Categorias: Cardiologia

Novos anticoagulantes orais: comparando as complicações

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

Atualmente, médicos podem escolher entre diversos anticoagulantes orais para tratamento da fibrilação atrial (FA) e do tromboembolismo venoso. Uma revisão da Mayo Clinic comparou a eficácia e a segurança dos três fármacos mais prescritos para pacientes com FA não valvular: dabigatrana, apixabana e rivaroxabana.

A comparação entre rivaroxabana-dabigatrana teve 15.800 pacientes em cada grupo e as comparações de apixabana-dabigatrana e apixabana-rivaroxabana apresentaram cerca de 6.500 pacientes em cada grupo.

Para prevenir acidente vascular cerebral ou embolia sistêmica, os três medicamentos tiveram performances semelhantes. No entanto, para o sangramento maior que requer a admissão hospitalar, foram observadas as seguintes diferenças estatisticamente significativas:

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

– Mais eventos com rivaroxabana do que com dabigatrana (cerca de mais 1 por 100 pessoas-ano)
– Menos eventos com apixabana do que com dabigatrana (cerca de menos 1 por cada 100 pessoas-ano)
– Menos eventos com apixabana do que com rivaroxabana (cerca de menos 2 por cada 100 pessoas-ano)

Para o sangramento gastrointestinal, os achados foram semelhantes aos apresentados acima. Para episódios hemorrágicos intracranianos, ocorreram significativamente mais eventos com rivaroxabana do que com dabigatrana (0,53 versus 0,26 por 100 pessoas-ano; p = 0,02).

Veja também: ‘Podemos confiar nos novos anticoagulantes?’

Referências:

  • Noseworthy PA et al. Direct comparison of dabigatran, rivaroxaban, and apixaban for effectiveness and safety in nonvalvular atrial fibrillation. Chest 2016 Dec; 150:1302. (https://dx.doi.org/10.1016/j.chest.2016.07.013)
  • Abraham NS et al. Gastrointestinal safety of direct oral anticoagulants: A large population-based study. Gastroenterology 2016 Dec 31; [e-pub]. (https://dx.doi.org/10.1053/j.gastro.2016.12.018)
  • DRUG RESEARCH 2017 ROUNDUP. Available at: https://secure.jwatch.org/resources/generic_pages/special_offer/images/JW_Drug_Research_Roundup.pdf
Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

Dia nacional de conscientização sobre retinoblastoma: o que eu preciso saber sobre esse tumor?

Dia 18 de setembro é o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce…

1 hora atrás

Whitebook: Dia Mundial da Sepse

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision vamos fazer a apresentação…

5 horas atrás

Origens e fundamentos da MBE – Parte 1: Relação entre o tratamento precoce com antibióticos para sepse e ida à feira

Nesse artigo, vamos analisar mais detalhadamente o primeiro princípio fundamental da medicina baseada em evidências…

7 horas atrás

Infecção puerperal e sepse materna: um evento prevenível?

A sepse puerperal é cinco causas mais frequentes de morte materna no mundo, sendo responsável…

21 horas atrás

Podcast Integrado: O papel do SUS para o profissional de saúde [podcast]

Confira o podcast dos canais da PEBMED sobre o papel do SUS para o profissional…

22 horas atrás

O que pode te ajudar no tratamento do paciente séptico?

Como manejar o paciente séptico do ponto de vista hemodinâmico ao longo das próximas horas…

23 horas atrás