Plasma convalescente: incentivo da FDA para desenvolvimento do possível tratamento para Covid-19

A FDA divulgou uma atualização com relação a um tratamento em potencial chamado plasma convalescente, e incentivando a doação de quem já teve Covid-19.

No último dia 16, o U.S. Food and Drug Administration (FDA) divulgou uma atualização com relação a um tratamento em potencial chamado plasma convalescente, e incentivando aqueles que se recuperaram da Covid-19 a doar plasma para ajudar outros pacientes a combater a doença.

Plasma convalescente

O plasma convalescente é um produto rico em anticorpos produzido a partir de sangue doado por pessoas que se recuperaram da doença causada pelo vírus. Experiências anteriores com vírus respiratórios e dados limitados que surgiram da China sugerem que o plasma convalescente tem o potencial de diminuir a gravidade ou a duração da Covid-19. De acordo com o FDA, é importante que essa terapia potencial seja avaliada no contexto de ensaios clínicos, por meio de acesso expandido, além de facilitar o acesso de emergência a pacientes individuais, conforme apropriado.

O FDA relata que a resposta aos esforços nacionais americanos recentemente anunciados pela agência para facilitar o desenvolvimento e o acesso ao plasma convalescente tem sido enorme. Segundo a nota, mais de 1.040 locais e 950 médicos investigadores em todo o país se inscreveram para participar do protocolo de acesso expandido de responsabilidade externa, liderado pela Mayo Clinic. Também estão sendo realizados vários ensaios clínicos para avaliar a segurança e a eficácia do plasma convalescente, e o FDA também concedeu inúmeras aplicações de novos medicamentos para investigação em emergências de um único paciente.

Leia também: Plasma convalescente no tratamento de pacientes graves com Covid-19 pode ser eficaz?

O FDA destaca que, à medida que este trabalho avança, a chave para garantir a disponibilidade de plasma convalescente para as pessoas mais necessitadas é obter pacientes com Covid-19 recuperados para doação. As pessoas que se recuperaram do Covid-19 podem ter um impacto imediato em ajudar outras pessoas graves: uma doação tem potencial para ajudar até quatro pacientes.

O plasma convalescente também pode ser usado para fabricar globulina hiperimune, que também pode ser usado para tratar pacientes com Covid-19. O FDA incentiva e orienta que as pessoas que se recuperaram totalmente do Covid-19 por, pelo menos, duas semanas podem entrar em contato com o centro local de coleta de sangue ou plasma para agendar uma consulta.

No Brasil

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, em nota publicada em 03 de abril de 2020, que a agência “reforça sem prejuízo ao objetivo primeiro que é o combate à Covid-19 e a recuperação dos pacientes, a importância de que estes procedimentos com plasma convalescente para Covid-19 sejam realizados, sempre que possível, sob processos de ensaios clínicos (intervencionais ou observacionais), devidamente controlados, de maneira que o Brasil possa contribuir para os dados que busquem a comprovação científica deste produto”.

As assessorias de alguns hospitais no país, como o Hospital Sírio-Libanês e o Hospital Israelita Albert Einstein, informaram que realizarão ensaios clínicos utilizando essa modalidade de tratamento.

Referências bibliográficas:

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.