Leia mais:
Leia mais:
As taxas de infecção aumentam com o uso de técnicas de esterilização de uso imediato?
Anastomose intracorpórea promove recuperação intestinal mais precoce após colectomia laparoscópica
Nutrição parenteral precoce pós-operatória reduz risco de infecção nosocomial
Estenose aórtica importante: quando preferir tratamento cirúrgico?
Histopatológico e vesícula biliar

Nutrição parenteral precoce pós-operatória reduz risco de infecção nosocomial

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

O status nutricional de pacientes submetidos a cirurgias abdominais influencia diretamente no desfecho pós-operatório (PO). Sempre que possível, deve-se optar pela via alimentar mais fisiológica para aporte calórico, sendo a via enteral (VE) escolhida na impossibilidade da via oral (VO). No entanto, a tolerabilidade da VE é muitas vezes limitada após cirurgias abdominais de grande porte, o que restringe o aporte calórico ofertado por essa via. Nesse contexto, principalmente em pacientes com elevado risco nutricional, é necessário instituir meios complementares de aporte calórico, a exemplo da nutrição parenteral (NP).

nutrição parenteral

Estudo

Estudos recentes têm mostrado benefício da associação dessas duas vias em pacientes desnutridos, ao reduzir complicações com potencial de se tornarem graves, como infecção nosocomial. Apesar disso, não há consenso sobre período e forma adequada do uso concomitante dessas terapias.

Para elucidar a questão, foi feito um estudo multicêntrico randomizado que avaliou 230 pacientes (60 anos de idade em média e 61% do sexo masculino) submetidos a cirurgias eletivas gástricas, colorretais, hepáticas e pancreáticas. Todos apresentavam elevado risco nutricional (pontuando 3 ou mais no Nutritional Risk Screening 2002) e não toleravam mais que 30% da cota calórica diária por VE no 2º PO. A suplementação parenteral precoce (SPP) foi administrada em 50% dos pacientes e no restante foi iniciada a suplementação parenteral tardiamente (SPT). Ou seja, o aporte calórico complementar parenteral foi fornecido a partir do 3º e 8º dia após a cirurgia, nesta ordem. Isso refletiu em aporte calórico superior no grupo SPP entre o 3º e 7º dia (26,5 kcal/kg/dia vs 15,1 kcal/kg/dia no grupo SPT).

O desfecho primário avaliado foi incidência de infecção nosocomial entre o 3º PO e alta hospitalar, e foi significativamente menor no grupo SPP (8,7% vs 18,4% no grupo SPT). Mesmo nos pacientes que evoluíram com infecção nosocomial, o período de antibioticoterapia foi menor no grupo SPP (6 dias vs 7 dias no grupo SPT). Complicações não infecciosas e efeitos adversos também foram avaliadas, sem diferença significativa entre os grupos. Na alta hospitalar foi observado valor maior de albumina e pré-albumina no grupo SPP (3,5 e 15,8 vs 3,3 e 13 no grupo SPT).

Assim, a conclusão foi que o perfil de paciente com elevado risco nutricional submetido a cirurgias abdominais eletivas de grande porte e que não tolera VE é beneficiado com a associação precoce, especificamente no 3º PO, de NP com redução de infecção nosocomial e, como efeito, de morbimortalidade e tempo de internação hospitalar.

Leia também: Quando indicar a nutrição parenteral em pacientes graves?

O que levar para casa

Para ter bons resultados, é essencial compreender que a cirurgia em si é apenas uma peça da engrenagem, isto é, tratar cirurgicamente uma patologia abdominal. Outra peça fundamental é a otimização nutricional do paciente no perioperatório, a qual vem sendo reforçada hoje por meio de protocolos como Strong for Surgery e Enhanced Recovery after Surgery (ERAS). Aplicar esses conceitos, usando as ferramentas disponíveis caso necessário, a exemplo da SPP, vai melhorar a performance do paciente, fator decisivo no desfecho de cirurgias abdominais.

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
# Gao X, Liu Y, Zhang L, Zhou D, Tian F, Gao T et al. Effect of Early vs Late Supplemental Parenteral Nutrition in Patients Undergoing Abdominal Surgery. JAMA Surgery. 2022;157(5):384
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.