Leia mais:
Leia mais:
Cardiopapers: quando pensar em miocardiopatia periparto? [vídeo]
Check-up semanal: azitromicina na bronquiolite, tromboflebite superficial e mais [podcast]
Duração do sulfato de magnésio pós-parto para a prevenção da eclâmpsia
AAP 2021: saúde mental pós-parto e desenvolvimento infantil durante a pandemia 
Uso do fibrinogênio no trauma hemorrágico

Recomendações 2022 da FIGO sobre o manejo da hemorragia pós-parto

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Uma maneira eficaz de diminuir a mortalidade materna é seguir as recomendações propostas pela Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) para prevenção de hemorragia pós-parto. Neste mês foram lançadas recomendações atualizadas, por este motivo, hoje trago as atualizações deste tema tão importante para quem presta assistência obstétrica.

hemorragia pos-parto

Prevenção da hemorragia pós-parto 

  • O uso de uterotônicos para prevenção de hemorragia pós-parto (HPP) durante o terceiro estágio do trabalho de parto é recomendado para todos os partos.
  • A ocitocina (10 UI por via intravenosa/intramuscular [IV/IM]) é recomendada para a prevenção de HPP para parto vaginal e cesariana.
  • Deve ser realizada a tração controlada do cordão umbilical (TCC).
  • A massagem uterina sustentada não é recomendada como intervenção para prevenir a HPP em mulheres que receberam ocitocina profilática.
  • A avaliação do tônus ​​uterino abdominal pós-parto para identificação precoce da atonia uterina é recomendada para todas as mulheres.
  • Ocitocina (IV ou IM) e CCT é o método recomendado para remoção da placenta para a prevenção da HPP em cesariana.

Leia também: Mulheres obesas enfrentam mais riscos de hemorragia pós-parto

Tratamento da hemorragia pós-parto 

  • A ocitocina intravenosa isolada é a droga uterotônica de primeira linha recomendada para o tratamento da HPP.
  • Se a ocitocina intravenosa não estiver disponível, ou se o sangramento não responder à ocitocina, o uso de ergometrina intramuscular, ou um medicamento de prostaglandina (incluindo misoprostol via retal, 800μg) é recomendado.
  • O uso de cristaloides isotônicos é recomendado de preferência ao uso de coloides para a ressuscitação volêmica inicial de mulheres com HPP.
  • O uso precoce de ácido tranexâmico intravenoso assim que a HPP é diagnosticada, dentro de três horas após o nascimento, além dos cuidados padrão, é recomendado para mulheres com HPP diagnosticada clinicamente após parto vaginal ou cesariana.
  • Administração de 1 g (100 mg/ml) de ácido tranexâmico por via intravenosa a 1 ml/min (ou seja, administrado em 10 minutos), com uma segunda dose de 1 grama por via intravenosa se o sangramento continuar após 30 minutos ou se o sangramento reiniciar dentro de 24 horas após o término a primeira dose.
  • A massagem uterina é recomendada para o tratamento da HPP. Recomenda-se o uso de compressão uterina bimanual ou compressão aórtica externa para o tratamento da HPP por atonia uterina após o parto vaginal como medida temporária até que os cuidados adequados estejam disponíveis.
  • Se as mulheres não responderem ao tratamento com uterotônicos, ou se os uterotônicos não estiverem disponíveis, o uso de tampão uterino com balão é recomendado como uma técnica não cirúrgica eficaz que pode potencialmente melhorar a sobrevida em mulheres com HPP devido à atonia uterina após descartar produtos retidos de concepção ou ruptura uterina como fator contribuinte.
  • Recomenda-se o uso da vestimenta anti-choque não pneumática como medida temporária até que os cuidados apropriados estejam disponíveis.
    O uso de tamponamento uterino não é recomendado para o tratamento da HPP devido à atonia uterina após o parto vaginal.
  • A embolização da artéria uterina pode ser outra medida conservadora de manejo da HPP se houver condições técnicas e recursos humanos qualificados para sua utilização.
  • Se o sangramento não parar apesar do tratamento com uterotônicos e outras intervenções conservadoras disponíveis (por exemplo, massagem uterina, tamponamento com balão), o uso de intervenções cirúrgicas é recomendado. As intervenções cirúrgicas incluem o uso de técnicas de sutura de compressão e ligadura da artéria hipogástrica, além de histerectomia.
  • A prioridade é parar o sangramento antes que a paciente desenvolva problemas de coagulação e danos nos órgãos por sub-perfusão. Abordagens conservadoras devem ser tentadas primeiro, passando rapidamente para procedimentos mais invasivos se não funcionarem.

Autora:

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
# Escobar, MF, Nassar, AH, Theron, G et al. FIGO recommendations on the management of postpartum hemorrhage 2022. Int J Gynecol Obstet. 2022; 157(Suppl. 1): 3– 50. doi:10.1002/ijgo.14116 
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.