Página Principal > Cardiologia > Ressonância magnética em pacientes com marcapasso ou desfibrilador pode ser segura?
medico olhando os resultados da ressonancia magnetica

Ressonância magnética em pacientes com marcapasso ou desfibrilador pode ser segura?

A ressonância magnética (RM) e a tomografia computadorizada são métodos diagnósticos que têm, ao longo dos últimos anos, adquirido importância crescente na avaliação das diversas cardiopatias. A RM é um excelente método diagnóstico, por não utilizar radiação ionizante e nem meio de contraste com maior potencial de nefrotoxicidade.

O uso da RM em pacientes com marcapasso ou cardiodesfibriladores implantáveis (CDIs) sempre causou temor, acreditando que o exame pudesse danificar o dispositivo, inibir sua função, deflagrar ritmos acelerados ou liberar choques inapropriados nos CDI.

O MagnaSafe Registry foi um estudo prospectivo e multicêntrico envolvendo pacientes com marcapasso ou cardioversor desfibrilador implantável que foram submetidos a um exame de RM não-torácico clinicamente indicado. Este estudo teve como objetivo determinar a frequência de eventos clínicos relacionados ao dispositivo cardíaco e alterações de configuração do dispositivo.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

De abril de 2009 a abril de 2014 em 19 centros nos Estados Unidos, a RM não torácica clinicamente indicada foi realizada em um total de 1.000 casos com marcapasso e 500 casos com CDI. Não ocorreram mortes, perdas de captura ou arritmias ventriculares durante a RM. A repetição da RM não foi associada a um aumento nos eventos adversos. Adicionalmente, as alterações nas definições do dispositivo foram pouco frequentes e não resultaram em eventos adversos.

Autor:

Referências:

  • Sara L, Szarf G, Tachibana A, Shiozaki AA, Villa AV, de Oliveira AC, et al. Ii Diretriz De Ressonância Magnética E Tomografia Computadorizada Cardiovascular Da Sociedade Brasileira De Cardiologia E Do Colégio Brasileiro De Radiologia. Arq Bras Cardiol [Internet]. 2014;103(6 Supl.l 3):1–86. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25594284
  • Russo RJ, Costa HS, Silva PD, Anderson JL, Arshad A, Biederman RWW, et al. Assessing the Risks Associated with MRI in Patients with a Pacemaker or Defibrillator. N Engl J Med [Internet]. 2017;376(8):755–64. Available from: https://www.nejm.org/doi/10.1056/NEJMoa1603265

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.