Pediatria

Obesidade na infância: puberdade precoce e atraso no desenvolvimento das mamas

Tempo de leitura: 2 min.

Há décadas percebemos um aumento na incidência da puberdade precoce entre meninas obesas. Diversos estudos nos Estados Unidos, onde a obesidade é uma epidemia, já mostraram um aumento considerável nos casos de puberdade precoce. Inclusive, nos últimos anos, o parâmetro de normalidade para início de puberdade mudou de 9 para 8 anos de idade entre meninas, conceito estabelecido entre as principais sociedades de Ginecologia, Endocrinologia e Pediatria norte-americanas.

Leia também: A complicada relação entre obesidade, doença grave e infecção

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Nova evidência

Em um estudo publicado dia 25 de fevereiro de 2021, no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, os pesquisadores acompanharam a evolução da puberdade de 90 meninas entre 8 e 15 anos, 36 meninas com sobrepeso ou obesidade e 54 meninas com peso normal por 4 anos. O peso normal foi definido como índice de massa corporal no percentil 5 a 85, sobrepeso foi definido como IMC no percentil 85 a 95 e obeso foi definido como maior que percentil 95. Sobrepeso e obesidade foram combinados em uma categoria para comparação com meninas com peso normal.

Observações do estudo

No geral, as meninas com sobrepeso/obesidade tiveram um desenvolvimento mamário significativamente mais avançado no início do estudo do que aquelas com peso normal, mas essas meninas progrediram para o estágio D de BMORPH (um estadiamento morfológico ultrassonográfico de mama), mais tarde do que as meninas com peso normal.

Os níveis hormonais foram semelhantes no início do estudo para o FSH , inibina B, estrona (E1), testosterona total e livre e androstenediona. No entanto, esses níveis aumentaram mais rapidamente após 1 ano para meninas com sobrepeso e obesidade, enquanto se estabilizaram em meninas com peso normal e caíram entre meninas com menor gordura corporal total. A gordura corporal total não teve efeito aparente sobre outros hormônios reprodutivos, incluindo o hormônio luteinizante , índice de maturação vaginal modificado e estradiol 2.

A idade média da menarca foi de 12,4 anos em todos os participantes, mas as meninas com maior gordura corporal total no início do estudo tinham maior probabilidade de chegar à menarca em uma idade mais jovem.

Embora a telarca apareça mais cedo em meninas com sobrepeso e obesas, o que sinaliza o início da puberdade, a mama amadurece mais lentamente durante o curso da puberdade nessa população.

Conclusão

A puberdade não ocorre em um padrão fixo entre as meninas, pelo contrário, cada vez mais observamos variações na dinâmica do aparecimento dos caracteres sexuais femininos, que podem ser influenciados por fatores externos. E entre as pacientes obesas e com sobrepeso parece evoluir de forma que a telarca acontece de forma mais precoce, mas a mama leva mais tempo para atingir estágios mais maduros

Saiba mais: Dia Mundial da Obesidade: eficácia da metformina na obesidade infantil (revisão)

Mais estudos são necessários para avaliar o impacto da exposição ao estrogênio e outros fatores neuro hormonais por essas meninas a médio e longo prazo

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Madison T Ortega, John A McGrath, Lauren Carlson, Vanessa Flores Poccia, Gary Larson, Christian Douglas, Bob Z Sun, Shanshan Zhao, Breana Beery, Hubert W Vesper, Lumi Duke, Julianne C Botelho, Armando C Filie, Natalie D Shaw, Longitudinal investigation of pubertal milestones and hormones as a function of body fat in girls, The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. 2021;dgab092. doi: 1210/clinem/dgab092
Compartilhar
Publicado por
Juliana Olivieri

Posts recentes

Hematoma subdural: caso clínico na emergência [podcast]

Neste episódio, o Dr. Felipe Nóbrega vai falar sobre o hematoma subdural no contexto de…

2 horas atrás

Acometimento neurológico em crianças com síndrome hemolítico-urêmica típica: dados de uma revisão retrospectiva

A síndrome hemolítico-urêmica (SHU) é um quadro grave, sendo a principal causa de insuficiência renal…

3 horas atrás

Anestesia e hipotireoidismo

O hipotireoidismo é uma das doenças endócrinas mais comuns e caracterizado pela baixa atividade da…

4 horas atrás

Cinco dicas para falar sobre fertilidade com seus pacientes

De acordo com um estudo realizado em Nova Jersey, nos EUA, apenas 25% das mulheres…

5 horas atrás

CHEST 2021: Abordagem da fístula aérea persistente em pacientes com pneumotórax

Pacientes com pneumotórax são cada vez mais comuns dentro da UTI, especialmente no contexto da…

6 horas atrás

CHEST 2021: Tratamento cirúrgico no DPOC: quando e como indicar?

A DPOC acomete milhões de pessoas em todo o mundo e é a terceira maior…

7 horas atrás