O desafio #1 da medicina no séc. XXI: aderência ao tratamento

Apresentamos os desafios para reduzirmos desperdício, porém existe um que urge diariamente nos atendimentos hospitalares: má aderência ao tratamento.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O maior desafio da medicina neste século diz respeito a controle do custo. Dentre os principais vilões que impactam nesta questão, destacamos o desperdício e a ineficiência do sistema (responsáveis por 30% dos gastos) como os mais palpáveis de resolução. Apresentamos na última semana 10 desafios para reduzirmos o desperdício, porém existe um 11º que urge diariamente nos atendimentos hospitalares e na relação médico paciente: má aderência ao tratamento.

Em um mundo ideal, pacientes procuram médicos para um atendimento ambulatorial, onde ocorre o diagnóstico, um tratamento é definido, e uma terapia medicamentoso é ou não prescrita. O paciente sai do consultório, procura uma farmácia, encontra e compra o tratamento medicamentoso ou consegue acesso aos serviços não medicamentosos. Inicia a tomada do mesmo de maneira correta, religiosamente, sem faltar ou pular dose, até curar-se ou melhorar em qualidade de vida. Mas, isso só ocorre com 100% dos pacientes em um mundo ideal.

No mundo real da terapêutica clínica estima-se que 25 a 50% dos pacientes não aderem ao tratamento da maneira correta (dependendo do tipo de tratamento e duração). Pacientes em tratamento para prevenção secundária, estima-se que após um anos terapia, quase 80% destes abandonam a prescrição médica. As principais doenças relacionadas a má aderência são: doenças cardiovasculares, DPOC, asma, depressão, diabetes e AIDS.

Todos os anos a bilhões de dólares são desperdiçados devido ao ciclo da não aderência ao tratamento. Estima-se que ele seja responsável por 10% do custo do sistema de saúde. Esta má aderência conduz a um ciclo onde cada vez menos aderentes, piores são os resultados, mais utiliza-se o sistema e, por fim, mais os custos aumentam. Veja abaixo:

As causas para a interrupção são multifatoriais: custo dos medicamentos e tratamentos, fornecimento inadequado de medicações, efeitos indesejáveis, dificuldade para marcação de consultas, falta de informações sobre a finalidade da medicação, e os riscos de interrompê-la, indisciplina, baixa escolaridade, negação e dificuldades no relação médico-paciente.

Nós médicos, muitas vezes, fazemos parte do fator causal ao entregarmos a receita e esperarmos que o paciente sozinho, sem analisarmos aspectos bio-psico-sócio-culturais, será preciso e disciplinado para o tratamento.

Como podemos solucionar este problema?

Ao pensarmos em má aderência ao tratamento passamos por diversos fatores causais. Percebemos que estes fatores são relacionados a motivos externos e do sistema, motivos do médico e do paciente.

Portanto, o desenvolvimento de soluções para aumentar a aderência e ajudar pacientes a terem melhor qualidade de vida, além de poupar bilhões de reais do sistema de saúde, envolve ações multifatoriais aonde a tecnologia pode ter um papel essencial para desenvolvimento prático. Alguns dos pontos a serem atacados seriam:

  1. Reduzir a distância entre médicos, sistema de saúde e pacientes;
  2. Caracterizar informações do tratamento e dados comportamentais dos pacientes, conectando médicos com troca de experiências;
  3. Adaptações socioculturais no ato da prescrição e tratamento do paciente;
  4. Desenvolvimento de novos modelos de saúde que incentivem o uso de tecnologias;
  5. Disseminar educação e informação, modelos de orientação mais precisos e maior disponibilidade para responder as dúvidas do paciente;
  6. Otimizar o fornecimento de medicações, com redução de custos e estoques inteligentes, com reposição automática de medicações;
  7. Premiar prestadores de serviço por resultados em aderência terapêutica;
  8. Aumentar a flexibilidade na relação medicina e tecnologia.

O paradoxo tecnológico e o que vem a seguir

Hoje a tecnologia avança de uma maneira muito mais acelerada do que há 50 anos atrás. Estamos observando o surgimento de novas soluções, empresas, startups e softwares, que contra previsões de solidez aplicadas no século XX, derrubam e competem facilmente com as antigas soluções antes consagradas.

Na medicina apesar dos altos gastos para desenvolvimento de novas tecnologias diagnósticas e terapêuticas, ainda podemos ver que estamos atrás de outros setores como financeiro, transportes, entretenimento, na criação de soluções de dia a dia. Desta maneira, é fácil pensarmos que soluções tecnológicas, para a rotina profissional, de hospitais e pacientes, serão a chave mestra da redução de custos e criação de sistemas de saúde mais sustentáveis.

Entretanto, quando falamos de tecnologia e saúde, um paradoxo envolvendo gastos imediatamente se instala. A verdade é que hoje novas ou aumento do uso de tecnologia na rotina médica, já são responsáveis por 40 a 50% do aumento de custo anual no sistema de saúde americano, e controlar essa implementação de tecnologias de grande porte para diagnóstico e tratamento é parte da estratégia da redução de gastos.

O desafio está muito além do que foi descrito. Precisamos dar o primeiro passo em direção a sua conscientização de importância em termos ações mais coerentes e sustentáveis. Precisamos construir o mundo do amanhã, onde a tecnologia aliada a educação, de uma maneira sustentável, possa nos levar aos melhores resultados em saúde, com uma medicina mais barata e acessível para qualquer pessoa.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  1. Iuga AO, McGuire MJ. Adherence and health care costs. Risk Management and Healthcare Policy. 2014;7:35-44. doi:10.2147/RMHP.S19801.
  2. eHealth Initiative 2020 Roadmap
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades

Tags