Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Para que servem as unhas? Fisiologia e função

Para que servem as unhas? Fisiologia e função

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Localizadas nas extremidades dos dedos, mais precisamente, no dorso das falanges distais, as unhas são estruturas compostas por queratina, formadas a partir do ectoderma.

Sua principal função é o auxílio para pegar objetos finos, pequenos e delicados, como agulhas e alfinetes.  Mas, certamente, no passado já ocupou função equivalente a das garras dos animais, nos auxiliando na autodefesa. São excelentes “instrumentos” para resolver nossas coceiras e o público feminino há de concordar que ficam lindas quando esmaltadas.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique Aqui!

Além disso, tem papel protetor para as pontas dos dedos e contribui para a adequada sensibilidade das mesmas.  Visto que dedos sem unhas apresentam redução da capacidade de discriminar dois pontos.

As unhas têm taxa de crescimento que varia de 3 a 4 mm por mês. Crescem mais rápido nas mãos, em dedos longos, durante o verão e em pessoas jovens.  Duas vezes mais rápido em pessoas com menos de 30 anos quando comparado aos maiores de 80. E naqueles que costumam roer as unhas.

Uma unha demora aproximadamente 100 dias para crescer completamente.

A unha é produzida por meio de depósito de queratina nas células que se multiplicam em seu leito, nas matrizes germinal e estéril.

A matriz germinal, que se localiza proximal à borda distal da lúnula, é responsável por cerca de 90% da produção e a lesão dessa região do leito ungueal leva à ausência da unha.

A matriz estéril se encontra distal à lúnula no leito ungueal e é responsável pela aderência da unha em seu leito e pela sua produção secundária. A lesão dessa região causa deformidades.

Mais da autora: ‘Úlcera por pressão: uma questão de prevenção e economia’

A lúnula tem esse aspecto leitoso devido à presença de núcleo nas células da matriz germinal.  Na medida em que a unha cresce as células vão perdendo seus núcleos tornando-a translúcida.

A borda livre da unha (região distal) precisa ser mantida bem aparada e limpa, pois é a principal região de acúmulo de resíduos. Devemos, ainda, estar atentos à remoção exagerada do eponíquio ou mesmo sua manipulação (ao levar os dedos à boca), pois com frequência lesões nessas estruturas causam infecções e abscessos ungueais podendo resultar em danos permanentes.

Um comentário

  1. Avatar

    els explica muito bem porem tem que melhora um pouco e so

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.