Qual a relação entre a Covid-19, o tabagismo e uso de cigarros eletrônicos?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Uma pesquisa publicada no Journal of Adolescent Health mostrou que adolescentes e adultos jovens que usaram cigarros combustíveis e eletrônicos apresentaram sete vezes mais probabilidade de adquirir Covid-19. Já os que usam somente cigarros eletrônicos, o risco é cinco vezes maior.

Pesquisadores da Califórnia conduziram, em maio de 2020, uma pesquisa online em formato survey nos Estados Unidos, incluindo adolescentes e adultos jovens com idades entre 13 e 24 anos. O objetivo era avaliar se o uso de cigarros eletrônicos (e-cigarettes) pelos jovens está associado aos sintomas, testes e diagnóstico de Covid-19.

A regressão logística multivariável avaliou as relações entre sintomas, testes e diagnóstico relacionados à doença e o uso de apenas cigarros combustíveis, apenas cigarros eletrônicos e uso duplo, além de fatores sociodemográficos, obesidade e conformidade com as recomendações de isolamento.

Leia também: Asma deveria mesmo ser considerada fator de risco para Covid-19?

Covid-19 e tabagismo

Um total de 4.351 participantes completaram a pesquisa em 50 estados americanos, o distrito de Columbia e três territórios da união. A ocorrência de sintomas de Covid-19 foi quase duas vezes mais provável entre participantes afro-americanos/negros, hispânicos, outros/multirraciais, com baixo peso e obesos; 1,8 vezes mais provável entre lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e questionadores; e 1,6 vezes mais provável entre aqueles que não cumpriram o isolamento.

Os pesquisadores observaram que o diagnóstico de Covid-19 foi cinco vezes mais provável entre usuários de apenas cigarros eletrônicos [intervalo de confiança de 95% (IC 95%): 1,82 – 13,96], sete vezes mais provável entre usuários de cigarros combustíveis e eletrônicos (IC 95%: 1,98 – 24,55), e 6,8 vezes mais provável entre usuários dos dois tipos de cigarros nos 30 dias anteriores (IC 95%: 2,40 – 19,55).

Nos 30 dias prévios, o teste foi nove vezes mais provável entre usuários duais (IC 95%: 5,43 – 15,47), 2,6 vezes mais provável entre os usuários apenas de cigarros eletrônicos (IC 95%: 1,33 – 4,87) e os sintomas foram 4,7 vezes mais prováveis entre usuários duais (IC 95%: 3,07 – 7,16).

Veja também: Coagulopatia na Covid-19: pacientes têm risco aumentado de sangramento e/ou trombose?

Conclusões

Os resultados desse estudo mostram que o uso de cigarros eletrônicos e o uso duplo de e-cigarettes e cigarros combustíveis são fatores de risco subjacentes significativos para a Covid-19 e que não foram demonstrados anteriormente. Essa descoberta tem implicações diretas para os provedores de saúde perguntarem a todos os jovens e jovens infectados com Covid-19 sobre o histórico de uso de cigarros e e-cigarettes, para que pais, escolas e organizações comunitárias os orientem sobre como o tabagismo afeta os sistemas respiratório e imunológico.

Os pesquisadores sugerem a regulamentação de cigarros eletrônicos durante a pandemia e aconselham o desenvolvimento e disseminação de mensagens de prevenção à Covid-19 voltadas para o uso de cigarros na juventude.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • Gaiha SM, Cheng J, Halpern-Felsher B. Association Between Youth Smoking, Electronic Cigarette Use, and Coronavirus Disease 2019 [published online ahead of print, 2020 Aug 1]. J Adolesc Health. 2020;S1054-139X(20)30399-2. doi:10.1016/j.jadohealth.2020.07.002
Relacionados