Página Principal > Cardiologia > Relação entre apneia obstrutiva do sono e arritmia cardíaca
alzheimer

Relação entre apneia obstrutiva do sono e arritmia cardíaca

Tempo de leitura: 3 minutos.

Introdução

A síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é definida como uma obstrução completa ou parcial das vias aéreas superiores durante o sono. Acarreta em períodos de apneia, dessaturação de oxi-hemoglobina e despertares frequentes com consequente hipersonolência diurna.

Alguns dos fatores associados à SAOS  são história familiar, obesidade, aumento da circunferência cervical,hipotireoidismo, diabetes, acromegalia e gravidez. Estima-se que, nos Estados Unidos, 4% dos homens e 2% das mulheres adultas tenham apneia do sono sintomática.

Tem–se verificado aumento na taxa de mortalidade cardiovascular em pacientes portadores da SAOS. Devemos inclui-la como fator de risco cardiovascular. Pois se trata de uma condição frequentemente não diagnosticada.

Fisiopatologia

Quando ocorre obstrução das vias aéreas superiores durante o sono gera alterações no fluxo oro-nasal com aumento do esforço respiratório. As consequências dessa alteração são a queda da saturação da oxi-hemoglobina, hipoxemia e hipercapnia.

Esse processo ativa o sistema nervoso simpático. Há, então, aumento da frequência cardíaca, da resistência vascular e da pressão arterial, acarretando em um microdespertar. Durante a noite, há alternância entre eventos respiratórios anormais e os despertares. Na medida em que a apneia se prolonga, há aumento da hipoxemia e da hipercapnia, levando à vasoconstrição pulmonar, e hipertensão pulmonar transitória. A hipoxemia recorrente,que ocorre  inúmeras vezes durante a noite, leva ao desenvolvimento de estresse oxidativo e formação de radicas livres-fator de risco para desenvolvimento de doença cardiovascular.

Leia mais: Conheça nova diretriz para tratamento da apneia do sono

Arritmias cardíacas

As seguintes arritmias são as mais comuns durante o sono: taquicardia ventricular não-sustentada, taquicardia sinusal, bloqueio atrioventricular de 2º grau e extrassístoles frequentes.

Estudos demonstram que a SAOS atua como fator de risco independente para o desenvolvimento de Fibrilação Atrial (FA). A SAOS moderada a grave aumenta em até 4 vezes o risco de FA. O remodelamento atrial pelo aumento do tônus simpático, pelas variações da pressão arterial e pela distensão atrial são responsáveis pelas arritmias atriais em combinação com a  hipoxemia intermitente.

A oscilação entre o sistema simpático e parassimpático que ocorre durante o sono em pacientes com SAOS ocasionam um cenário perfeito para o surgimento das arritmias. O predomínio do tônus parassimpático favorece as bradiarritmias, enquanto o predomínio do tônus simpático as taquiarritmias atriais e ventriculares.

O remodelamento miocárdico que ocorre secundário a oscilações da frequência cardíaca, pressão arterial e pressão intratorácica levando a HVE,a disfunção sistólica e diastólica do VE aumentando o risco de arritmias ventriculares e morte súbita.

Vários estudos parecem comprovar a ação benéfica do CPAP nos pacientes com SAOS. Ele ocasiona diminuição da pressão intratorácica, da hipóxia, da acidose e dos despertares,  reduzindo as arritmias cardíacas, principalmente, a FA.

Pacientes com SAOS apresentam risco 25% maior de recorrência de FA após ablação comparados com pacientes sem SAOS. Pacientes com SAOS apresentam menor sucesso na ablação e mais complicações relacionadas ao procedimento. Pacientes em tratamento com CPAP tiveram menores taxas de recorrência de FA.

Veja também: Polissonografia ajuda a identificar risco cardiovascular na apneia do sono

Conclusões

A apneia obstrutiva do sono e as doenças cardiovasculares possuem alta prevalência na população mundial. Existe relação da apneia obstrutiva do sono com doenças cardiovasculares e morte súbita. Os distúrbios do sono por serem subdiagnosticados não são tratados adequadamente.

Torna-se necessário o tratamento da SAOS com a finalidade de melhorar a  qualidade de vida e aumentar a sobrevida da população.

Autor: 

Referências:

  • Hersi AS. Obstructive sleep apnea and cardiac arrhythmias. Ann Thorac Med 2010;5:10-7. http://dx.doi.org/10.4103/1817-1737.58954.
  • 2.Miller WP. Cardiac arrhythmias and conduction disturbances in the sleep apnea syndrome. Prevalence and significance. Am J Med 1982;73:317-21. http://dx.doi.org/10.1016/0002-9343(82)90716-1 47.
  • Gami AS, Pressman G, Caples SM, Kanagala R, Gard JJ, Davison DE, et al. Association of atrial fibrillation and obstructive sleep apnea. Circulation 2004;110:364.
  • Wang TJ, Parise H, Levy D, D’Agostino RB, Wolf PA, Vasan RS, et al. Obesity and the risk of new-onset atrial fibrillation. JAMA 2004;292:2471-7. http://dx.doi.org/10.1001/jama.292.20.2471 
  • Haggsträm FM ZE, Fam CF. Apnéia obstrutiva do sono e alterações cardiovasculares. Scientia Medica 2009;19:122-8. 50.Gami AS, Howard DE, Olson EJ, Somers VK. 
  • Harbison J, O’Reilly P, McNicholas WT. Cardiac rhythm disturbances in the obstructive sleep apnea syndrome: effects of nasal continuous positive airway pressure therapy. Chest 2000;118:591-5. http://dx.doi.org/10.1378/chest.118.3.591
  • Abe H, Takahashi M, Yaegashi H, Eda S, Tsunemoto H, Kamikozawa M, et al. Efficacy of continuous positive airway pressure on arrhythmias in obstructive sleep apnea patients. Heart Vessels 2010;25:63-9. http://dx.doi.org/10.1007/s00380-009-1164-z.
  • Ng CY, Liu T, Shehata M, Stevens S, Chugh SS, Wang X. Meta-analysis of obstructive sleep apnea as predictor of atrial fibrillation recurrence after catheter ablation. Am J Cardiol 2011;108:47-51. http://dx.doi.org/10.1016/j.amjcard.2011.02.343.
  • Patel D, Mohanty P, Di Biase L, Shaheen M, Lewis WR, Quan K, et al. Safety and efficacy of pulmonary vein antral isolation in patients with obstructive sleep apnea: the impact of continuous positive airway pressure. Circ Arrhythm Electrophysiol 2010;3:445-51. http://dx.doi.org/10.1161/CIRCEP.109.858381  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.