Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / SUS disponibiliza fumarato de dimetila como primeira opção para esclerose múltipla
médico segurando opções de medicamentos para esclerose múltipla

SUS disponibiliza fumarato de dimetila como primeira opção para esclerose múltipla

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Uma boa notícia para os pacientes com esclerose múltipla. Em breve, o fumarato de dimetila estará disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS) também como opção para primeiro tratamento para portadores de esclerose múltipla remitente-recorrente (EMRR). O fármaco já faz parte do tratamento para a doença no SUS, mas como segunda opção terapêutica.

Em estudos clínicos recentes, o medicamento apresentou maiores benefícios e menos efeitos adversos comparados aos demais tratamentos já disponibilizados para a enfermidade.

O remédio estará à disposição da população em até 180 dias, a contar da data de publicação da portaria nº 65, divulgada em 27 de dezembro de 2019, no Diário Oficial da União (DOU).

Fumarato de dimetila para esclerose múltipla

Anteriormente, a substância era indicada apenas para os casos que não apresentam a melhor resposta ou que manifestam falha a qualquer medicamento da primeira linha de tratamento. Contudo, novos estudos avaliados pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) comprovaram a segurança, a eficácia e o custo-benefício do remédio para o tratamento também como primeira linha.

Leia também: Disfunção cognitiva é indício importante em casos de esclerose múltipla

Em termos de custo-efetividade e de impacto orçamentário, há expectativa de possível economia de recursos com a utilização do fumarato de dimetila em primeira linha terapêutica, com uma economia progressiva estimada de até R$ 6,2 milhões nos primeiros cinco anos da sua incorporação.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns incluem:

  • Sensação de calor (flush);
  • Perturbação gastrointestinal, com diarreia, mal-estar e dor abdominal;
  • Leucopenia;
  • Erupção cutânea;
  • Aumento dos níveis de enzimas hepáticas;
  • Presença de cetonas e proteínas na urina.

Esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma enfermidade que ataca as células nervosas do paciente, afetando principalmente o sistema nervoso central. Atinge adultos de 18 a 55 anos de idade, sendo mais frequente em mulheres brancas, levando a importantes consequências físicas e cognitivas, como dor, problemas com a visão, de equilíbrio e perda de força.

Além da esclerose múltipla remitente-recorrente, responsável por 85% dos casos, existem mais duas formas principais de evolução clínica da doença: secundariamente progressiva (EMSP) e primariamente progressiva (EMPP).

Estima-se que 2,3 milhões de pessoas vivam com esclerose múltipla no mundo. No país, a sua prevalência pode variar de 1,36 a 27,7 casos por 100 mil habitantes, de acordo com a região.

Veja ainda: Esclerose múltipla: como diagnosticar corretamente a doença?

Outros tratamentos no SUS

O SUS conta com a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Neurológica para atender a pacientes com esclerose múltipla e demais enfermidades neurológicas.

No total, são disponibilizados 44 procedimentos (clínicos e de reabilitação) para a doença, de forma integral e gratuita. Também há um conjunto de medicamentos ofertados especificamente para o tratamento de esclerose múltipla aos pacientes cadastrados no Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF) a pacientes que se enquadram nos critérios clínicos e nas diretrizes terapêuticas determinadas pelo PCDT.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2018, foram investidos mais de R$ 279 milhões para aquisição de medicamentos para tratamento da enfermidade no SUS, atendendo a 15.689 usuários.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.