Página Principal > Hepatologia > Qual melhor escore para predição de doença hepática não alcoólica?
doença hepática gordurosa não alcoólica

Qual melhor escore para predição de doença hepática não alcoólica?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) é uma doença relativamente comum que atinge 9-45% da população geral e pode acometer até 70% dos indivíduos diagnosticados com obesidade. Devido a esta realidade, novos escores são estudados para a previsão mais precisa da mortalidade e do risco para o desenvolvimento da DHGNA.

Doença hepática gordurosa não alcoólica x escores

Pesquisadores da Suécia realizaram um estudo de coorte em dois centros hospitalares no país. As informações analisadas pertenciam a um banco de dados com registros que datavam de 1971 a 2009. Foram selecionados 646 casos de pacientes diagnosticados com doença hepática gordurosa não alcoólica no período mencionado.

Para estratificar o risco para a doença hepática gordurosa não alcoólica, foram utilizados os escores BARD, APRI, o FIB-4 e o NFS, calculados por meio da biópsia no fígado. Depois da análise, os pacientes foram destacados de acordo com o risco para a fibrose hepática: baixo, moderado ou alto.

Leia mais: Mitos e verdades no tratamento da doença hepática gordurosa não alcoólica

Pesquisas na área

No geral, a mortalidade e a severidade da doença hepática foram avaliadas de acordo com as informações do banco de dados sueco até o fim de 2014. A precisão de cada um dos escores foi acessada conforme a estatística de regressão de cox, análise da estatística-C e a curva da Característica de Operação do Receptor (COR).

Após um follow up de aproximadamente 20 anos, houve 214 mortes e 76 casos de doença hepática severa. A análise da estatística-C identificou uma capacidade moderada na predição de DHGNA para todos os escores. O diferencial na pesquisa ficou para a curva da Característica de Operação do Receptor (COR), cujos resultados foram:

Para mortalidade:

  • NFS: 0,72 (IC 95%, [0,68–0,76]);
  • FIB-4: 0,72 (IC 95%, [0,68–0,76]);
  • BARD: 0,62 (IC 95%, [0,58–0,66]);
  • APRI: 0,52 (IC 95%, [0,47–0,57]).

Para severidade da doença hepática:

  • NFS: 0,72 (IC 95%, [0,66–0,78]);
  • FIB-4: 0,72 (IC 95%, [0,66–0,79]);
  • BARD: 0,62 (IC 95%, [0,55–0,69]);
  • APRI: 0,69 (IC 95%, [0,63–0,76]).

Resultados

De acordo com os achados, os escores FFS e FIB-4 se mostraram mais eficientes para determinar e prever o risco de mortalidade e ou grau de severidade da doença hepática gordurosa não alcoólica nos pacientes.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

Referências:

Hagström H et al. Accuracy of non-invasive scoring systems in assessing risk of death and liver-related endpoints in patients with non-alcoholic fatty liver disease. Clin Gastroenterol Hepatol 2018 Nov 21; [e-pub]. (https://doi.org/10.1016/j.cgh.2018.11.030)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.