Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cirurgia / Quais os principais riscos cirúrgicos em pacientes com Covid-19?
Equipe cirúrgica performa cirurgia atenta aos riscos cirúrgicos da pandemia de Covid-19, utilizando os equipamentos de proteção.

Quais os principais riscos cirúrgicos em pacientes com Covid-19?

Esse conteúdo é exclusivo para
médicos.

Para ter acesso, identifique-se através do login ou cadastre-se gratuitamente!

Praticamente qualquer procedimento médico tem seus riscos inerentes que devem ser avaliados pela equipe ao propor um tratamento personalizado. Os riscos cirúrgicos, especialmente em cirurgias de grande porte, estão relacionados a complicações pulmonares e uma equipe médica ativa tenta ao máximo minimizar a frequência destas intercorrências que pode chegar a 10%, e  uma mortalidade de 3%. Somado a este contexto temos a pandemia de Covid-19 que agrega mais uma condição adversa que pode ocorrer no pós-operatório.

Diversas diretrizes já orientavam postergar as cirurgias quando possível, no entanto as condições de urgência continuam a ocorrer. Por necessidade de momento, estas orientações foram baseadas em opiniões de especialistas e, portanto, torna-se necessário estabelecer dados baseados em evidência dos efeitos da infecção SARS-CoV-2 nos pacientes submetidos a tratamento cirúrgico.

Leia também: Cirurgias em tempos de pandemia por Covid-19

Estudo de casos de pacientes cirúrgicos com Covid-19

Estudo observacional, multicêntrico em 235 hospitais (24 países), de pacientes submetidos a tratamento cirúrgico que tiveram o diagnóstico de infecção SARS-Cov2 entre 7 dias pré-operatório até 30 dias após o procedimento. Pacientes submetidos a qualquer procedimento foram elegíveis, incluindo doença benigna, câncer, trauma e obstetrícia. O diagnóstico de infecção pelo coronavírus foi realizado pelo RT-PCR, por swab nasal ou lavado brônquico. Caso não estivesse disponível o RT-PCR, pacientes com forte suspeita clínica/radiológica também foram incluídos no estudo. O desfecho principal avaliado foi o óbito em 30 dias, porém dados de intercorrências como necessidade de suporte ventilatório, tempo de internação, entre outros, também foram.

Resultados

No momento da análise dos dados 1.128 pacientes já possuíam 30 dias de pós-operatório sendo 605 homens (53,6%), 523 mulheres (46,4%).  A maior parte dos pacientes possuíam mais que 70 anos (49,5%), 31,3% na faixa etária de 50-69 anos e menores que 50 anos representavam 19% da população.

Quanto ao diagnóstico 71,5% foi realizado após a cirurgia, e em relação ao caráter da cirurgia 74% foram cirurgias de urgências. A mortalidade em 30 dias foi de 23,8%, sendo maior nos homens (28,4% vs 18,2% P < 0,0001). Os maiores de 70 anos também apresentaram uma maior mortalidade quando comparada aos mais novos, chegando a ser maior que 40% num subgrupo de homens maiores que 70 anos submetidos a uma cirurgia de grande porte de emergência.  A complicação pulmonar ocorreu em 51,2% dos pacientes sendo que em 81,7% dos pacientes que faleceram. Eventos pulmonares eram independentemente associados aos pacientes classificados ASA 3 a 5  (ASA – Classificação de risco da Sociedade Americana de Anestesiologia)

Discussão

Este estudo foi capaz de identificar que as complicações pulmonares ocorrem em até 50% dos pacientes infectados por Covid-19 no perioperatório. Estas complicações estão diretamente relacionadas a um aumento de mortalidade.  A indicação de cirurgia deve ser feita apenas se não houver uma opção não operatória, especialmente na população com maior risco envolvido.  Mesmo cirurgias menores e eletivas, apresentaram uma média acima do normal de mortalidade. Os índices de complicações pulmonares são bem superiores a era pré-pandemia.

Veja mais: E quando um paciente com coronavírus necessita de cirurgia?

É possível que no futuro, com o retorno das atividades usuais, testes rápidos com baixa taxa de falsos negativos, possam auxiliar na triagem dos pacientes, porém a infecção intra-hospitalar de SARS-CoV-2 continuará um desafio.

Este artigo fundamenta cientificamente as orientações iniciais do risco aumentado para a realização de procedimentos cirúrgicos na vigência da pandemia. Para o retorno completo das atividades médicas, é fundamental a cautela e protocolos claros, visto que uma infecção num momento de recuperação operatória pode apresentar desfechos trágicos.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • COVIDSurg Collaborative. Mortality and pulmonary complications in patients undergoing surgery with perioperative SARS-CoV-2 infection: an international cohort study. Lancet. 2020 May 29:S0140-6736(20)31182-X. doi: 10.1016/S0140-6736(20)31182-X. Epub ahead of print. PMID: 32479829.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.