTF) em combinação com quimioterapia e Pemetrexede para o tratamento de primeira linha do mesotelioma pleural maligno (MPM) irressecável, localmente avançado ou metastático.

O chamado NovoTTF-100L System (Novocure) é o primeiro tratamento para MPM aprovado desde que o Pemetrexed foi aprovado em 2004. A terapia contra tumores utiliza campos elétricos para interromper a divisão celular do tumor sólido. Anteriormente, a FDA aprovou o Optune, outro sistema de fornecimento TTF da Novocure, para o tratamento do glioblastoma em 2011.

O MPM é um câncer raro, mas agressivo, fortemente associado à exposição ao asbesto (amianto). Antes da nova aprovação, o Pemetrexedo mais cisplatina foi a única terapia aprovada pela FDA para pacientes com MPM irressecável, de acordo com uma declaração da empresa. O novo dispositivo para MPM foi aprovado sob a isenção de dispositivo humanitário, criado para incentivar a inovação em doenças raras.

Metodologia

A aprovação do FDA foi baseada nos resultados do STELLAR, um estudo prospectivo, de braço único de NovoTTF-100L + quimioterapia de primeira linha em pacientes com MPM irressecável. No estudo, 80 pacientes MPM irressecáveis ​​tratados com TTF e quimioterapia apresentaram uma sobrevida global mediana (OS) de 18,2 meses. No entanto, o Novocure reconheceu que a eficácia deste dispositivo para este uso não foi demonstrada.

Leia maisDerrame pleural: veja como é feito o diagnóstico com exames de imagem

A mediana da OS foi de 21,2 meses para pacientes com MPM epitelioide (n = 53) e 12,1 meses para pacientes com MPM não epitelioide (n = 21). Mais da metade (62%) dos pacientes estavam vivos em um ano. A taxa de resposta global foi de 40% (todas as respostas parciais). Além disso, 57% apresentavam quadro estável. Os restantes 3% dos pacientes tinham doença progressiva. Pelo menos uma tomografia computadorizada de acompanhamento foi realizada na maioria dos pacientes (n = 72). A sobrevida livre de progressão mediana foi de 7,6 meses.

Resultados

Os resultados do estudo mostraram que o NovoTTF-100L pode ser combinado com quimioterapia, pois não houve aumento de eventos adversos sistêmicos graves quando as duas modalidades foram unidas. O efeito colateral mais comum relacionado ao tratamento foi uma irritação de pele de leve a moderada.

“Normalmente, os pacientes com mesotelioma que não podem ser submetidos à cirurgia recebem cuidados paliativos para mitigar os seus sintomas. O NovoTTF-100L fornece pacientes com mesotelioma pleural maligno irressecáveis ​​com uma opção de tratamento que pode melhorar a sobrevida”, disse Mary Hesdorffer, diretora executiva da Mesothelioma Applied Research Foundation, em um comunicado de imprensa.

Amianto: um problema de saúde pública

É importante que os médicos alertem os seus pacientes para os riscos envolvidos pela exposição ao amianto também aqui no Brasil. Contar com profissionais especialistas nessa área seria vital para que houvesse um maior controle dos casos de doenças causadas pelo asbesto (amianto).

Essa substância traz sérias consequências para a saúde que podem ser fatais. O seu uso controlado não é o ideal, mas é importante para os países que até agora não optaram para o banimento do amianto, como o Brasil.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar