Hepatologia

Novos tipos de vasos sanguíneos foram descobertos em nossos ossos

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Novos tipos de vasos sanguíneos foram descobertos em nossos ossos. A descoberta foi feita pela equipe de Matthias Gunzer, da Universidade de Duisburg-Essen, na Alemanha. Antes desconhecidos, esses vasos atravessam a superfície óssea até porções mais internas, e, podem então, não só esclarecer doenças como a osteoporose, mas também condições que envolvem o sistema imunológico. Mas por que o sistema imunológico?

A medula óssea é onde as células do sistema imunológico são produzidas, e nos camundongos os vasos trans-corticais se tornaram uma rota-chave para as células do sistema imunológico circularem. Logo, o mesmo pode acontecer para as pessoas, diz Gunzer.

Foram utilizados produtos químicos em um osso de rato com vistas à torná-lo transparente. Minúsculos vasos sanguíneos que atravessavam o eixo ósseo podiam ser vistos. No osso da perna do animal, foram observados milhares de capilares, apelidados pelos pesquisadores de vasos trans-corticais.

Já se sabia da existência de alguns vasos sanguíneos que entravam no osso pelas extremidades ou pela metade de sua superfície. Entretanto, os capilares recém-encontrados cobrem todo o osso, compondo a maior parte do suprimento.

Ao estudar pequenos fragmentos de fêmur do ser humano, também foram encontrados os mesmos vasos trans-corticais. Pela existência de outros tipos de vasos, os recém-descobertos podem, no entanto, representar menor porcentagem da circulação ósseas total.

Leia mais: Cientistas consertam fraturas com ossos impressos em 3D

Gunzer reagiu assim a essa descoberta: “É totalmente louco, ainda há coisas para descobrir sobre anatomia humana. Descobrimos vasos sanguíneos em um lugar novo que não conhecíamos antes”. Após anos de estudos contínuos, em especial aos avanços que ocorreram durante as Grandes Guerras Mundiais, não se esperam mais grandes descobertas na área de anatomia humana, mas até hoje novos tecidos ou órgãos vêm à tona ocasionalmente.

No ano passado, outro grupo descobriu que camundongos têm capilares semelhantes entre tecido cerebral e medula óssea no interior das placas que constituem o crânio. Ao induzir um acidente encefálico ou meningite nos roedores, as células do sistema imunológico do crânio usaram essa rota para chegar ao cérebro, presumivelmente em resposta ao dano. Porém ainda não se sabe se o ser humano tem esses vasos no crânio.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Caroline Mafra de Carvalho Marques
Tags: ossos

Posts recentes

Sepse: devo acompanhar o lactato? (caso clínico)

Imagine o seguinte cenário: Paciente ALN, feminino, 62 anos, compareceu à emergência com queixa de…

1 hora atrás

Hipertensão arterial na APS [podcast]

Neste episódio, saiba mais sobre pontos importantes da APS no atendimentos aos pacientes com hipertensão…

3 horas atrás

Nutrição parenteral precoce pós-operatória reduz risco de infecção nosocomial

Estudos mostram benefício da associação de VE e VO na nutrição parenteral no pós-operatório de…

4 horas atrás

Imiquimode tópico versus cirurgia para neoplasia intraepitelial vulvar

Um estudo publicado no Lancet testou a eficiência do imiquimode no tratamento da neoplasia intraepitelial…

5 horas atrás

ATS 2022: Novas diretrizes para o manejo da fibrose pulmonar idiopática (FPI)

O guideline de 2018 para manejo da FPI acaba de ser atualizado e publicado recentemente.…

6 horas atrás

ATS 2022: uso de albuterol-budesonida combinado como terapia de resgate na asma

Um novo estudo, apresentado e publicado no ATS 2022, avaliou o uso de uma combinação…

7 horas atrás