Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / O uso de betabloqueadores em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica
medicamentos variados junto de betabloqueadores

O uso de betabloqueadores em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

A estimulação de receptor beta-adrenérgico no pulmão e brônquios promove broncodilatação, sendo uma das bases fundamentais do tratamento de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Seria esperado então, que o bloqueio desses receptores fosse prejudicial a doença, e que pacientes que compartilham a necessidade do betabloqueio, como no caso dos cardiopatas, perderiam uma droga importante no tratamento.

Entretanto, a prática clínica e evidências baseadas em grandes estudos, mostram que betabloqueadores cardiosseletivos, ou seja, que agem em sua maioria nos receptores beta-1 cardíacos, não aumentam as exacerbações do DPOC, tão pouco influenciam no nos resultados da terapia com beta 2 agonistas ou corticosteroides inalatórios no pulmão.

Diversos estudos demonstraram que o uso de betabloqueadores não só não aumentou a exacerbação da doença pulmonar, como também reduziu a mortalidade em pacientes cardiopatas. Além disso, não aumentou o tempo de hospitalização e tão pouco o tempo em ventilação mecânica.

Entretanto vale salientar que: esses efeitos foram vistos com betabloqueadores cardiosseletivos, que foram avaliados mesmo nas crises de broncoespasmo, sem prejuízo para a doença pulmonar.

Betabloqueadores na doença pulmonar obstrutiva crônica

Uma meta-análise de estudos randomizado envolvendo 400 pacientes com asma ou DPOC com prova bronco dilatadora positiva em uso de betabloqueadores cardiosseletivos mostrou evidência suficiente para corroborar os fatos descritos acima. Os resultados foram:

  • Redução do VEF1 em 8% com uma única dose, porém aumento de 5 a 9% da resposta ao bronco dilatador;
  • A terapia de longo prazo com betabloqueadores não aumentou os sintomas respiratórios, tão pouco a necessidade de uso de beta 2 agonistas;
  • O uso prolongado dos betabloqueadores não foi associado a redução significativa do VEF1 basal.

Alguns estudos observacionais e a segurança garantida do uso dos betabloqueadores fizeram os pesquisadores postularem que existiria um benefício dos betabloqueadores cardiosseletivos em pacientes com DPOC, sem cardiopatia, porém o primeiro estudo controlado com o metoprolol não obteve resultados satisfatórios.

Como fazer?

Primeiramente, pacientes com DPOC devem receber betabloqueadores cardiosseletivos, são opções: atenolol, esmolol, bisoprolol e metoprolol (é importante salientar que em doses elevadas esses medicamentos podem perder a cardiosseletividade). Deve-se iniciar os betabloqueadores em doses menores e aumentar progressivamente conforme tolerância.

Em pacientes com insuficiência cardíaca, que não utilizavam betabloqueadores previamente, a droga só deve ser introduzida após compensação do quadro clínico (paciente sem edema ou congestão). Nesses casos sugere-se utilizar o succinato de metoprolol ou o bisoprolol.

Obviamente esses pacientes também devem ser tratados com beta 2 de longa duração para a doença pulmonar.

cadastro portal

Conclusão

Ainda existe muito receio na prática clínica em relação ao uso de betabloqueadores em pacientes com DPOC, porém à luz das evidências não existe plausibilidade em justificar o não uso em pacientes que necessitam dessas drogas para doenças cardiovasculares, configurando assim má prática médica.

Quer receber as principais novidades em Cardiologia? Participe do nosso grupo do Whatsapp!

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Foresi A, Cavigioli G, Signorelli G, et al. Is the use of beta-blockers in COPD still an unresolved dilemma? Respiration 2010; 80:177.
  • Dransfield MT, McAllister DA, Anderson JA, et al. β-Blocker Therapy and Clinical Outcomes in Patients with Moderate Chronic Obstructive Pulmonary Disease and Heightened Cardiovascular Risk. An Observational Substudy of SUMMIT. Ann Am Thorac Soc 2018; 15:608.
  • Maltais F, Buhl R, Koch A, et al. β-Blockers in COPD: A Cohort Study From the TONADO Research Program. Chest 2018; 153:1315.
  • Rutten FH, Zuithoff NP, Hak E, et al. Beta-blockers may reduce mortality and risk of exacerbations in patients with chronic obstructive pulmonary disease. Arch Intern Med 2010; 170:880.
  • Dransfield MT, Rowe SM, Johnson JE, et al. Use of beta blockers and the risk of death in hospitalised patients with acute exacerbations of COPD. Thorax 2008; 63:301.
  • van Gestel YR, Hoeks SE, Sin DD, et al. Impact of cardioselective beta-blockers on mortality in patients with chronic obstructive pulmonary disease and atherosclerosis. Am J Respir Crit Care Med 2008; 178:695.
  • Stefan MS, Rothberg MB, Priya A, et al. Association between β-blocker therapy and outcomes in patients hospitalised with acute exacerbations of chronic obstructive lung disease with underlying ischaemic heart disease, heart failure or hypertension. Thorax 2012; 67:977.
  • Puente-Maestu L, Calle M, Ortega-González A, et al. Multicentric study on the beta-blocker use and relation with exacerbations in COPD. Respir Med 2014; 108:737.
  • Au DH, Bryson CL, Fan VS, et al. Beta-blockers as single-agent therapy for hypertension and the risk of mortality among patients with chronic obstructive pulmonary disease. Am J Med 2004; 117:925.
  • Benson MK, Berrill WT, Cruickshank JM, Sterling GS. A comparison of four beta-adrenoceptor antagonists in patients with asthma. Br J Clin Pharmacol 1978; 5:415.
  • Fogari R, Zoppi A, Tettamanti F, et al. Comparative effects of celiprolol, propranolol, oxprenolol, and atenolol on respiratory function in hypertensive patients with chronic obstructive lung disease. Cardiovasc Drugs Ther 1990; 4:1145.
  • Chazan R. [Atenolol in the treatment of patients with airway obstruction]. Pol Merkur Lekarski 1998; 4:89.
    Salpeter S, Ormiston T, Salpeter E. Cardioselective beta-blockers for chronic obstructive pulmonary disease. Cochrane Database Syst Rev 2005; :CD003566.
  • Salpeter SR, Ormiston TM, Salpeter EE, et al. Cardioselective beta-blockers for chronic obstructive pulmonary disease: a meta-analysis. Respir Med 2003; 97:1094.
  • Salpeter SR, Ormiston TM, Salpeter EE. Cardioselective beta-blockers in patients with reactive airway disease: a meta-analysis. Ann Intern Med 2002; 137:715.
  • van der Woude HJ, Zaagsma J, Postma DS, et al. Detrimental effects of beta-blockers in COPD: a concern for nonselective beta-blockers. Chest 2005; 127:818.
  • Sirak TE, Jelic S, Le Jemtel TH. Therapeutic update: non-selective beta- and alpha-adrenergic blockade in patients with coexistent chronic obstructive pulmonary disease and chronic heart failure. J Am Coll Cardiol 2004; 44:497.
  • Jabbour A, Macdonald PS, Keogh AM, et al. Differences between beta-blockers in patients with chronic heart failure and chronic obstructive pulmonary disease: a randomized crossover trial. J Am Coll Cardiol 2010; 55:1780.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.