Página Principal > Nefrologia > Pacientes com doença renal crônica têm maior risco de infecções
animação de bacterias azuis

Pacientes com doença renal crônica têm maior risco de infecções

Tempo de leitura: 2 minutos.

As infecções adquiridas na comunidade são comuns e contribuem para morbidade e mortalidade consideráveis, bem como custos substanciais de cuidados de saúde em todo o mundo.

Em pacientes submetidos à diálise, o risco de infecções fatais e não fatais é elevado, e alguns estudos demonstraram que a ligeira a moderada diminuição da função renal também está associada ao aumento do risco de infecção.

Em uma grande coorte de utilização de cuidados de saúde de mais de 1 milhão de suecos, pesquisadores relataram que os participantes com taxa de filtração glomerular estimada (TFGe) reduzida apresentaram maior risco de infecção durante 12 meses de acompanhamento.

A coorte do estudo consistiu em 1.139.470 participantes, sendo 53% do sexo feminino. A média de idade foi de 52 ± 18 anos. As comorbidades mais comuns foram hipertensão (presente em 25% da população), doenças cardiovasculares (7%), diabetes mellitus (6%), câncer (5%) e doença pulmonar obstrutiva crônica (4%). As comorbidades restantes (doença reumatoide, demência, úlcera péptica, doença hepática e paraplegia/hemiplegia) estavam presentes em menos de 1% dos participantes.

Veja também: ‘9 fatos que você precisa saber sobre a doença renal crônica’

A taxa de incidência de todas as infecções aumentou com a menor TFGe de 74/1.000 pessoas-ano para indivíduos com taxa de filtração glomerular (TFG) de 90-104 ml/min/1,73 m² a 419/1.000 pessoas-ano para indivíduos com TFG=30 ml/min/1,73 m².

Em comparação com TFGe de 90-104 ml/min/1,73 m², a razão da taxa de incidência ajustada das infecções adquiridas na comunidade foram 1,08 (intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,01 a 1,14) para TFGe de 30-59 ml/min/1,73 m² e 1,53 (IC 95%: 1,39 a 1,69) para TFGe de 30 ml/min/1,73 m².

As proporções relativas de infecção do trato respiratório inferior, infecção do trato urinário e sepse tornaram-se cada vez mais altas com níveis mais baixos de TFGe. As diferenças de incidência associadas à TFGe foram, em geral, consistentes para a maioria das infecções, com exceção do sistema nervoso e infecções do trato respiratório superior, para as quais nenhuma associação foi observada.

No geral, essa descrição ampla e abrangente de padrões de infecção em toda TFGe pode servir para aumentar a conscientização, levando a uma melhor gestão do paciente e estratégias de vacinação mais efetivas e planejamento de serviços de saúde.

Alerta: ‘Mortalidade por sepse no Brasil chega a 50% dos casos’

Autora:

Referências:

  • Xu H et al. eGFR and the Risk of Community-Acquired Infections. Clin J Am Soc Nephrol. 2017 Aug 17. pii: CJN.00250117. doi: 10.2215/CJN.00250117.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.