Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Ginecologia e Obstetrícia / Reposição hormonal pós-AVC é indicada? Novo consenso responde a questão

Reposição hormonal pós-AVC é indicada? Novo consenso responde a questão

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Um novo consenso de especialistas, publicado na revista Stroke, traz recomendações baseadas em evidências sobre o manejo de problemas hormonais em mulheres que tiveram acidente vascular cerebral. Separamos aqui os principais pontos do artigo.

1) Parto vaginal é preferível à cesariana. O parto cesáreo deve ser realizado com base nas indicações obstétricas e não na história de acidente vascular cerebral.

2) Quando o trabalho de parto é induzido farmacologicamente, a terapia com aspirina pode ser continuada.

3) Doses terapêuticas de heparina não fracionada/heparina de baixo peso molecular devem ser interrompidas 24 horas antes de induzir o parto e reiniciadas em 24 horas se não houver contra-indicações.

4) Os antagonistas da vitamina K podem ser reiniciados 24 horas após o parto sem uma dose de carga.

5) Durante a amamentação, o uso de aspirina em baixas doses, antagonista de vitamina K ou heparinas pode ser recomendado. Os novos anticoagulantes orais devem ser evitados durante a amamentação e, quando necessário, substituídos por heparinas ou um antagonista da vitamina K. Nenhuma recomendação sobre antiagregantes plaquetários além da aspirina durante a amamentação pode ser dada.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

6) Em mulheres que tiveram AVC, nenhuma recomendação sobre estimulação ovariana pode ser dada.

7) Os contraceptivos orais não devem ser recomendados a mulheres com história de AVC.

8) Terapia de reposição hormonal não deve ser recomendada para afrontamentos (fogachos), mas a gabapentina pode ser recomendada. Nenhuma recomendação sobre o uso de inibidores seletivos de recaptação de serotonina para afrontamentos pode ser dada.

9) Nenhuma recomendação sobre fitoestrógenos pode ser fornecida devido à falta de dados sobre seus benefícios.

10) Na menopausa, um estilo de vida saudável sem hábito de fumar, atividade física e um IMC ideal acima do normal devem ser alvos da terapia.

Veja também: ‘Manejo da depressão pós-AVC: o que você precisa saber sobre as últimas evidências’

Referências:

  • Pregnancy, Hormonal Treatments for Infertility, Contraception, and Menopause in Women After Ischemic Stroke. Valeria Caso, Alberto Falorni, Cheryl D. Bushnell, Monica Acciarresi, José Remohí, Nikola Sprigg and Sandro Gerli. Stroke, 2017;STROKEAHA.116.013964, originally published January 9, 2017 (https://doi.org/10.1161/STROKEAHA.116.013964)
  • New Consensus on Hormonal Management in Women With Stroke. Medscape. Jan 20, 2017.
×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.