Whitebook

Paralisia Flácida Aguda: como diagnosticar

Nessa semana, falamos sobre os riscos de desenvolvimento da síndrome de Guillain-Barré por procedimentos cirúrgicos. Por isso, na nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, trazemos a definição e abordagens clínica e diagnóstica de paralisias flácidas agudas.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook Clinical Decision! Baixe grátis.

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Definição: Progressão rápida de fraqueza muscular + hipotonia + reflexos profundos hipoativos/ausentes. O período de progressão é de aproximadamente 4 semanas, correspondente ao tempo de duração da principal causa, a síndrome de Guillain-Barré.

Topografia

Nervo periférico:

  • Acometimento motor e sensitivo;
  • Sinais autonômicos;
  • Déficit crescente;
  • Acometimento mais distal.

Medula:

  • Déficit abaixo de um determinado nível com exame normal acima deste;
  • Acometimento de esfíncter;
  • Se neurônio motor, acometimento motor assimétrico.

Muscular:

  • Acometimento proximal em membros;
  • Sinais motores exclusivos;
  • Maior acometimento de regiões cervical e cinturas.

Mioneuronal:

  • Acometimento proximal em membros;
  • Principalmente músculos cranianos e de cinturas;
  • Pré-sináptica: Aumento da força com o exercício e acometimento autonômico;
  • Pós-sináptica: Presença de fatigabilidade;
  • Sem sinais sensitivos;
  • Sinais e sintomas apenas durante a crise.

Apresentação clínica

Síndrome de Guillain-Barré

  • Clínica: Fraqueza progressiva, simétrica e ascendente com duração de até 4 semanas, variantes, iniciadas em pares cranianos, pode ser descendentes

Mielopatias

  • Etiologias: Polimielite pós-vacinal e enterovírus não pólio.
  • Sintomas iniciais: Constipação, vômitos, febre, fadiga, dor em membros e rigidez de nuca.

Mielite Transversa

  • Etiologias: Mycoplasma pneumoniae, herpes vpirus, esquistossomose, cisticercose e doenças do tecido conjuntivo.
  • Sintomas: Fraqueza progressiva, retenção urinária, hipo ou arreflexia e sensibilidade em nível, evoluindo em duas a três semanas com liberação piramidal.

Polineuropatia por picada de carrapato

  • Sintomas: Iniciam 5-10 dias após infestação. São eles: irritabilidade, anorexia, parestesia e dor, evolução em 12-36h para paralisia flácida aguda.

Polineuropatia por porfiria aguda

  • Dores abdominais precedem o quadro de paralisia 2 a 3 dias antes.
  • Sintomas: Cólicas abdominais, labilidade emocional, distúrbios comportamentais, convulsões, hiperatividade simpática, paresia assimétrica com início em membros superiores.

Miopatias inflamatórias

  • Polimiosite e dermatomiosite apresentam caracteristicamente sintomas subagudos, com evolução de semanas a meses.
  • Sintomas: Paresia com caraterística proximal com acometimento de pares cranianos.

Miopatia tireoidiana

  • Comum no hipotireoidismo.
  • Sintomas: Fraqueza muscular proximal, cãibras, fraqueza muscular bulbar, paralisia periódica tireotóxica, rigidez muscular, oftalmopatia tireoidiana e paralisia periódica tireotóxica.

Miopatia Tóxica

  • Etiologias: Barbitúricos, corticoides, clorpromazina, salicilatos, lítio, zidovudina, anfetaminas e álcool.

Abordagem Diagnóstica

Síndrome de Guillain-Barré

  • Eletroneuromiografia: Sinais de desmielinização como a redução da velocidade de condução, dispersão do potencial de ação e aumento da latência das ondas F.

  • Estudo do líquor: Dissociação proteinocitológica com pico proteico na 3ª/4ª semana.

Mielopatias

  • Comprometimento neurológico: Paralisia progressiva, 24-48h, com déficit motor, assimétrico e proximal.
  • Estudo do líquor: Pleocitose com leve aumento da concentração de proteínas.

Miopatias Inflamatórias

  • Exames complementares: CPK aumentada, exame eletrofisiológico, biópsia muscular e quadro clínico.
  • Utiliza-se 3 critérios para fechar o diagnóstico, se 2 o diagnóstico é muito provável.
  • Sempre pesquisar condições associadas como linfomas, doenças autoimunes e carcinomas.

Miopatia Tóxica

  • Características: Dor, paresia, aumento da CPK e mioglobinúria.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.
Compartilhar
Publicado por
Bruno Lagoeiro

Posts recentes

Transtorno do pânico: qual a diferença do ataque de pânico?

Neste episódio, a Dra. Paula Hartmann vai falar sobre transtorno do pânico. Entenda os fatores…

10 horas atrás

Xantelasma: Diagnóstico e tratamento

O xantelasma é uma placa de gordura, amarelada que ocorre mais comumente no canto interno da pálpebra.…

10 horas atrás

Síndrome do piriforme: o que é e qual o seu tratamento?

A síndrome do piriforme é uma condição decorrente da compressão do nervo ciático pelo músculo…

11 horas atrás

Urina de 24 horas: como orientar a coleta?

Embora a coleta/conservação de urina seja simples, ela costuma gerar muitas dúvidas nos pacientes e até…

12 horas atrás

Enfermeiros dos EUA são mais propensos a ter pensamentos suicidas do que outros trabalhadores da área de saúde

Os pesquisadores descobriram que o Burnout estava fortemente associado à pensamentos suicidas entre os enfermeiros.…

14 horas atrás

Assistência manual intermitente da respiração versus pressão suporte durante o processo de extubação

Não só a intubação orotraqueal mas o processo da extubação é um dos maiores desafios…

15 horas atrás