Saúde Pública

Saiba os riscos do consumo de álcool na gestação [Especial de Carnaval]

Tempo de leitura: 2 min.

O consumo de álcool é extremamente prevalente em mulheres em idade reprodutiva, o que o torna um agente teratogênico comum. O álcool é considerado uma das causas não genéticas mais frequentes de deficiência intelectual, e é a principal causa de anomalias congênitas evitáveis nos EUA.

Os efeitos da exposição pré-natal ao álcool são irreversíveis e podem variar de acordo com o tempo de exposição, idade gestacional e padrão de consumo. Não existe quantidade segura para o consumo na gravidez; o feto é extremamente vulnerável, visto que o álcool atravessa livremente a barreira placentária.

O álcool é capaz de causar efeitos deletérios em qualquer idade gestacional, principalmente no que diz respeito aos efeitos neurocomportamentais. A exposição no primeiro trimestre está mais associada a anomalias faciais e alterações estruturais maiores; o uso no segundo trimestre aumenta o risco de abortamento espontâneo e o uso no terceiro trimestre está mais associado a alterações de crescimento.

O termo “Distúrbio do espectro alcoólico fetal” é um termo abrangente utilizado para se referir à gama de efeitos que podem ocorrer em um indivíduo exposto ao álcool durante o período pré-natal, o que pode resultar em prejuízos a curto, médio e longo prazo.

Este termo inclui a síndrome alcoólica fetal clássica, síndrome alcoólica fetal parcial, distúrbios de neurodesenvolvimento relacionados ao álcool, distúrbios neurocomportamentais associados com a exposição pré-natal ao álcool e defeitos congênitos relacionados ao álcool.

Leia maisEspecial de Carnaval: como cuidar de alguém com intoxicação alcoólica no plantão?

A Síndrome Alcoólica Fetal tem uma incidência que varia entre 0,6 a 3 casos a cada 1000 nascimentos. Os critérios diagnósticos são:

  • aspectos faciais dismórficos (fendas palpebrais pequenas e filtro labial hipoplásico/liso e borda superior do lábio fina);
  • comprometimento do crescimento pré e/ou pós natal;
  • anormalidade do sistema nervoso central (estrutural ou neurológica ou funcional).

Outras anomalias congênitas associadas ao consumo do álcool incluem:

  • defeitos cardíacos: anomalia do septo atrial ou ventricular, grandes vasos aberrantes, anomalias cardíacas conotruncais;
  • esqueléticas: sinostose radioulnar, anormalidades de segmentação vertebral, contraturas articulares, escoliose;
  • renais: rins aplásicos ou hipoplásicos, rins displásicos, rim em ferradura, duplicação ureteral;
  • olhos: estrabismo, ptose, anomalias vasculares retinianas, hipoplasia de nervo óptico;
  • ouvidos: déficit auditivo de condução ou neurossensorial;
  • menores: unhas hipoplásicas, clinodactilia, peito escavado/carinado, distúrbios de refração, dentre outros.

Mensagens para casa

  1. O álcool é um teratógeno comum e potente, com efeitos irreversíveis no sistema nervoso central do feto.
  2. Não existe quantidade ou idade gestacional segura para o consumo de álcool na gravidez; é tolerância zero.

Leia mais matérias do Especial de Carnaval:

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Referências:

  • Cunningham et al – Obstetrícia de Williams. 24a edição- Porto Alegre: AMGH, 2016.
  • Riley EP, Infante MA, Warren KR. Fetal alcohol spectrum disorders: an overview. Neuropsychol Rev. 2011;21(2):73-80.
Compartilhar
Publicado por
Julianna Vasconcelos Gomes

Posts recentes

Monkeypox e Epididimite são os destaques da semana no Whitebook

Monkeypox e Epididimite são os novos conteúdos do Whitebook. Confira a lista completa com os…

5 horas atrás

Síndrome pós-COVID-19: quais os desafios nos cuidados nutricionais?

Neste artigo, veja em detalhes o que os estudos recentes têm apontado acerca dos cuidados…

8 horas atrás

As taxas de infecção aumentam com o uso de técnicas de esterilização de uso imediato?

Neste estudo, confira se a esterilização a vapor de uso imediato aumenta as chances de…

9 horas atrás

Fazirsiran para doença hepática associada a deficiência de alfa-1-anti-tripsina

A doença hepática pode ser causada por uma deficiência de alfa-1-antitripsina (A1AT). Conheça estudo sobre…

10 horas atrás

Probiótico na diarreia infantil: estudo mostra potencial benefício de uso relacionado a antibióticos

Estudo concluiu que o probiótico reduziu o risco geral de diarreia em crianças durante e…

11 horas atrás

Amniotomia na indução de parto de nulíparas: qual o melhor momento de realização?

A indução de parto é uma forma de produzir trabalho de parto de forma artificial…

13 horas atrás