Caso clínico: Paciente com perda ponderal, febre e pancitopenia

Paciente estava hipocorada (++/4+) hipertensa e taquicardica com discreto esforço respiratório. Confira o caso completo.

Paciente feminina 42 anos com quadro de perda ponderal há dois meses (cerca de 17 kg), febre e pancitopenia a esclarecer. Interna com quadro de letargia, prostração, estava hipocorada (++/4+) hipertensa e taquicardica com discreto esforço respiratório. A saturação de O2 era de 99% com cateter nasal há dois litros/min.

Os exames laboratoriais apresentavam anemia (hemoglobina 6,6 mg/dL) leucopenia (1600 leucócitos com 86 linfócitos) e plaquetopenia (114 mil plaquetas). Função renal, eletrólitos, gasometria e glicemia normais. Análise do líquor era normal.

Foi solicitado painel para doença autoimune, parecer da hematologia, investigação laboratorial da anemia, sorologia para diversas infecções virais e exames de neuroimagem.

 

O laudo da ressonância dizia:

Há múltiplas lesões de aspecto expansivo, supra e infratentoriais, de tamanhos variados e irregulares, comprometendo as substâncias branca e cinzenta, com hipersinal em T2 e FLAIR e hipossinal em T1, causando apagamento focal de sulcos e fissuras e com discreto edema perilesional. As lesões têm restrição à difusão de moléculas de água nos mapas de ADC e DWI, sem realce significativo após injeção de gadolínio.

Na sequência SWI nota-se que algumas lesões têm focos hemorrágicos puntiformes, sendo o mais evidente no cerebelo à esquerda. As maiores lesões supratentoriais estão na convexidade do lobo parietal direito, no giro do cíngulo à direita e na porção mesial do lobo parietal esquerdo. O parênquima cerebral tem redução volumétrica difusa para a idade. Hipocampos simétricos com dimensões e sinal preservados. Corpo caloso íntegro.

Ventrículos supratentoriais compensatoriamente dilatados, sem sinais de hipertensão intracraniana. Há proeminência dos sulcos corticais, cisternas e fissuras. Linha média centrada. Ausência de coleções extra-axiais.

Quiz 1/

Diante do exposto, qual o diagnóstico?

Comentários

A ressonância é sugestiva de encefalite por HIV, assim como o quadro clínico é compatível com SIDA. Não se pode afastar neurotoxoplasmose concomitantemente. As sorologias para HIV vieram positivas, sendo prontamente iniciado o tratamento.

Diante do exposto, qual o diagnóstico?

Comentários

A ressonância é sugestiva de encefalite por HIV, assim como o quadro clínico é compatível com SIDA. Não se pode afastar neurotoxoplasmose concomitantemente. As sorologias para HIV vieram positivas, sendo prontamente iniciado o tratamento.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.