O médico e a reforma trabalhista: qual será o rumo das nossas carreiras?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Há menos de um mês, entrou em vigor a reforma trabalhista e já podemos ver seu reflexo na Saúde. Se já era difícil conseguir um emprego que nos trouxesse segurança financeira na área da saúde, com a nova legislação, o cenário complicou ainda mais.

Não tenho dúvidas que os currículos de Medicina deveriam conter matérias de educação financeira e planejamento de carreira. Como posso entrar no mercado de trabalho sem saber a diferença de trabalhar com carteira assinada ou como PJ? Como posso querer ganhar dinheiro sem ao menos saber como se declara um imposto de renda? Como planejar meu futuro se não tenho claras minhas opções de carreira?

A realidade é que boa parte dos médicos pegam seu tão sonhado carimbo sem ter a mínima noção de como responder as perguntas acima. Somos levados pela onda de estudar muito e fazer imediatamente a residência, mas muitas das vezes não sabemos exatamente aonde queremos chegar. Com o cenário atual, precisamos pensar bem sobre quais caminhos tomaremos em nossas carreiras. Há algumas dicas importantes que devem ser consideradas:

1) Estabeleça seus objetivos, não “deixe a vida te levar”

É essencial que tenhamos traçadas nossas metas e sonhos. É fato que devemos saber aproveitar as oportunidades, melhor ainda é criá-las. Caso você ainda esteja na graduação, por exemplo, aproveite seus estágios para semear futuras oportunidades de emprego. Trace metas a curto e longo prazo, comprometa-se a cumpri-las.

2) Pense sobre estabilidade financeira

Está cada vez mais difícil para o médico conseguir empregos que tragam estabilidade e um plano de carreira. Os concursos públicos estão escassos e a tendência é que a carteira assinada torne-se em breve uma relíquia. Os vínculos com hospitais particulares são frágeis. Uma das poucas carreiras que ainda trazem tranquilidade nesse sentido é a militar, porém para segui-la é necessário que se tenha perfil e consciência de que a carga horária costuma ser pesada.

3) Viva no seu próprio tempo

Temos a tendência a querer seguir os caminhos que todos seguem. Formatura, carimbo, R1, R2, R3, R4… você precisa mesmo entrar na residência assim que forma? É obrigado a fazer cursinho no último ano de internato? Tem certeza da especialidade que escolheu?

4) Invista na sua aposentadoria

O médico tem uma formação longa, então até começar a trabalhar, já se passaram anos sem nenhum tipo de contribuição para se aposentar. Para os que trabalham como autônomos, a opção é pagar uma previdência privada ou investir bem o dinheiro recebido. A carreira militar nesse quesito também surge como uma opção interessante, por ser uma das poucas em que ainda se aposenta com o salário integral. Independentemente da opção escolhida, é necessário ressaltar que esse planejamento deve ser feito logo no início da carreira. Começar a pagar a previdência pública ainda na faculdade pode ser uma ótima opção caso você tenha como meta um emprego público, pois é possível somar este tempo de contribuição e aposentar mais cedo.

5) Amplie sua rede de networking

O networking é a sua rede de contatos profissionais, um componente indispensável para o planejamento de carreira, sendo determinante para o desenvolvimento profissional. Por meio do networking, é possível fortalecer a reputação, conseguir bons empregos e encontrar novas oportunidades de negócios.

Não existe uma prescrição única para garantir uma carreira de sucesso, mas existem decisões que podem influenciar nos seus resultados. Planejar é importante, ainda mais no contexto de instabilidade financeira que vive o nosso país. Para isso, é essencial elaborar um plano de carreira considerando talentos, motivações e sonhos.

É médico e também quer ser colunista do Portal PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autora:

Compartilhar
Publicado por
Dayanna de Oliveira Quintanilha

Posts recentes

A sustentação de carga ou mobilidade precoce após fraturas de tornozelo aumentam a chance de complicações?

As fraturas de tornozelo são lesões ortopédicas comuns, sendo tratadas, quando há indicação cirúrgica, com…

51 minutos atrás

Qual a melhor opção de troca valvar aórtica em pacientes renais com estenose da valva?

Foi realizada uma análise de subgrupo para avaliar os desfechos da troca valvar cirúrgica e…

2 horas atrás

27 de setembro: Dia Nacional da Doação de Órgãos

O Dia Nacional da Doação de Órgãos visa conscientizar sobre a importância das doações e,…

3 horas atrás

Cirurgia bariátrica passa a ser classificada como eletiva essencial pelo Ministério da Saúde

A cirurgia bariátrica foi classificada como um procedimento eletivo essencial pelo Ministério da Saúde e,…

4 horas atrás

Uso de paracetamol durante a gestação deve ser cauteloso

Estudo analisou as repercussões do uso de paracetamol durante a gravidez e seus potenciais efeitos…

5 horas atrás

Doação de órgãos no Brasil: como estamos caminhando durante a pandemia?

O mês de setembro é conhecido como “setembro verde” por incentivar a doação de órgãos…

6 horas atrás