Ginecologia e Obstetrícia

Sequenciamento genético pode evitar aborto de repetição?

Tempo de leitura: 2 min.

O abortamento de repetição é definido como duas ou mais perdas consecutivas. É uma condição que afeta 1 a 2% dos casais com diagnóstico de infertilidade, as causas são diversas possíveis trombofilias, fatores anatômicos e endocrinológicos – todavia, 40 a 60% dos casos são de etiologia desconhecida.

Em outubro de 2019, um estudo, realizado na China, foi publicado no The American Journal of Human Genetics. Esse estudo realizou o sequenciamento genético (SG) de 1.077 casais com diagnóstico de abortamento de repetição, através da coleta de 5 mL de sangue periférico. Foi visto que 12% dos casais que possuíam o diagnóstico apresentavam anomalias cromossômicas.

Mais da autora: Endometriose pode causar maior risco de eventos perinatais adversos?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Sequenciamento genético em pacientes com risco de aborto

Segundo o Dr. Elvis Ziruiu Dong, da Universidade de Shandong na China, apesar de já ser sabido pelos médicos que as anormalidades cromossômicas equilibradas podem produzir gestações alteradas, cursando com abortamento espontâneo, o estudo revelou através do SG que essas anormalidade são ainda mais frequentes do que se pensava anteriormente. Foram identificados 127 (11,7%) casos anormalidades cromossômicas estruturais dos 1.077 casais avaliados, sendo destes 78 com translações equilibradas e 48 com inversões.

Dos 50 casais que apresentavam cariótipo normal, porém apresentavam alguma alteração no SG, dez casais evoluíram com uma concepção espontânea e cinco relataram que evoluiu com abortamento espontâneo ou alterações estruturais do feto.

Conclusões

Após receberem o diagnóstico de alteração cromossômica, 26 casais foram em busca de terapia de reprodução assistida associada ao diagnóstico pré-implantacional e apresentaram uma taxa de gravidez clínica de 69,2% resultando em 18 nascidos vivos e um aborto – com isso os autores acreditam que essa intervenção (o SG) pode indiretamente reduzir significativamente a taxa de aborto.

Contudo, apesar das diretrizes clínicas em relação ao aborto apresentarem inconsistências quanto a recomendação de testes cromossômicos o estudo evidenciou que o SG é uma técnica que pode ser útil em casais com diagnóstico de abortamento de repetição.

Receba as principais atualizações em Ginecologia e Obstetrícia! Inscreva-se aqui!

Autor:

Referência bibliográfica:

  • Dong Z, et al. Genome Sequencing Explores Complexity of Chromosomal Abnormalities in Recurrent Miscarriage. The American Journal of Human Genetics 105, 1–10, December 5, 2019
Compartilhar
Publicado por
Camilla Luna

Posts recentes

Asma em Criança: atenção em tempos de Covid-19 [podcast]

Neste episódio do Whitecast, a Drª Dolores Silva, especialista em pediatria e conteudista do Whitebook,…

22 horas atrás

Meta-análise: A prática de atividade física e a influência sobre as imunizações

Alguns estudos já chamam a atenção da necessidade da boa saúde advinda de atividade física…

23 horas atrás

Esôfago curto: Estudo revisa questões históricas e atuais relacionadas ao seu tratamento

O trabalho publicado na Annals of Surgery revisa questões do tratamento da doença do refluxo…

24 horas atrás

Suplementação de ômega-3 pode retardar o envelhecimento acelerado relacionado ao estresse 

Vários estudos foram realizados e evidenciou-se que a suplementação diária com ômega 3 estaria relacionado…

1 dia atrás

Anvisa recebe pedido de uso emergencial de vacina contra Covid-19 da Sinopharm

A Anvisa recebeu uma solicitação de autorização temporária para uso emergencial para a vacina contra…

1 dia atrás

Manejo perioperatório nas lesões de medula espinhal

A incidência de casos de lesão de medula espinhal é baixa, mas elas levam a…

1 dia atrás