Sintomas gastrointestinais e fadiga podem persistir após infecção por Covid-19 - PEBMED

Sintomas gastrointestinais e fadiga podem persistir após infecção por Covid-19

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Sintomas gastrointestinais e fadiga crônica podem persistir por meses após infecção por Covid-19 e sintomas como diarreia, desordens somáticas e cansaço estão duas a três vezes mais presentes e relacionados a pacientes que tiveram Covid-19 do que na população em geral.

Esse fato levou a realização de vários estudos apresentados na conferência anual da Digestive Disease Week.

É sabido que infecções do trato gastrointestinal por vírus, bactérias ou protozoários é um fator de risco para o desenvolvimento de disfunções gástricas como a síndrome do intestino irritável, dispepsia e fadiga crônica mesmo após a remissão da infecção na população geral.

Nos pacientes com Covid-19 está sendo observado a permanência desses sintomas principalmente quando os sintomas principais da infecção por Sars-CoV-2 foram gastrointestinais, é o que relata Dr Daniele Noviello, médico residente do serviço de gastroenterologia e hepatologia da Universidade de Milão.

Sintomas gastrointestinais e fadiga podem persistir após infecção por Covid-19

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Estudos sobre sintomas gastrointestinais na Covid-19

Em um estudo chinês com pacientes infectados pela Covid-19 foi evidenciado que cerca de 15% a 24% dos pacientes relataram perda de apetite, náusea, refluxo e diarreia três meses após a infecção. Em outro estudo, 5% dos pacientes relataram persistência de diarreia e vômitos após seis meses.

De acordo com esses estudos e com especialistas como Dr Juan Pablo Stefanolo, da Universidade de Buenos Aires, é bem possível que o vírus do Sars-CoV-2 seja um gatilho para o desenvolvimento desses distúrbios gastrointestinais principalmente em relação a fisiopatologia da síndrome de intestino irritável.

A pandemia na Itália que se iniciou bem precocemente serviu como base para estudos de longo termo em relação a esses sintomas pós- infecção por Covid-19. Foi enviado um questionário para os pacientes diagnosticados com Covid-19 por PCR nasal entre os meses de fevereiro e abril de 2020 totalizando 177 pacientes. O questionário também foi enviado para um grupo controle composto de profissionais da área de saúde e que não apresentaram diagnóstico nesse período.

Os resultados evidenciaram que 50% dos pacientes positivos apresentaram no final de cinco meses queixa de diarréia persistente, além de outros sintomas como febre, perda de paladar ou olfato, perda de peso, mialgia, artralgia e fadiga. Do grupo controle apenas 20% relatou episódios de diarréia.

Leia também: Entre os sintomas persistentes de Covid-19, quais os mais comuns?

Considerações

Dos resultados em geral encontrados, segundo Dr Noviello houve uma taxa de quase 18% de persistência de diarreia, 30% de persistência de fadiga crônica e em torno de 50% de sintomas relacionados a desordem somatoforme após cinco meses da resolução do quadro infeccioso por Covid-19. Além disso, esses sintomas persistentes tanto gastrointestinais como somatoformes foram mais encontrados na população que apresentou diarreia como principal sintoma durante a infecção por Covid-19.

Autora: 

Referência bibliográfica:

 

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar