Página Principal > Oftalmologia > Ptose de pálpebra: o que você precisa saber?
ptose

Ptose de pálpebra: o que você precisa saber?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Blefaroptose ou ptose de pálpebra  caracteriza-se por ser uma posição anormalmente baixa da pálpebra superior, situada abaixo da sua posição normal de 2 mm, cobrindo o limbo superior em posição primária do olhar.

Propedêutica

  • História Clínica
  • Época de surgimento
  • Tipo de evolução – variação da intensidade – Miastenia Gravis?
  • Sinais e sintomas associados (como por exemplo, anidrose facial + miose ipsilateral – ptose neurogênica – Síndrome de Horner)
  • Fatores predisponentes (lentes de contato/ cirurgia oftalmológica/trauma ocular)
  • Tratamentos prévios
  • História familiar
Imagem cedida por Drª Renata Oliveira – Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP/UFF) – Serviço de Oculoplástica chefiado por Drº Guilherme Herzog Neto

Exame Ocular

  • Motilidade ocular extrínseca
  • Pesquisa fenômeno de Marcus Gunn
  • Pesquisa do fenômeno de Bell
  • Quantificação da ptose
Intensidade da Ptose Medida Distância bordo/limbo (12h)
Discreta Menor ou igual a 2 mm Entre 2 e 4 mm
Moderada Entre 2 a 4 mm Entre 4 e 6 mm
Grave Maior que 4 mm Maior que 6 mm
  • Classificação quanto à intensidade da ptose
  • Classificação quanto ao tempo de aparecimento
ptose
Imagem cedida por Drª Renata Oliveira – Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP/UFF) – Serviço de Oculoplástica chefiado por Drº Guilherme Herzog Neto

Classificação quanto ao mecanismo fisiopatogênico da ptose

  • Miogênica
  • Aponeurótica
  • Neurogênica
  • Traumática

Ptose Miogênica

É causada por uma miopatia do próprio músculo elevador da pálpebra ou por distúrbio na transmissão dos impulsos na junção neuromuscular. A ptose miogênica adquirida ocorre na miastenia gravis, distrofia miotônica e oftalmoplegia progressiva externa.

Ptose Aponeurótica

É causada por um defeito na aponeurose do elevador.

Ptose Neurogênica

É causada por um defeito na inervação como paresia do III par de nervo craniano e síndrome de Horner.

Ptose Mecânica

É causada pelo defeito gravitacional de uma massa ou por formação de cicatrizes.

Pseudoptose

Algumas alterações podem simular a ptose verdadeira, como:

  • Dermatocálase
  • Epicanto
  • Assimetria facial
  • Retração palpebral
  • Hipotropia do olho em questão ou hipertropia do olho contralateral
  • Síndrome de Duane
  • Enoftalmo
  • Exoftalmo bilateral

Tratamento

  • Objetivo: funcional (devido a perda do campo visual lateral) ou estético;
  • Considerar causa: Paralítica x Involutiva;
  • Há múltiplas técnicas disponíveis que devem ser individualizadas para cada paciente: direta (suprassuperciliar) / indireta mediofrontal / temporal / pré-triquial / coronal / endoscópica.
  • Complicações: cicatriz visível (direta, mediofrontal, pré-triquial) / parestesia (mais comum pré-triquial e na coronal) / assimetria do supercílio / lesão do nervo facial (mais comum na abordagem endoscópica).
Imagem cedida por Drª Renata Oliveira – Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP/UFF) – Serviço de Oculoplástica chefiado por Drº Guilherme Herzog Neto

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • KANSKI, Jack J. Oftalmologia clínica: uma abordagem sistemática. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.
  • YANOFF, M.; DUCKER, J.S.Oftalmologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier,2011.
  • Série Oftalmologia Brasileira – Conselho Brasileiro de Oftalmologia – 4ª Edição, 2017.
  • CARREGAL, Taisa Bertocco et al . Ptose palpebral: avaliação do posicionamento palpebral por imagens digitais. Rev. bras.oftalmol.,  Rio de Janeiro ,  v. 71, n. 1, p. 18-22,  Feb.  2012 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72802012000100004&lng=en&nrm=iso>. access on  07  May  2019.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72802012000100004
  • MACEDO, Hellen Cristina Paraguassu et al . Ptose miogênica na distrofia muscular oculofaríngea. Rev. bras.oftalmol.,  Rio de Janeiro ,  v. 75, n. 1, p. 61-63,  Feb.  2016 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72802016000100061&lng=en&nrm=iso>. access on  07  May  2019.  http://dx.doi.org/10.5935/0034-7280.20160014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.