Saúde Pública

Reino Unido está caminhando para eliminação do câncer de colo de útero

Tempo de leitura: 3 min.

Aproveitando que a temática “vacinação” está em alta, vale falarmos sobre a pandemia do HPV. Em todo o mundo, o câncer cervical é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres, com aproximadamente 530.000 casos de carcinoma cervical invasivo diagnosticados e 260.000 mortes por câncer de colo de útero por ano. Em 2008, o Reino Unido foi um dos pioneiros na imunização contra papilomavírus humano (HPV) com introdução da vacina bivalente (Cervarix) para meninas de 12 a 13 anos com um programa de recuperação para mulheres de 14 a 18 anos.

Leia também: Vacina HPV: câncer cervical diminui incidência, mas outros cânceres induzidos aumentam

Análise recente da imunização contra HPV

No início deste mês de novembro de 2021, a revista Lancet publicou um estudo que buscou avaliar o impacto da vacinação neste intervalo de 22 anos desde a implementação do programa vacinal.

O estudo quantificou o efeito inicial deste programa de imunização no câncer cervical e no carcinoma cervical in situ, ou seja, registros histopatológicos de neoplasia intraepitelial cervical de grau 3 (NIC3).

Um total de 13,7 milhões mulheres com idade entre 20 e 30 anos foram acompanhadas e então, foi observada a redução relativa estimada nas taxas de câncer cervical por idade de 34% (IC 95% 25-41) para a idade de 16-18 anos (ano escolar de 12-13), 62% (52-71) para a idade de 14-16 anos (ano escolar 10-11), e 87% (72-94) para a idade 12-13 anos (ano escolar 8), em comparação com a coorte de referência não vacinados. As reduções de risco correspondentes para NIC 3 foram de 39% (IC de 95% 36-41) para aqueles oferecidos na idade de 16-18 anos, 75% (72-77) para a idade de 14-16 anos e 97% (96-98) para idade 12–13 anos.

Resultado

O estudo observacional conclui que houve uma redução substancial nos casos de câncer cervical e na incidência de NIC3 em mulheres jovens após a introdução do programa de imunização contra o HPV na Inglaterra, especialmente em indivíduos que receberam a vacina entre 12 e 13 anos.

O programa de imunização contra HPV quase eliminou com sucesso o câncer cervical em mulheres nascidas desde 1º de setembro de 1995.

Em 2020 a OMS lançou novas metas para enfrentar a pandemia do HPV, mas apesar do acesso gratuito à vacina na Inglaterra, e desses resultados surpreendentes, a adoção o programa não atingiu sua meta.

Saiba mais: Eliminando o câncer de colo de útero em tempos de Covid-19

Cenário brasileiro

No Brasil, existem duas vacinas com diferentes características aprovadas pelos órgãos regulatórios :

  • Vacina quadrivalente recombinante contra HPV tipos 6, 11, 16 e 18 (Gardasil®, MSD).
  • Vacina contra HPV oncogênico tipos 16 e 18 (Cervarix®, GSK).

Nas unidades básicas de saúde, a vacina quadrivalente está disponível para:

  • Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos no esquema de duas doses (0-6 meses);
  • Pessoas de 9 a 26 anos nas seguintes condições:
    • HIV/aids;
    • Transplantadas;
    • Pacientes oncológicos em tratamento com radioterapia ou quimioterapia, nesses casos, o esquema para essas pessoas é o de três doses (0-1 a 2-6 meses).

Nos serviços privados de vacinação, as duas vacinas estão disponíveis. As mulheres devem ser vacinadas dentro das faixas etárias autorizadas pela Anvisa, conforme a bula dos produtos. A vacinação de mulheres adultas ainda possui indicação controversa.

Quer segurança na hora da decisão clínica? A Med Friday do Whitebook é a oportunidade de você dar um grande passo em sua carreira! Assine com desconto o aplicativo médico que tem todas as respostas que você precisa, a um toque de distância!

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Falcaro M, Castañon A, Ndlela B, Checchi M, Soldan K, Lopez-Bernal J, Elliss-Brookes L, Sasieni P. The effects of the national HPV vaccination programme in England, UK, on cervical cancer and grade 3 cervical intraepithelial neoplasia incidence: a register-based observational study. Lancet. 2021 Nov 3:S0140-6736(21)02178-4. doi: 10.1016/S0140-6736(21)02178-4.
Compartilhar
Publicado por
Juliana Olivieri

Posts recentes

Efeito da época da infecção materna por SARS-CoV-2 nos desfechos nascituros

Um estudo avaliou gestantes não vacinadas para Covid de forma multicêntrica para pesquisar os desfechos…

24 segundos atrás

20 de janeiro – Dia Nacional da Parteira Tradicional

O dia 20 de janeiro é considerado o Dia Nacional da Parteira Tradicional, em homenagem…

2 horas atrás

Casos de diabetes no Brasil aumentam 26,61% em dez anos, revela levantamento

Nos últimos dez anos houve um aumento de 26,61% no número de casos de diabetes…

2 horas atrás

Mão-pé-boca: doença do verão

No verão, o número de casos de crianças com a doença mão-pé-boca aumenta. O blog…

16 horas atrás

Sobrecarga médica no cenário atual da Covid-19

No episódio de hoje do podcast da PEBMED, confira sobre o cenário atual da Covid-19…

17 horas atrás

Medicina Baseada em Evidências: como não afundar no oceano de informações?

A 7 edição da Revista PEBMED será sobre Medicina Baseada em Evidências. Aqui, mapeamos os caminhos…

18 horas atrás