Página Principal > Cardiologia > Quais são as indicações clássicas para o implante de marcapassos definitivos?
marcapasso

Quais são as indicações clássicas para o implante de marcapassos definitivos?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Com o crescente desenvolvimento de tecnologias associadas à fabricação e aos implantes de marcapassos cardíacos, bem como ao conhecimento cada vez maior sobre as bases eletrofisiológicas dos distúrbios de condução, estes dispositivos vem sendo cada vez mais amplamente indicados, e se comportando com maior durabilidade e segurança. Existem diversas situações que indicam o seu implante, e hoje vamos citar algumas das mais clássicas, ou seja, aquelas com recomendação de nível classe I.

BAV 3º Grau / BAVT

Bloqueios atrioventriculares avançados são os que mais possuem indicações para o implante, más há que se avaliar e considerar algumas situações secundárias. Recebem indicação classe I quando:

  • Sintomático, quando há sinais de baixo débito ou hipofluxo cerebral consequentes à bradicardia, independentemente da etiologia, periodicidade ou local;
  • Assintomático, quando pós IAM, persistente após 15 dias;
  • Assintomático, quando pós-cirurgia cardíaca, com QRS alargado;
  • Assintomático, quando há arritmias ventriculares com indicação de uso de antiarrítmicos depressores do ritmo de escape;
  • Assintomático, com períodos de assistolia na vigília > 3s;
  • Assintomático, com FC < 40s na vigília, resposta inadequada ao exercício;
  • Na vigência de cardiomegalia progressiva;
  • De etiologia chagásica ou degenerativa;
  • Congênito, com QRS alargado e FC inadequada para a idade;
  • Se consequente à ablação da junção atrioventricular.

BAV 2º Grau

  • Quando causado por drogas necessárias e insubstituíveis, e em manifestações de sintomas de baixo débito ou hipofluxo cerebral consequentes à bradicardia;
  • Assintomático, com QRS alargado ou infra-Hissiano;
  • Com Flutter ou FA e períodos de resposta ventricular baixa, em pacientes com sintomas de baixo débito ou hipofluxo cerebral consequentes à bradicardia.

LEIA MAIS: Como interpretar a nomenclatura dos marcapassos cardíacos?

BAV 1º Grau

Não há indicações de classe I, ou seja, não há situações de concordância geral quanto ao benefício e necessidade do implante.

Bloqueios Intraventriculares

  • Bloqueio de Ramo alternante documentado, com manifestações de síncopes, pré-síncopes ou tonturas recorrentes.

Doença do Nó Sinusal

  • Síndrome Bradi-Taqui;
  • Com intolerância aos esforços secundária à insuficiência inotrópica;
  • Quando espontânea ou induzida por fármacos, com manifestações de síncopes, pré-síncopes, tonturas ou IC secundárias à bradicardia.

Síndromes Neuro-Mediadas (SNM) / Vasovagais

  • Pacientes com síncopes espontâneas e de repetição, em que manobras minimamente provocativas induzem períodos de assistolia > 3s, na ausência de medicações depressoras da função sinusal ou da condução atrioventricular;
  • Pacientes com síncopes neurocardiogênicas, com importante componente cardio-inibidor, documentado e reproduzido pelo tilt-test (teste de inclinação), refratários ao tratamento farmacológico.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autora:

Michelle Costa Galbas

Bacharelado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais ⦁ Residente de Cirurgia Cardíaca em Curitiba/PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.