Página Principal > Gastroenterologia > Quais são os fatores de risco para recorrência de coledocolitíase após CPRE?
estetoscópio pendurado no pescoço do médico

Quais são os fatores de risco para recorrência de coledocolitíase após CPRE?

Tempo de leitura: 1 minuto.

Após a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) para remoção de cálculos no ducto colédoco, uma parcela significativa de pacientes terá recorrência de coledocolitíase ao longo da vida. Mas quais são os fatores de risco para que isso ocorra? Um artigo do Scandinavian Journal of Gastroenterology investigou essa questão.

Para esse estudo, pesquisadores revisaram retrospectivamente dados de 622 pacientes que foram submetidos à CPRE após colecistectomia durante um período de 10 anos. A taxa de recorrência de coledocolitíase foi de 18,5%.

Fatores de risco para recorrência de coledocolitíase

Em uma análise univariada, os fatores de risco para recorrência encontrados no estudo foram:

  • Número de pedras (≥2)
  • Diâmetro das pedras (≥10 mm)
  • Composição e consistência das pedras
  • Diâmetro do cálculo no ducto biliar comum (≥15 mm)
  • Padrão de dilatação do ducto biliar
  • Ducto biliar angulado (<145°)
  • Dilatação por balão grande (> 12 mm)
  • História de litotripsia mecânica, esfincterotomia endoscópica ou dilatação da papila com balão

No entanto, na análise multivariada, o número de pedras (≥2), pedra por colesterol e ducto biliar angulado (AOR 2,462; IC95% 1,062-5,711; p = 0,036) foram fatores de risco independentes para recorrência de coledocolitíase após CPRE.

Coledocolitíase: novas diretrizes para diagnóstico e manejo

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.