Página Principal > Infectologia > Qual é a relação entre microbiota e sistema imunológico?
probiota

Qual é a relação entre microbiota e sistema imunológico?

Tempo de leitura: 3 minutos.

Existe uma relação recíproca entre microbiota e organismo humano: os microrganismos residentes do corpo têm um papel significativo na regulação da fisiologia de seus hospedeiros e na prevenção de infecções patogênicas, enquanto o sistema imune dos hospedeiros é importante na determinação da composição da microbiota1.

Esse equilíbrio representa um desafio em especial para o intestino, visto que a microbiota desse órgão é separada do interior do hospedeiro por uma única camada de células epiteliais3. Cerca de 70% das células imunes de cada indivíduo se encontram nesse nicho. Desta forma, a microbiota intestinal, além do já reconhecido estado nutricional, desempenha um papel fundamental na maturação, desenvolvimento e regulação do sistema imunológico3.

As bactérias comensais do intestino são extremamente benéficas para a saúde humana, facilitando o metabolismo dos nutrientes e a resistência à colonização patogênica, promovendo a integridade das células epiteliais, além do claro desenvolvimento do sistema imunológico. Esta relação entre microbiota e sistema imune vai além do intestino, influenciando positivamente as respostas imunes a patógenos em órgãos extra-intestinais como pulmão e trato urinário4.

Leia mais: Fadiga crônica: probióticos ajudam a controlar a síndrome?

Desta forma, perturbações na estrutura, diversidade e quantidade das comunidades comensais intestinais, como a disbiose, têm relação causal com desenvolvimento de doenças imunomediadas e infecciosas5. Neste contexto, a microbiota intestinal passa a ser um alvo terapêutico provável na prevenção e tratamento de doenças infecciosas5.
Um desequilíbrio entre sistema imune e microbiota pode causar, por exemplo, a disbiose do trato vaginal, predispondo mulheres a desenvolverem infecções como a vaginose bacteriana e a candidíase vulvovaginal5.

Embora a terapia antimicrobiana seja geralmente eficaz, o uso repetitivo de antimicrobianos pode levar a uma alta recorrência da infecção e aumento da resistência microbiana aos medicamentos5. Assim, foi sugerido que a administração de probióticos é uma potencial estratégia para prevenir infecções vaginais5.

O uso de probióticos como terapêutica de patologias, além do trato gastrintestinal, decorre de publicações onde foi comprovada ativação linfocitária direta e estímulo da imunidade inata6. A exemplo desta ação, temos o Lactobacillus acidophilus LA14 promovendo uma resposta imunitária mais rápida com uma maior produção de imunoglobulina G em voluntários sadios após vacinação6.

Considerando que o estado nutricional do paciente e a microbiota intestinal têm um impacto dramático na imunidade intestinal e extra-intestinal tanto na saúde quanto na doença, se entende que estes microrganismos comensais possuem uma importância, além do papel secundário definido até então, na suscetibilidade e progressão de doenças3.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Filippo Pedrinola

Doutor em Endocrinologia e Metabologia pela FMUSP ⦁ Membro da OBESO e da SBEM ⦁ Referência no uso clínico de Probióticos

Referências:

  1. Lei YM, Nair L, Alegre ML. The interplay between the intestinal microbiota and the immune system. Clin Res Hepatol Gastroenterol. 2015 Feb;39(1):9-19. doi: 10.1016/j.clinre.2014.10.008. Epub 2014 Nov 11. Review. PubMed PMID: 25481240; PubMed Central PMCID: PMC4423786.
  2. Rescigno M. Intestinal microbiota and its effects on the immune system. Cell Microbiol. 2014 Jul;16(7):1004-13. doi: 10.1111/cmi.12301. Epub 2014 May 1. Review. PubMed PMID: 24720613.
  3. Palm NW, de Zoete MR, Flavell RA. Immune-microbiota interactions in health and disease. Clin Immunol. 2015 Aug;159(2):122-127. doi: 10.1016/j.clim.2015.05.014. Epub 2015 Jun 30. Review. PubMed PMID: 26141651; PubMed Central PMCID: PMC4943041.
  4. Hernández-Santos N, Klein BS. Through the Scope Darkly: The Gut Mycobiome Comes into Focus. Cell Host Microbe. 2017;22(6):728-729.
  5. Peterson CT, Sharma V, Elmén L, Peterson SN. Immune homeostasis, dysbiosis and
    therapeutic modulation of the gut microbiota. Clin Exp Immunol. 2015 Mar;179(3):363-77. doi: 10.1111/cei.12474.
  6. Belkaid Y, Hand TW. Role of the microbiota in immunity and inflammation. Cell. 2014 Mar 27;157(1):121-41. doi: 10.1016/j.cell.2014.03.011. Review. PubMed PMID: 24679531; PubMed Central PMCID: PMC4056765.
  7. Santos CM, Pires MC, Leão TL, Hernández ZP, Rodriguez ML, Martins AK, Miranda
    LS, Martins FS, Nicoli JR. Selection of Lactobacillus strains as potential probiotics for vaginitis treatment. Microbiology. 2016 Jul;162(7):1195-207. doi: 10.1099/mic.0.000302. Epub 2016 May 5. PubMed PMID: 27154285.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.