Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Whitebook / Pneumocistose: você sabe diagnosticar?
raio x

Pneumocistose: você sabe diagnosticar?

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Essa semana no Portal da PEBMED falamos sobre um estudo que investigou o uso de corticoides no tratamento da pneumocistose em pacientes sem HIV. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, falaremos sobre a apresentação clínica e abordagem diagnóstica da pneumocistose.

Veja as melhores condutas médicas no Whitebook Clinical Decision!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

A infecção por P. jiroveci é comumente pulmonar. A forma grave é quando há desenvolvimento da síndrome de angústia respiratória aguda. Embora raras, as manifestações extrapulmonares podem ocorrer em pacientes recebendo pentamidina inalatória, em paciente com infecção por HIV sem uso de profilaxia  ou mesmo na ausência de comprometimento pulmonar. Os sítios já descritos em doenças por P. jiroveci incluem: sistema nervoso central, medula óssea (com necrose e pancitopenia), linfadenopatia, olhos, tireoide e trato gastrintestinal.

Anamnese

Quadro clínico: O sintomas não são específicos, sendo mais tardios e subagudos em pacientes com infecção por HIV, em comparação com outros imunocomprometimentos. Dentre os sintomas estão incluídos:

  • Dispneia progressiva (95%);
  • Febre (> 80%);
  • Tosse seca (95%);
  • Desconforto respiratório;
  • Perda ponderal;
  • Calafrios;
  • Hemoptise (rara).

Marcadores de gravidade:

Pneumonia por P. jiroveci 

    • em pacientes sem infecção por HIV, pacientes com doença pulmonar concomitante, pneumotórax, pacientes que necessitam de ventilação mecânica, e pacientes sem redução dos níveis de lactato desidrogenase durante o tratamento.

Fatores de risco:

  • Infecção pelo HIV com CD4 menos que 200/ul e sem profilaxia para infecção para P. jiroveci. A presença de outras infecções oportunistas indica aumento do risco de pneumonia por esse patógeno independente da contagem de CD4;
  • Imunodeficiência primária, incluindo hipogamaglobulinemia (particularmente deficiência no ligante de CD-40) e imunodeficiência combinada;
  • Tratamentos longos com imunossupressores;
  • Malignidades hematológicas;
  • Malignidades não hematológicas, como tumores sólidos e linfomas;
  • Desnutrição.

Exame Físico

    Os achados geralmente são não específicos e incluem:

  • Taquipneia;
  • Febre;
  • Taquicardia;
  • Sinais pulmonares: crepitações e roncos, mas podem estar ausentes em metade dos pacientes;
  • A doença grave pode estar caracterizada por cianose, batimento das asas do nariz e tiragem intercostal.

Abordagem Diagnóstica

Exames laboratoriais:

  • Análise histopatológica do escarro espontâneo ou induzido, ou detecção direta do antígeno;
  • Lactato desidrogenase (LDH): geralmente em níveis acima de 220 U/L;
  • Detecção de beta-D-glucana (BDG).

Exames radiológicos:

  • Radiografia de tórax: pode se apresentar normal em doença inicial, evoluindo para infiltrados bilaterais difusos com extensão a partir da região peri-hilar. Infiltrados assimétricos, pneumotórax ou pneumatocele podem estar presentes;
  • Tomografia computadorizada de tórax: áreas de vidro fosco com espessamento de septo interlobular. O padrão de imagem normal sem outros sinais não descartam PCP.

Outros exames: Testes de função pulmonar, oximetria de pulso, e sorologia para HIV.

Exames invasivos

  • Lavagem broncoalveolar: exame mais comumente utilizado;
  • Biópsia pulmonar aberta: reservado para casos em que a broncoscopia não possibilitou diagnóstico.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

2 comentários

  1. Avatar
    GRACILANDI MARQUES DE SOUSA

    Execelente,bem explicativo.

  2. Avatar
    felix hernandez toledo

    muito bom . resumido porem bem exolicativo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.