Leia mais:
Leia mais:
Metade da população mundial sofre de cefaleia, aponta estudo norueguês
Enxaqueca e resultados perinatais adversos na gravidez
Enxaqueca: Diagnóstico e tratamento em 10 etapas
Migrânea: como identificar e tratar?
Mês do combate à enxaqueca: toda aura visual é igual? 

Qual a melhor medicação para crise de enxaqueca?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Todo médico vai tratar crise de enxaqueca alguma vez na vida. Enquanto o tratamento profilático fica a cargo dos neurologistas, as descompensações são um assunto muito comum também entre os generalistas. Estes devem considerar quais são as medicações mais eficazes, bem como seus efeitos adversos.

Pela primeira vez, acaba de ser publicada uma importante meta-análise comparando a tolerabilidade dos principais medicamentos usados nos tratamento agudo (sintomático) da enxaqueca. Foram avaliados 141 trials, incluindo as principais medicações indicadas para o controle das crises: triptanos, anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) e ergotamínicos.

Quais as conclusões deste trabalho?

1) Os triptanos foram os que causaram mais efeitos adversos (sonolência, vertigem, desconforto torácico, náusea); dentre eles, os piores foram o sumatriptano e o zolmitriptano, enquanto que o naratriptano foi o melhor tolerado.
2) Os anti-inflamatórios foram bem tolerados, havendo semelhança entre os não-seletivos (naproxeno, ibuprofeno) e os seletivos da COX-2.
3) Nenhuma medicação foi associada a efeitos adversos graves.

De modo geral, o perfil de tolerabilidade de todas as medicações foram comparáveis, não havendo indicações prioritárias de alguma delas baseado apenas no aspecto dos efeitos adversos.

Um último recado aos clínicos e médicos que trabalham em emergência: sempre questionar o paciente sobre a frequência de suas crises; se for muito alta, vale a pena encaminhá-lo para a consulta com um neurologista, a fim de se decidir a melhor terapia preventiva, bem como outras orientações sobre como evitar novas crises.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Referência:

  • Thorlund et al. Comparative tolerability of treatments for acute migraine: A network meta-analysis. Cephalalgia, 2017. HYPERLINK “https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27521843” https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27521843
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.