Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / Síndrome cardiovocal: quando a rouquidão está associada à doença cardíaca?
médico segurando eletrocardiograma de paciente com síndrome cardiovocal

Síndrome cardiovocal: quando a rouquidão está associada à doença cardíaca?

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Em 1897, Ortner descreveu uma situação demonstrando a associação entre estenose mitral e rouquidão devido à paralisia do nervo laríngeo recorrente esquerdo.

Síndrome cardiovocal

A síndrome de Ortner ou síndrome cardiovocal ocorre quando há comprometimento do nervo laríngeo recorrente entre a aorta e a artéria pulmonar – essa situação ocorre não somente na estenose mitral, mas em outras doenças de origem cardiovascular.

Algumas situações cardiovasculares relacionadas a síndrome cardiovocal:

  1. Dissecção aórtica;
  2. Aneurisma de aorta torácica;
  3. Aumento atrial esquerdo;
  4. Doenças cardíacas congênitas-tipo-defeito do septo atrial –persistência do canal arterial-;
  5. Aumento do calibre da artéria pulmonar ;embolia pulmonar;
  6. Mixoma atrial.

Não somente a rouquidão, mas disfagia e tosse persistente podem estar relacionados à paralisia da prega vocal por lesão do nervo laríngeo recorrente. O NLR é um ramo do nervo vago e está relacionado a inervação motora das pregas vocais. Divide-se em direito e esquerdo.

O nervo laríngeo recorrente esquerdo origina-se do nervo vago na altura do arco aórtico, e possui grande parte do seu trajeto no mediastino o que predispõe a compressão por alterações nessa região tipo dissecção aórtica ou um aneurisma torácico em expansão.

Como identificar

Devemos ficar sempre atentos a pacientes com rouquidão prolongada; uma mudança na voz com duração superior a duas semanas deve sempre ser investigada.

Mais do autor: Síndrome carcinoide cardíaca: um desafio

Exames que devemos solicitar: exames endoscópicos da laringe e tomografia computadorizada (TC) do crânio, pescoço e tórax. A avaliação tomográfica tem como objetivo demonstrar possíveis lesões no trajeto do nervos vago e laríngeo recorrente.

Complicações: paralisias vocais recorrentes podem ocasionar aspiração e pneumonia, aumentando a morbimortalidade.

Para concluir, uma doença cardiovascular oculta pode se apresentar com rouquidão e devemos prestar muita atenção para não deixarmos de fazer diagnostico e instituir o tratamento adequado.

Quer receber as principais novidades em Cardiologia? Participe do nosso grupo do Whatsapp!

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Al Kindi AH, Al Kindi FA, Al Abri QS, Al Kemyani NA. Ortner’s syndrome: Cardiovocal syndrome caused by aortic arch pseudoaneurysm. J Saudi Heart Assoc. 2016; 28 (4): 266-9
  • Paquette CM, Manos DC, Psooy BJ. Unilateral vocal cord paralysis: a review of CT findings, mediastinal causes, and the course of the recurrent laryngeal nerves. Radiographics. 2012; 32: 721–40.
  • Klee K, Eick C, Witlandt R, Gawaz M, Didczuneit-Sandhop B. Unilateral recurrent nerve palsy and cardiovascular disease – Ortner’s syndrome. J Cardiol Cases. 2016; 15 (3): 88-90..
  • Subramaniam V, Herle A, Mohammed N, Thahir M. Ortner’s syndrome: Case series and literature review. Braz J Otorhinolaryngol. 2011; 77: 559–62

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.