Quiz: IST’s

Teste com o Quiz PEBMED seus conhecimentos sobre as infecções sexualmente transmissíveis (IST’s). Confira aqui.

As infecções sexualmente transmissíveis (IST’s) fazem parte da rotina de trabalho das equipes de saúde da família. Durante uma consulta, o enfermeiro atendeu a J.O.C, com 53 anos, heterossexual, casada e que relata ter o marido como único parceiro sexual. A usuária buscou atendimento pois quis fazer um preventivo e disse estar há alguns dias com um corrimento diferente, amarelado, espumoso e com um cheiro “ruim forte”. Além disso, relatou uma coceira intensa na região da vulva, dor ao urinar e durante as relações sexuais. No exame ginecológico, o enfermeiro constatou que a leucorreia é bolhosa, com odor fétido e que o colo do útero tem uma aparência de “morango”.

Quiz 1/

Acerca da conduta que o enfermeiro deve seguir, assinale a alternativa correta:

Comentários

De acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas Para Atenção Integral Às Pessoas Com Infecções Sexualmente Transmissíveis (2020) “A tricomoníase vaginal pode alterar a classe da citologia oncológica. Por isso, nos casos em que houver alterações morfológicas celulares e tricomoníase, deve-se realizar o tratamento e repetir a citologia após três meses, para avaliar se as alterações persistem.” O tratamento pode ser feito com metronidazol 500mg, 2 comprimidos, VO, 2x/dia durante 7 dias; Metronidazol 2g, VO, dose única, Secnidazol  2g, VO, dose única ou Tinidazol  2g, VO, dose única. Cabe destacar que é importante o tratamento concomitante dos parceiros a fim de evitar reinfecções.

Referências bibliográficas:

  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Profilaxia Pós-Exposição (PEP) de Risco à Infecção pelo HIV, IST e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2021.
  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.
  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Acerca da conduta que o enfermeiro deve seguir, assinale a alternativa correta:

Comentários

De acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas Para Atenção Integral Às Pessoas Com Infecções Sexualmente Transmissíveis (2020) “A tricomoníase vaginal pode alterar a classe da citologia oncológica. Por isso, nos casos em que houver alterações morfológicas celulares e tricomoníase, deve-se realizar o tratamento e repetir a citologia após três meses, para avaliar se as alterações persistem.” O tratamento pode ser feito com metronidazol 500mg, 2 comprimidos, VO, 2x/dia durante 7 dias; Metronidazol 2g, VO, dose única, Secnidazol  2g, VO, dose única ou Tinidazol  2g, VO, dose única. Cabe destacar que é importante o tratamento concomitante dos parceiros a fim de evitar reinfecções.

Referências bibliográficas:

  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Profilaxia Pós-Exposição (PEP) de Risco à Infecção pelo HIV, IST e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2021.
  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.
  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.