Covid-19

Papel das comorbidades na infecção grave por covid-19

Tempo de leitura: 3 min.

A heterogeneidade clínica da covid-19 sugere a existência de diferentes fenótipos com prognóstico e implicações distintas. O real impacto das comorbidades na determinação desses fenótipos ainda é pouco conhecido.

O objetivo deste estudo foi analisar os padrões de comorbidade em pacientes críticos com covid-19 e avaliar seu impacto sobre resultados intra-hospitalares, resposta ao tratamento e sequelas pós alta.

Leia também: FDA autoriza a administração de vacinas contra a covid-19 em crianças pequenas

Métodos

Estudo observacional prospectivo/retrospectivo multicêntrico em unidades de terapia intensiva de 55 hospitais espanhóis. Foram avaliados 5.866 pacientes com covid-19 confirmados por PCR que tiveram comorbidades registradas na admissão hospitalar; além de parâmetros clínicos e biológicos. Também foram documentados procedimentos intra-hospitalares e complicações durante a internação e, complicações clínicas, sintomas persistentes e sequelas aos 3 e 6 meses após a alta hospitalar.

Resultados

Foram identificados três fenótipos utilizando subcoortes: baixa morbidade (n=3.385; 58%), mais jovem e com poucas comorbidades; alta morbidade (n=2.074; 35%), com alta carga de comorbidade; e morbidade renal (n=407; 7%), com doença renal crônica (DRC), alta carga de comorbidade e pior perfil de oxigenação. Pacientes dos grupos morbidade renal e a alta morbidade apresentaram mais complicações intra-hospitalares e maior risco de mortalidade do que o grupo de baixa morbidade (HR ajustada (IC 95%): 1,57 (1,34-1,84) e 1,16 (1,05-1,28), respectivamente). ​​Os corticosteróides, diferente do tocilizumabe, foram associados a menor risco de mortalidade (HR (IC 95%) 0,76 (0,63-0,93)), especialmente naqueles com morbidade renal e alta morbidade. Estes mesmos grupos apresentaram pior função pulmonar ao longo do seguimento, com morbidade renal tendo o maior risco de complicações infecciosas (6%), consultas de emergência (29%) ou readmissões hospitalares (14%) aos 6 meses de seguimento (p<0,01). 

O estudo corrobora que o grupo de maior comorbidades e maior idade apresentou piores desfechos durante a internação e no seguimento pós-alta. Pacientes idosos que acumulam comorbidades estão sujeitos a internações mais prolongadas e complicações como necessidade de hemodiálise e, por conseguinte, maior evolução para doença renal crônica. Pacientes com infecção mais grave, envolvendo a presença de desconforto respiratório, dependentes de maiores frações de oxigênio e intubação prolongada apresentaram piores valores de função pulmonar após a internação, mostrando que a gravidade da infecção também pode se manifestar por sequelas a longo prazo.  

Mensagens Práticas: 

  • A covid-19 pode se apresentar com diferentes evoluções a depender do perfil do paciente; 
  • Pacientes idosos e com maior número de comorbidades têm maior risco de apresentarem quadros mais graves e com maiores complicações; 
  • O seguimento a longo prazo mostra que as sequelas da covid-19, sobretudo alterações na função pulmonar e na tomografia de tórax, melhora na grande maioria dos casos.

 

 

Compartilhar
Publicado por
Guilherme das Posses Bridi

Posts recentes

Vaginose bacteriana: como identificar e abordar essa condição?

A vaginose bacteriana (VB) é a causa mais comum de corrimento vaginal em mulheres na…

7 horas atrás

Mais de 30 conteúdos novos no Whitebook; confira

Esta semana, o Whitebook ganhou 33 conteúdos novos. Além disso, 170 foram atualizados. Veja os…

7 horas atrás

Explorando emoções e percepções do paciente

Na terceira publicação da série Comunicação Médica, abordamos a importância da valorização das emoções na…

9 horas atrás

Informe-se sobre o piso salarial da enfermagem

A lei 14.434 institui o piso salarial de enfermagem, para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares…

10 horas atrás

Hemorragia pós-parto: Quais são os fatores de risco para falha do tamponamento intrauterino?

Um trabalho revisou quais fatores poderiam facilitar a falha do tamponamento por balão em pacientes…

11 horas atrás

Há estimativa de risco para demência em pacientes que apresentaram delirium?

Um estudo estudou o risco de desenvolvimento de demência naqueles que apresentaram um episódio de…

12 horas atrás