Saúde Pública

Setembro Amarelo: depressão entre profissionais de saúde é maior entre os médicos

Tempo de leitura: 2 min.

Devido ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, o Portal PEBMED realizou uma pesquisa sobre depressão nos trabalhadores da área da saúde.

Cerca de 2.600 profissionais de saúde participaram e responderam as perguntas a seguir:

  1. Você já foi diagnosticado com depressão?
  2. Quais são os fatores na sua rotina que mais te causam insatisfação?
    • Excesso de horas de trabalho;
    • Relação com o paciente;
    • Relação com colegas e/ou supervisores;
    • Condições inadequadas no trabalho (ex.: falta de recursos, etc.);
    • Outros
  3. Você faz uso de algum medicamento psicotrópico?

Depressão entre profissionais de saúde

O índice de respostas “sim” para a primeira pergunta foi maior entre os médicos: 33,06% já tiveram depressão. Em segundo lugar estão os enfermeiros (28,26%).

Sobre os fatores que causam insatisfação na rotina, para 38,82% do total de profissionais de saúde respondentes, o principal motivo são as condições inadequadas de trabalho, seguido pelo excesso de horas de trabalho (30,19%) e a relação com colegas e/ou supervisores (14,86%).

Participaram da pesquisa: médicos (620), estudantes de medicina (166), enfermeiros (230), auxiliares, técnicos ou estudantes de enfermagem (261), e outros profissionais da área da saúde (470).

Uso de medicamentos é maior por médicos

Um resultado interessante da pesquisa foi sobre o uso de medicamentos psicotrópicos. Apesar de um número significativo de médicos e estudantes terem sido diagnosticados com depressão, a porcentagem que respondeu usar medicamentos psicotrópicos foi ainda maior. Quase 36% dos médicos tomam esse tipo de medicamento; entre os estudantes de medicina, 29,52% usam antidepressivos ou correlacionados, mesmo que apenas 22,89% tenham diagnóstico de depressão.

Leia também: Como abordar a depressão unipolar resistente?

Essa relação, porém, não foi encontrada em outros profissionais: apesar de 28,26% dos enfermeiros terem tido transtornos depressivos, apenas 23,48% fazem uso de medicamentos psicotrópicos. Entre auxiliares, técnicos ou estudantes de enfermagem, 23,75% responderam ter ou ter tido depressão, e 18,77% usam medicamentos.

Entre os profissionais de outras áreas da saúde, 23,40% usam antidepressivos, enquanto 27,66% foram diagnosticados com transtorno depressivo.

Burnout x Covid-19

Em outra recente pesquisa feita pela PEBMED, foi constatado que a pandemia de Covid-19 tem contribuído para um aumento da síndrome de burnout em profissionais de saúde.

O burnout está intimamente ligado à baixa satisfação profissional, entre outras causas, e pode acarretar diferentes problemas de saúde mental.

Saiba mais sobre a síndrome na Covid-19 com nosso e-book e, também, ouvindo o podcast!

Compartilhar
Publicado por
Clara Bittencourt

Posts recentes

Chikungunya pode causar comprometimento cognitivo em idosos, aponta estudo

Um estudo conseguiu demonstrar um declínio significativo dos processos cognitivos em idosos que foram infectados…

21 minutos atrás

Suplementos Alimentares no Idoso: pontos de atenção

Os idosos são um grupo de atenção quando o assunto é suplementos alimentares. Saiba mais…

13 horas atrás

Morte encefálica: faz sentido um anestesista em uma cirurgia para doação de órgãos?

A anestesia é usada para amenizar a resposta fisiológica resultante da morte encefálica e otimizar…

14 horas atrás

Você conhece a sequência atrasada de IOT? [podcast]

Neste episódio, o intensivista Vinicius Zofoli conversa sobre a realização da sequência atrasada de intubação…

15 horas atrás

SUS: Sancionada lei que amplia prevenção de câncer em mulheres

Foi sancionada a lei que amplia a prevenção, a detecção e tratamento de diferentes tipos…

16 horas atrás

O escore MELD sódio deve ser ajustado por sexo?

Um estudo avaliou os parâmetros laboratoriais do escore MELD de forma a propor um ajuste…

17 horas atrás