Home / Saúde & Tecnologia / Prontuário eletrônico é mesmo uma boa solução para médicos e pacientes?

Prontuário eletrônico é mesmo uma boa solução para médicos e pacientes?

Saúde & Tecnologia, Saúde Pública
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

O uso de prontuários eletrônicos tem sido defendido por muitos profissionais de saúde e, recentemente, foi definido pelo Ministério da Saúde que os municípios do Brasil tem até dezembro para implantar a tecnologia nos hospitais públicos. Mas a ferramenta é mesmo uma boa solução para médicos e pacientes?

500x120-rosa

No último estudo publicado sobre o assunto, a revista Annals Of Internal Medicine divulgou que os médicos americanos que usam prontuários eletrônicos gastam duas horas com a ferramenta a cada uma hora gasta com o paciente.

A tecnologia que veio para agilizar e simplificar o preenchimento de formulários tem, na verdade, atrasado bastante esse processo. Um dos motivos é que a maioria dos hospitais não exige a certificação digital individual. O que isso significa? Que para o documento ter valor legal, é preciso imprimir, assinar e carimbar manualmente todos os formlários e prescrições.

Veja também: ‘8 dicas para evitar uma experiência negativa com prontuários eletrônicos’

A publicação da Annals Of Internal Medicine divulgou também que os pacientes estão cada vez mais insatisfeitos com o tempo gasto diretamente com eles durante a consulta. Frente a essa realidade, como ficará o atendimento nos hospitais públicos do Brasil, que já precário?

“Devemos olhar para outras experiências ao redor do mundo sobre o tema, como EUA e Austrália, e incorporar aquilo que seja condizente a nossa dura realidade do SUS, que hoje possui muitos outros problemas, alguns deles mais graves do que o uso de um sistema eletrônico para atendimento e registro” – opina Dr. Bruno Lagoeiro, médico do Hospital Pró-Cardíaco RJ.

Qual é o real benefício do prontuário eletrônico para médicos e pacientes? Enquanto novos estudos começam a questionar a maneira como esta ferramenta funciona, o Brasil se prepara para englobar a tecnologia em todo o território. O real impacto que isso causará no sistema de saúde pública ainda será visto.

250-BANNER2

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.